A Padaria dos Finais Felizes ♥ Jenny Colgan

Retipatia
Resenha do livro A Padaria dos Finais Felizes de Jenny Colgan que faz parte do selo Romances de Hoje, da Editora Arqueiro, publicado em 2019.

Dizem que dá para encontrar sonhos em padarias, mas Polly está aqui para nos mostrar que dá para fazer finais felizes na padaria também. Alguns acompanhados de queijo e vinho, alguns com favos de mel… garanto que opções de pães para finais felizes não faltam na história criada por Jenny Colgan!

A Padaria dos Finais Felizes (Little Beach Street Bakery)
Jenny Colgan
Tradução de Thaís Paiva e Stephanie Fernandes
Editora Arqueiro | 2019 | 336p.
Disponível em Amazon
“E foi assim que começou o próprio negócio, completamente ilícito. Toda noite fazia grandes levas de pão com combinações diferentes: pão branco para os rapazes, que não se aventuravam muito; umas sementes de papoula aqui e acolá; pão com mel e passas, que, torrado com um pouco de manteiga local, ficava divino. De manhã, corria para entregar tudo e recebia pequenos montantes em troca; pequenos montantes que faziam toda a diferença para ela.”
Resenha do livro A Padaria dos Finais Felizes de Jenny Colgan que faz parte do selo Romances de Hoje, da Editora Arqueiro, publicado em 2019.
Sobre Jenny Colgan

Jenny Colgan nasceu em 1972, na Escócia, e é autora de comédias românticas, ficções científicas e histórias infantis. Seus mais de 25 livros foram publicados em dezenas de países e já venderam mais de 3 milhões de exemplares. Jenny adora bolo, Doctor Who e livros muito, muito longos – quanto mais longos, melhor. Mora em Edimburgo com o marido, os três filhos e o cachorro, Nevil.

Sinopse de A Padaria dos Finais Felizes

Um balneário tranquilo, uma loja abandonada, um apartamento pequeno. É isso que espera Polly Waterford quando ela chega à Cornualha, na Inglaterra, fugindo de um relacionamento tóxico.

Para que seus pensamentos fujam dos problemas, Polly se dedica a seu passatempo favorito: fazer pão. Enquanto amassa, estica e esmurra a massa, extravasa todas as emoções e prepara fornadas cada vez mais gostosas.

Assim, o hobby se transforma em paixão e logo ela começa a operar sua magia usando frutos secos, sementes, chocolate e o mel local, cortesia de um lindo e charmoso apicultor.

Receita d’A Padaria dos Finais Felizes

Esta é uma daquelas receitas fáceis de fazer, que não leva muito tempo, mas que traz uma combinação perfeita de massa leve, gostosa, que traz diversão durante a sova e que ainda rende boas porções.

Sem dúvida ela combina muito com dias chuvosos, para alegrar a casa com o cheirinho de pão assando e ainda combina com uma taça de vinho e com o barulho do mar. Como Jenny Colgan indica em sua receita de Biscoito Escocês, é “tão simples e tão maravilhoso.”

Resenha do livro A Padaria dos Finais Felizes de Jenny Colgan que faz parte do selo Romances de Hoje, da Editora Arqueiro, publicado em 2019.
“O mais estranho é que se fosse apenas a vida pessoal deles ruindo, todos ao redor estariam cheios de compaixão, apoio, conselhos e garantias. Mas como se tratava de um negócio em derrocada, ninguém dizia nada. Todos mantinham distância, não ousavam se intrometer, nem mesmo a intrépida Kerensa, a melhor amiga de Polly.”
“Fantasmas nunca aparecem para quem finge não acreditar neles.”
“Estava grudenta, bom sinal – quanto mais grudenta a massa, mais leve o pão ficaria. Mas estava grudenta demais para a sova, então polvilhou um pouco de farinha na mesa. Em seguida, começou a sovar. Empurrava e socava a massa, repuxava e dobrava de volta.”
“a) limpar a casa a ponto de não correr o risco de pegar alguma doença repugnante; b) recompor-se e encontrar um trabalho digno; c) superar… ou melhor, lidar com as coisas. Botar a vida nos trilhos. Parar de constranger os amigos com choradeiras toda vez que tomava duas taças de vinho. Encontrar paz interior.”
Para essa receita você vai precisar de:

10h aproximadas de leitura, parceladas como desejar;

1 livro em formato físico ou e-book (ou um ou outro, o sabor não será alterado);

1 tarde preguiçosa de domingo OU 1 dia chuvoso OU 1 dia à sua escolha;

100g (em barra) de ilhota da Cornualha (temperatura ambiente) ;

50g de semente para papagaio-do-mar;

1 colher de sopa de fermento, para criar raízes;

Uma pitada de lembrança do barulho do mar;

Uma xícara de romance aconchegante;

Duas colheres de chá de tempestades;

1 xícara cheia até a borda de creme de dar a volta por cima;

Mel a gosto.

“E foi assim que começou o próprio negócio, completamente ilícito. Toda noite fazia grandes levas de pão com combinações diferentes: pão branco para os rapazes, que não se aventuravam muito; umas sementes de papoula aqui e acolá; pão com mel e passas, que, torrado com um pouco de manteiga local, ficava divino. De manhã, corria para entregar tudo e recebia pequenos montantes em troca; pequenos montantes que faziam toda a diferença para ela. E a preocupação com a procura de emprego ou com o que estava por vir foi abrandando.”
“Às vezes, à deriva, quando é só você e o mar e nada mais, e tudo que dá para ver de madrugada são as estrelas no céu, longe do farol, e você se deixa levar pelo ritmo de algo muito maior… É, é bom.”
“Algumas ansiedades pioravam muito à noite e ficavam mais manejáveis com a luz da manhã, ou até desapareciam com a primeira xícara de café do dia, como um sonho ruim, ou eram racionalizadas com os afazeres do dia, quando o cérebro ficava sem muito espaço para remoer os erros e as oportunidades perdidas, os arrependimentos e as preocupações com o futuro.”
“Você tem que seguir a sua onda. Não tem outra forma de viver. Precisa fazer o que ama. Primeiro descobre o que ama fazer, depois faz essa coisa com garra e dedicação e aí tudo vai ser ótimo e você vai poder surfar. Assim vai ser feliz. O que te deixa feliz?”
Preparo:

Pegue o livro e parcele entre as horas de leitura, durante o dia (ou dias) selecionado. Coloque tudo em banho maria e, assim que começar a ferver, retire do fogo e deixe o creme descansar.

Junte a barra de ilhota da Cornualha mais as sementes para papagaio-do-mar e o fermento numa tigela e misture até dar liga. Quando estiver bem misturado, coloque a massa sobre uma bancada lisa e vá salpicando a xícara de romance aconchegante enquanto sova a massa até ficar grudenta. Às vezes a massa fica grudenta em excesso, nesse caso, salpique mais um pouco de romance aconchegante.

Para que a massa possa crescer bem, deixa-a descansar por 15 minutos, tampada. Após, junte a pitada de lembrança de barulho do mar, acrescente as colheres de chá de tempestades e deixe a massa descansar enquanto você faz o recheio.

Resenha do livro A Padaria dos Finais Felizes de Jenny Colgan que faz parte do selo Romances de Hoje, da Editora Arqueiro, publicado em 2019.
“Estou trabalhando com uns sites… quer dizer, no geral, eu só ganho na exposição, mas isso vai ajudar a dar visibilidade à minha marca, sabe? Polly sabia muito bem. Empresas que bancavam as espertas para ganhar trabalho de graça, afirmando que era em troca de publicidade – quem não sonharia em não ter que pagar o encanador? Ou o padeiro, inclusive.”
“O mar determinava todas as coisas: se as pessoas atravessariam a ponte ou não, se os homens podiam trabalhar ou não, até mesmo se ela poderia sair de casa. Era parte essencial da vida de todos. Enquanto ela e Kerensa caminhavam em silêncio pelas dunas, Polly entendeu, por fim, o significado de se ter o mar correndo nas veias.”
“É a vida. Nós ficamos aqui e esperamos. Nós, mulheres. Isso é o que fazemos.”
“É uma padaria, a padaria mais incrível que já visitei. Toda manhã, logo de cara, dá pra sentir os aromas maravilhosos das fornadas de pães, e quando ela abre as portas, dá pra comprar pão fresquinho, direto do forno, e comer de pedaço em pedaço sentado na mureta do cais, e em meia hora aparece quase todo mundo da vila para bater um papo e comprar pão, e é assim que Polbearne acorda de manhã. Às vezes, se você se comportar, a moça que cuida da padaria serve uma xícara de um bom café também. Mas não pode importunar, ela vive ocupada.”
Resenha do livro A Padaria dos Finais Felizes de Jenny Colgan que faz parte do selo Romances de Hoje, da Editora Arqueiro, publicado em 2019.

Junte o creme que você reservou com o creme de dar a volta por cima e adoce com mel a gosto. No momento em que o creme estiver bem espesso e firme, coloque-o centralizado na massa, enrole-a e coloque no forno em uma assadeira até ficar crocante, por cerca de 30 min.

Agora é só fatiar e servir!

A receita é certeira, mesmo para principiantes: garante uma boa dose de diversão na cozinha, trabalha a imaginação, a fé na humanidade e, especialmente, a lembrança de que carboidratos não são vilões. Ah e tem um sabor ao fundo que vai desde o mel da Cornualha até a lembrança de que tempestades e tempos difíceis sempre irão existir, mas buscar seus sonhos e acreditar em si, é a dose de esperança que você precisa para dar o primeiro passo. E fazer fornadas incríveis!

Aleatoriedades

Bem como o outro título da Jenny Colgan que já li e é super fofo (A Pequena Livraria dos Sonhos), A Padaria dos Finais Felizes faz parte do selo Romances de Hoje e foi cortesia da Editora Arqueiro.

Resenha do livro A Padaria dos Finais Felizes de Jenny Colgan que faz parte do selo Romances de Hoje, da Editora Arqueiro, publicado em 2019.

A história de Polly fala de várias coisas importantes para além do romance aconchegante. Ao mesmo tempo que ela traz como motor inicial da história a crise bancária de 2008 e as mudanças do mercado de trabalho, introduz a realidade das famílias e regiões que vivem e dependem da pesca ao narrar a vida em Polbearne. Mas acima de tudo, fala sobre a importância de conseguir se reinventar e continuar a caminhar, mesmo quando seus passos possam parecer muito incertos. Uma leitura super recomendada!

Que a Força (e os pãezinhos) esteja com você!

xoxo

Retipatia

3 thoughts on “A Padaria dos Finais Felizes ♥ Jenny Colgan

  1. O seu carinho hoje com as fotos, deu fome, muita fome de doce rs
    Coisa mais linda não de resenha, mas de carinho, de receita de amor.
    Sei que posso seguir a receita e não haverá erro no final(coisa que sempre acontece quando descubro receitas novas)
    Amei de todo o meu coração e de certa maneira, o coração já ficou com açúcar polvilhado por cima!!!
    Beijo

    Angela Cunha

Repense, renove, rediscuta...

%d blogueiros gostam disto: