Planner Literário Digital 2022

12 livros com livrarias e livreiros em suas histórias

Coraline e o mundo secreto: curiosidades e diferenças para o livro

O Cão Alegre & A Mão e o Tamboril: contos de fadas do k-drama It’s okay to not be okay

Resenha dos contos e fadas O Cão Alegre & A Mão e o Tamboril, que fazem parte do universo do k-drama It's Okay To Not Be Okay (Intrínseca).

Os contos de fadas O Cão Alegre & A Mão e o Tamboril fazem parte do universo do k-drama It’s Okay To Not Be Okay, fenômeno mundial criado por Jo Yong e com ilustrações do também concept designer do k-drama, Jam San, ganharam versões brasileiras lindas publicadas em 2021 pela Editora Intrínseca.

Aqui você vai conhecer as duas histórias chamadas O Cão Alegre (3) e também A Mão e o Tamboril (4). Para conhecer os outros livros, é só clicar: O Menino que se Alimentava de Pesadelos (1) | Criança Zumbi (2) | Em Busca da Feição Real (5). Vale lembrar que, apesar dos contos de fadas serem numerados, a ordem de leitura não interfere a compreensão das histórias. Mas é importante dizer que a numeração faz referência à ordem dos episódios do k-drama aos quais os contos se relacionam. O k-drama está disponível na Netflix!

O Cão Alegre

Na entrada de um vilarejo vivia lá amarrado à uma árvore, um cão. Ele era conhecido como cão alegre, porque sempre brincava com todos e estava sempre alegre. Mas toda noite ele dormia e chorava, porque seu coração era mais sincero que seu corpo e que seu desejo real era a liberdade.

“Estou amarrado há tanto tempo que esqueci como se faz. Alguém precisa cortar essa coleira resistente para mim.”

Com essa aparentemente simples história de O Cão Alegre, a autora consegue passar inúmeras mensagens inspiradoras para o leitor. O conto de fadas vai lhe contar, nas entrelinhas da história do cão alegre, que, na verdade, existe muito mais poder dentro da gente do que nós estamos acostumados a acreditar. E, especialmente, vai te dizer que a chave para mudar as coisas que entristecem seu coração está, muitas, vezes, em você. Mas geralmente quem nos amarrou à árvore nos faz esquecer e desacreditar dessa capacidade e potência que existe em nós.

Resenha dos contos e fadas O Cão Alegre & A Mão e o Tamboril, que fazem parte do universo do k-drama It's Okay To Not Be Okay (Intrínseca).

Outro ponto que também rende muitos debates sobre essa história cativante é o fato de que o mundo de hoje, imerso em redes sociais nos esconde sob camadas e mais camadas da necessária imagem de perfeição e beleza. A alegria que o cão alegre reflete não é apenas sobre esconder e enterrar aquilo que mais desejamos, mas também sobre a necessidade que é erroneamente incentivada para que mantenhamos sempre a postura de está tudo bem. Mas, como o próprio título da série nos indica, está tudo bem não estar bem.

“Seu bobo, você não esqueceu como cortar a coleira. O que você esqueceu é que tem dentes afiados!”

Um bate-papo em forma de conto de fadas sobre as pressões do mundo atual, atrelados à saúde mental, ao necessário cuidado à ela. Uma leitura essencial para os fãs da série, para crianças do 0 aos 100 anos e apaixonados por contos de fadas. Uma leitura que nos faz lembrar o quanto é importante acreditar e ser fiel a si próprio!

O Cão Alegre

It's Okay To Not Be Okay

 

Autoria:
Jo Yong & Jam Sam

ISBN:
978-65-5560-199-2

Ano de lançamento:
2021

Editora:
Intrínseca

Gênero:
Conto de Fadas

Páginas (nº):
24
Com personagens cativantes e uma estética inovadora, o drama sul-coreano It’s Okay to Not Be Okay (Tudo bem não ser normal) conquistou uma legião de fãs ao redor do mundo e movimentou as redes sociais brasileiras a cada novo episódio lançado pela Netflix. Na produção, uma escritora de livros infantis bastante peculiar, um enfermeiro que trabalha em um hospital psiquiátrico e seu irmão mais velho, com transtorno do espectro autista, precisarão enfrentar seus traumas e medos para conseguir vivenciar o amor e criar laços.
Em O Cão Alegre, conhecemos um cãozinho que vivia amarrado a uma árvore na entrada de um vilarejo. Ele sempre abanava o rabo e era muito brincalhão, mas, ao cair da noite, só fazia chorar, porque na verdade queria se livrar da coleira e correr pelo campo florido sem amarras. Num dia ensolarado, numa conversa com seu coração, o cão se dá conta de que a chave para sua liberdade pode estar mais perto do que ele imaginava.

A Mão e o Tamboril

Nasce uma bebê numa família rica e a mãe, certa de sua perfeição, estava disposta a dar-lhe absolutamente tudo. Estava disposta a lhe dar de comer, mas a também lhe carregar mesmo quando ela já sabia andar. Assim, quando a mãe ficou cansada demais e precisava de ajuda, a sua filha nada pôde fazer.

O conto de fadas pode parecer, a princípio, uma forma simples de passar uma rápida lição de moral, mas, sem dúvidas, o impacto que A Mão e o Tamboril passa é desconcertante. E não porque é bruto e duro, acredite, ele o é, mas especialmente porque o realismo que ele carrega é assustador.

“Mãe, eu não tenho mãos. Elas sumiram, porque nunca cheguei a usá-las.”

Assim, a relação de dependência que a história explora extrapola os contornos imaginários, porque reflete muitas criações que não visam a formação de uma pessoa independente. Aqui temos pessoas tão habituadas a ter alguém para lhe dar, prover, fazer e acontecer, que resulta em um verdadeiro despreparo para a vida e suas adversidades.

Resenha dos contos e fadas O Cão Alegre & A Mão e o Tamboril, que fazem parte do universo do k-drama It's Okay To Not Be Okay (Intrínseca).

Além disso, as consequências não são apenas acerca da pessoa que foi criada com asas ceifadas, mas na relação entre criador e criatura, que, em dado momento, irá esgarçar-se e trará arrependimentos e rompimentos bruscos que continuarão a ver tudo sob um foco distorcido, não enxergando a raiz real do problema e colocando a culpa das ações apenas na criatura. Quando a culpa, na verdade, tal como o monstro de Frankenstein, é fruto, antes de mais nada, dos atos de seu criador.

“Agora vejo que você nunca foi minha bebê perfeita. É apenas um tamboril inútil. Só sabe receber e não consegue fazer nada! Um completo fracasso!”

Um conto de fadas que reflete as relações complicadas e intrincadas que envolvem as pessoas há muito tempo, que diz em uma nova roupagem, que somos responsáveis por nossos atos, é certo, mas, também que pergunta, em que medida somos culpados pela relação que estabelecemos com o outro? Com um desfecho cruel, mas real, a história que temos aqui é uma ode aos clássicos contos de fadas: falemos da realidade no mundo dos contos de fadas e não da moralidade enfeitada que os últimos tempos vêm pregando. Necessário e doloroso, muito recomendado!

A Mão e o Tamboril

It's Okay To Not Be Okay

 

Autoria:
Jo Yong & Jam San

ISBN:
978-65-5560-208-1

Ano de lançamento:
2021

Editora:
Intrínseca

Gênero:
Conto de Fadas

Páginas (nº):
28
Com personagens cativantes e uma estética inovadora, o drama sul-coreano It’s Okay to Not Be Okay (Tudo bem não ser normal) conquistou uma legião de fãs ao redor do mundo e movimentou as redes sociais brasileiras a cada novo episódio lançado pela Netflix. Na produção, uma escritora de livros infantis bastante peculiar, um enfermeiro que trabalha em um hospital psiquiátrico e seu irmão mais velho, com transtorno do espectro autista, precisarão enfrentar seus traumas e medos para conseguir vivenciar o amor e criar laços.
Era uma vez uma mãe que amava muito a filha e que jurou lhe dar tudo, até o Sol e a Lua. Ela a mimava de todas as formas, tornando-a completamente dependente e incapaz de agir por conta própria. Quando a mãe então implora pela ajuda da filha, a criança nada tem a oferecer, e as consequências dessa relação conflituosa são drásticas.
Resenha dos contos e fadas O Cão Alegre & A Mão e o Tamboril, que fazem parte do universo do k-drama It's Okay To Not Be Okay (Intrínseca).

Aleatoriedades

Os contos de fadas O Cão Alegre & A Mão e o Tamboril foram recebidos em parceria com a Editora Intrínseca.

Para quem gosta de ler contos de fadas, tenho mais algumas dicas: João & Maria por Neil Gaiman | Os Melhores Contos de Fadas Nórdicos | Contos de Fadas em Suas Versões Originais

xoxo

Retipatia

Comente este post!

Repense, renove, rediscuta...

  • Tasso Lago

    Obrigado por apresentar esses livros para nós, parecem otimos.

    responder