Se não fosse você ♥ Colleen Hoover

Retipatia
Resenha do livro Se não fosse você de Colleen Hoover, leitura coletiva do Coletivo CoHo Lover de agosto e publicado em 2020 pela Galera Record.

Se não fosse você, talvez a vida fosse outra, o acidente não tivesse acontecido e o mundo agora não estivesse despedaçado. O mundo de Clara é partido quando um acidente fragmenta os elos que mantinham sua família unida. Agora, ela não sabe quem é sua mãe, o mundo não faz mais sentido e tudo que vem acontecendo é motivo suficiente para que ela não confie mais em ninguém. Será que há algo de bom por vir no meio dessa tormenta?

Se não fosse você (Regretting You)
Colleen Hoover
Tradução Carolina Simmer
Galera Record | 2020 | 400p.
Disponível em Amazon
“Não entendo como meu corpo pode estar cheio de tudo que nos preenche – ossos e músculos e sangue e órgãos – e, ainda assim, meu peito parecer oco, como se pudesse ecoar caso alguém gritasse na minha boca.”
Resenha do livro Se não fosse você de Colleen Hoover, leitura coletiva do Coletivo CoHo Lover de agosto e publicado em 2020 pela Galera Record.

Sobre Colleen Hoover

Colleen Hoover mora no Texas com o marido e os três filhos. Autora best-seller do New York Times e vencedora do Goodreads Choice Awards, publicou os livros É Assim Que Acaba, Verity, entre outros.

Sinopse de Se não fosse você

Colleen Hoover fala sobre família, primeiro amor, luto e traição em uma história que tocará os corações tanto de mães quanto de filhas. Morgan e Clara Grant são mãe e filha, e aparentemente não têm nada em comum.

Morgan engravidou muito nova, com dezesseis anos, e está determinada a evitar que sua filha passe pelas mesmas dificuldades que enfrentou. Colocando sempre a família em primeiro plano, Morgan deixou os próprios sonhos de lado para dedicar-se à filha e ao marido.

Clara, por sua vez, não quer seguir os passos da mãe – ela não consegue enxergar nada de espontâneo na personalidade de Morgan. No auge dos seus dezesseis anos, seu maior desejo é ir para a universidade estudar teatro, mesmo que os pais não incentivem a carreira.

Com personalidades incompatíveis e objetivos divergentes, a convivência entre Morgan e Clara está cada dia mais insustentável. A única pessoa capaz de criar um ambiente de paz é Chris – marido de Morgan, pai de Clara, o porto seguro da família. Mas essa paz é quebrada após um trágico acidente que muda completamente a vida das duas.

Enquanto Morgan luta para reconstruir tudo que desabou ao seu redor e encontra conforto na última pessoa que esperava, Clara aumenta sua lista de rebeldias. Com o passar dos dias, novos segredos, ressentimentos e mal-entendidos fazem com que mãe e filha se afastem ainda mais… E a distância aumenta tanto ao ponto de uma reaproximação se tornar improvável. Depois de tanto tempo distantes e com muita coisa não dita, será que ainda há chances de que tudo fique bem?

Resenha do livro Se não fosse você de Colleen Hoover, leitura coletiva do Coletivo CoHo Lover de agosto e publicado em 2020 pela Galera Record.

Se não fosse você

Adicione balas de melancia, pirulitos, músicas tristes, crises adolescentes à um drama familiar e você começa a formar o panorama de Se não fosse você. Alternando entre os pontos de vista de mãe e filha, Morgan e Clara, somos levadas à vida de uma família feliz. Funcional. Clara a adolescente legal, que tira boas notas, obedece aos pais super protetores e anda insatisfeita com o fato de que seus pais não apoiam seu sonho de ser atriz. Morgan a jovem mãe que começou a descobrir que há um mundo para além da maternidade, um que ela quer muito conhecer. Jenny, a tia gente boa que pega conselhos de Morgan para repassar à Clara. Chris, o marido-pai-perfeito, trabalha muito, mas quando está lá, está realmente presente.

Um acidente e o mundo que Morgan e Clara conheciam vem abaixo.

“Você é uma sacrificadora. Nem sei se essa palavra existe mesmo, mas é verdade. Você faz coisas que não quer para melhorar a vida das pessoas ao seu redor.”

Em Se não fosse você, Colleen Hoover traz sua narrativa cativante e característica para falar sobre maternidade, luto, perda, traição, perdão, crescimento, independência e o poder de nossas escolhas.

A trama que a princípio pode parecer simples, é intrincada pela própria realidade da vida. Aqui a história baseia-se na complexidade intrínseca às pessoas e, especialmente, que elas nem sempre sabem como lidar com seus sentimentos e em como externá-los.

“Às vezes, você precisa sair de uma briga para vencê-la.”
Resenha do livro Se não fosse você de Colleen Hoover, leitura coletiva do Coletivo CoHo Lover de agosto e publicado em 2020 pela Galera Record.

Através de Morgan, surge o debate sobre a maternidade, ela foi mãe ainda jovem e com isso não apenas seu casamento acabou por acontecer por causa da gravidez, como toda sua vida passou a girar ao redor de sua família. Não que seja um arrependimento, ela é feliz pela vida que teve até aquele momento, mas quando se vê com a filha prestes a ir para a faculdade, somado ao acidente que muda o curso de suas vidas, ela se vê num novo panorama. Um em que ela não sabe o que ainda faz sentido, o que a move, quem ela é.

Essa não é uma resposta simples e traz um bom debate para a história sobre as muitas mulheres-esposas-mães que são resumidas, não apenas por si mesmas, mas pela vida, sociedade, parceiros, filhos e família. Apesar de não ser o foco central, faz parte do desenvolvimento da personagem e é um bom lembrete de que mulheres são mais do que os papeis que desempenham em suas famílias.

“Quanto tempo vou demorar até não sentir peso na consciência por minha felicidade?”
Resenha do livro Se não fosse você de Colleen Hoover, leitura coletiva do Coletivo CoHo Lover de agosto e publicado em 2020 pela Galera Record.

Além disso, a proteção de Morgan em relação à Clara é algo que reverbera por lados positivos e negativos na relação mãe e filha. Seu senso de proteção faz não apenas com que ela não queira revelar acontecimentos importantes da história da família, como sempre se colocar à frente do trem descarrilado que vem à toda. A dor que sente pelas perdas recentes fica de lado quando o assunto é a dor de Clara. Mesmo quando seu passado bate à porta, lhe dando chances que antes não existiam, a filha ainda é o seu motor.

Clara, por seu lado, mais reage do que age. Ao mesmo tempo que quer superar o luto e vivencia um novo sentimento despertar em seu mundo, um primeiro amor surgindo e se tornando algo bom no meio da tormenta, ela quer redirecionar sua raiva, ela precisa. E não haveria outro alvo que não a sua mãe. Suas ações são esperadas e o segredo que ela guarda, nutrido por outros segredos que não foram revelados, é como a chama que mantém sua raiva acesa.

“Às vezes, acho que deve ser muito mais fácil ser adulto do que ser adolescente, porque, a essa altura, você já deveria saber o que está fazendo da sua vida. Os sentimentos estão mais amadurecidos, e isso melhora a capacidade de lidar com as crises. Mas ver Jonah tentando se concentrar agora e assistir à minha mãe tentando seguir em frente, como se ainda tivesse forças, é a prova de que preciso para constatar que adultos são tão perdidos quanto adolescentes. Eles só usam máscaras melhores.”

É impossível não deixar o aviso de que 2/3 da história não existiria se houvesse diálogo entre as pessoas, o que pode deixar a leitura cansativa e muito previsível em certos pontos, também seria ilusório dizer que problemas entre pessoas reais às vezes não ocorrem da mesma maneira. E, apesar do livro não ter um grande plot twist bombástico (como algumas outras obras da Colleen, e tem um enredo bem previsível ao logo do desenvolvimento), você termina a leitura pelo menos, satisfeita. Não apenas porque os pontos foram acertados, mas porque ele termina com esperança. De dias melhores, danos sendo recuperados, dores aliviadas, o tempo surtindo seu efeito e a verdade trazendo o perdão consigo.

Apesar dos temas fortes e que reverberam pela história e pelas vidas das personagens, com um punhado de amor, amizades, garrafas de vinho, um bebê fofo, um avô para lá de gente boa, algumas balas de melancia e muitos pirulitos, Se não fosse você é um romance clichê repleto de lições, amor, segunda chance, elos familiares fortes e o lembrete de que a vida pode ser bem melhor quando nos abrimos para ela.

“A atração não é algo que acontece só uma vez, com uma pessoa. Ela é parte do que faz os seres humanos funcionarem. Nossa atração um pelo outro, por arte, por comida, por entretenimento. É divertido. Então, quando você resolve se comprometer com alguém não está dizendo ‘Prometo que nunca mais vou me sentir atraído por outras pessoas’. Você diz ‘Prometo me comprometer com você apesar do meu potencial de me sentir atraído por outras pessoas’.”
Resenha do livro Se não fosse você de Colleen Hoover, leitura coletiva do Coletivo CoHo Lover de agosto e publicado em 2020 pela Galera Record.

Aleatoriedades

Se não fosse você fez parte da leitura coletiva do grupo Coletivo CoHo Lover, que criei especialmente para ler livros da Colleen Hoover. A cada mês, lemos um livro da autora e, quem quiser conferir, o grupo é no Telegram e tem infos sobre as leituras no Instagram do meu clube do livro, o @coletivodaretipatia.

Para quem quiser conferir mais livros da Colleen, temos algumas resenhas: É Assim que Acaba | O Lado Feio do Amor | Novembro, 9 | Um Caso Perdido | Todas as suas (im)perfeições

Que a Força esteja com você!

xoxo

Retipatia

One thought on “Se não fosse você ♥ Colleen Hoover

  1. Broinhas! a boca chega a encher d’água rs aquele oco por dentro é muito bom(ow raio que só pensa em comer rsrs)
    Eu li poucos livros da CoHo,mas esse é um dos que mais desejo, por trazer drama familiares, essa relação mãe e filha me aguça muito.
    A minha relação com minha filha não é boa de jeito nenhum e ambas temos culpa nisso(dizem que duas cobras não habitam o mesmo ninho)
    Amo tudo que você faz, fotografa e mesmo que eu vá ficar pensando nessas broinhas o resto do dia, valeu ter vindo rs
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

Repense, renove, rediscuta...

%d blogueiros gostam disto: