SOBRE

Prazer, sou Renata. Por vezes Rê, aqui, também Retipatia.

É difícil falar da gente mesmo. São nossos gostos que nos definem? Ou quem sabe o que lemos, comemos ou fazemos?

Não sei, cheguei na casa do trinta e acho que tenho mais incertas do que certezas acumuladas.

Mas sei que gosto do barulho da chuva, especialmente se estou dormindo ou lendo. Gosto do chá quente na caneca, mas me contento com um gelado nos dias quentes. Não suporto os dias quentes, a propósito.

Seja como for, gosto de música, ela bem que podia tocar nos momentos especiais da vida, nos trágicos, melodramáticos e tudo o mais. Às vezes acho que tenho um tipo de romantismo na cabeça que não existe mais ou que nunca existiu, vai saber.

Isso faz pensar que gosto das músicas porque elas tocam cenas e histórias na minha cabeça. Como algumas músicas dos anos 80 que meu pai ouvia. Me levam pras minhas leituras de gibis no sítio do avô, inclusive pra matar o tempo depois que já tinha tomado banho ou estava chovendo e não dava mais pra brincar lá fora. E tem também quando comecei a ler a quadrilogia de As Brumas de Avalon em edições tão ou mais velhas que eu e que eram da minha avó. Fiquei com eles de lembrança depois que ela se foi e, lá pros 10 anos quando li, não entendi metade da profundidade daquela história. Ou entendi toda a profundidade que eu tinha. Provavelmente se ler daqui 5 anos, vou me achar pouco profunda nos dias atuais.

Não sei se foi daí, das leituras, foi que veio o amor por palavras. Elas sempre foram mais minhas amigas nos momentos de tristes incertezas ou de incertezas tristes. Sei que sempre estiveram aqui, ainda que, de vez em quando, eu as deixasse de lado.

Seja no meio da noite, num ímpeto de uma enfadonha viagem de ônibus, gosto quando elas vêm. São parte de mim que jorram de dentro, mesmo quando – ou especialmente quando – não são coesas.

Me perco nas histórias que li, nas que escrevi e nas que guardo na cabeça. Vivo todas elas enquanto vivo minha vida. Sou feita delas e elas a mim pertencem, enquanto eu, sou de todas elas.