O Lado Feio do Amor ♥ Colleen Hoover

Em 05.11.2018   Arquivado em Resenhas

Nem todas as facetas do amor são bonitas. Miles Archer sabe bem disso. Quem está prestes a descobrir isso é Corbin Collins, que acaba de conhecê-lo. E tudo isso é só uma pitada da magia que me transformou em uma CoHo lover!

O Lado Feio do Amor

Colleen Hoover

Editora Galera Record

“Às vezes seguir em frente é… a única maneira de seguir em frente.”

Sobre a Autora

Colleen Hoover vive no Texas, com o marido e os três filhos. Autora das séries Slammed e Hopelees, ambos na lista de mais vendidos do New York Times, pode ser encontrada em www.colleenhoover.com.

Sinopse

Quando Tate Collins se muda para o apartamento do irmão, em São Francisco, pronta a se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imagina estar prestes a conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento em que companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin Collins, sabe ser persuasivo. E muito. Apesar de reservado, e da armadura emocional que carrega para não deixar estranhos se aproximarem e descobrirem nada a seu respeito, ele instantaneamente seduz Tate com sue jeito misterioso e físico perfeito. Mas sua beleza esconde um passado repleto de dor. O que os dois sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. Miles, no entanto, se recusa a abaixar as barreiras que construiu em volta de si mesmo e impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será apenas uma relação casual e nada mais; nenhum dos dois quer se envolver. Eles têm a sintonia perfeita. Quando estão juntos, Tate se entrega sem pensar nas consequências, no que seu irmão faria se descobrisse aquele romance proibido acontecendo embaixo de seu nariz. Mas a verdade é que ela não pode resistir a Miles. E quando se dá conta, já ultrapassou todos os limites… Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.

O Lado Feio do Amor

Tate acaba de chegar no apartamento do irmão, em São Francisco, com quem ela vai morar até conseguir um lugar para se mudar enquanto faz seu mestrado em enfermagem e, de cara, já conta com um inconveniente: um bêbado escorado na porta impede a sua entrada e, como seu irmão está viajando, ela precisa dar um jeito nas coisas por conta própria. Logo ela descobre que o estranho mau-humorado é ninguém menos que Miles, o vizinho e amigo de seu irmão Corbin.

“Chego à conclusão de que a aparência dele é completamente contraditória. É como se dois criadores diferentes estivessem em guerra quando a imagem dele foi concebida.”

Não fosse toda a dor que Miles expressa ao pedir perdão à uma tal de Rachel e, claro, ao fato de que ele é muito bonito, Tate poderia passar ilesa aqueles olhos azuis. Mas, bem, não é assim que o mundo gira e, mesmo ciente de que não é um bom momento para se apaixonar, ela embarca em um relacionamento baseado puramente em sexo, as regras são bem simples, não falar do passado e não se apaixonar. Mas, como era de se esperar, nenhum dos dois tem real controle sobre seus corações.

A história segue capítulos intercalados de Miles, há seis anos atrás e de Corbin, atualmente. Aos poucos, vamos descobrindo a história do passado de Miles e o acontecimento trágico que o fez não querer se relacionar com ninguém nos últimos seis anos. Aquele fato que o mostrou o lado feio do amor. O problema é que superar esse trauma, é algo fora de seu alcance.

“Nossa decepção derrete no chão, formando uma poça de lágrimas prematuras aos nossos pés.”

A leitura desse livro foi indicação de algumas amigas que são CoHo lovers. Eu precisava saber qual era essa magia que a Colleen tem que faz as pessoas se apaixonarem por suas histórias e querer ler todos os seus livros. No fim do ano passado, fiz a leitura, fiz fotos para a resenha e acabei me enrolando com as postagens e nunca falei por aqui desse livro. Há um tempo atrás (leia-se no começo desse ano) fiz a releitura e, agora, finalmente, consegui colocar em palavras o que é essa tal magia que me transformou em CoHo lover também e me fez comprar vários livros da autora (que estão na lista interminável de ‘preciso ler logo‘ eheheh).

Um dos pontos mais cativantes em O Lado Feio do Amor é a ideia de segunda chance, que a autora trabalha por todo o livro. Não apenas a segunda chance no amor, mas segunda chance na vida, em como é importante que cada um saiba se perdoar e se permitir essa oportunidade. Miles precisa aprender isso e Tate é o motivo que o faz ir atrás de sua redenção. De deixar o passado lá atrás e viver o dia, o momento, o sentimento que ele sabe sentir, mas que está assustado demais para permitir florescer. Tate, ainda que não tenha um evento traumático como o de Miles, também tem sua segunda chance. Seu momento de ver que o amor pode ser bem mais bonito do que ela já imaginou possível.

“Ela entra lentamente, evitando o meu olhar enquanto observa os próprios pés a cada passo. São os passos mais tristes que já vi uma pessoa dar. Fecho a porta. É a porta mais triste que já fechei na vida.”

Os dois personagens tem suas próprias cargas emocionais e vidas para lidar. E até mesmo a Rachel, que conhecemos sob o olhar de Miles, tem seu lugar especial no coração. É um sobe e desce de ladeira, de sentimentos e, claro, erros, dos dois lados. Tate, por se agarrar ao sentimento que surge e acreditar que o sexo e o pequeno pedaço que Miles a oferece de si, seria suficiente. Mas não é, nem nunca foi. E isso a faz passar por maus bocados.

Já Miles acredita que a melhor maneira de evitar sofrer é não amar nunca mais. Não que o próprio amor saiba disso, na verdade, faz questão de ignorar e, por outro lado, é o empurrão que ele precisava para ser capaz de ir atrás do perdão, especialmente, o de si mesmo. É claro que, ao longo desse trabalho de se resguardar, ele comete muitos erros, como tratar mal Tate em vários momentos em que sente seus sentimentos mais fortes. O detalhe que é bom lembrar é que, a dor de ninguém pode ser argumento para ferir outra pessoa e isso é um ponto que a autora poderia ter reforçado mais na trama, já que o protagonista insiste em colocar a dor dele sobre a das demais pessoas e acaba agindo como um completo babaca idiota na maior parte das vezes. Ele demora, mas consegue perceber isso, o quanto se enganou e tentou afastar aquela mulher que agora é a nova dona do seu coração.

“E percebi… bem agora… que Deus nos dá a parte feia para que possamos dar valor à parte bonita da vida.”

A narrativa da CoHo é fluida e faz a leitura ser rápida, sempre despertando curiosidade, ainda que alguns passos da história sigam como receita de bolo para um bom romance. Nesse livro, a jogada dela é com as palavras, em como Miles adolescente se derretia em palavras pingadas por Rachel, em como a Tate de agora acha que é possível um corpo sólido tornar líquido e, especialmente, traz aquele personagem fofo que é impossível não ser cativado durante a leitura: Cap, o capitão dos vôos do elevador do prédio em que eles moram.

“A diferença entre o lado bonito e o lado feio do amor é que o lado bonito é bem mais leve. A pessoa se sente como se estivesse flutuando. Ele ergue a pessoa. Carrega-a consigo.”

Romance não é meu gênero favorito, não é nenhum segredo. Fantasia sempre toma o primeiro lugar no meu coração, mas, se é para se ler um romance, que seja assim, à lá CoHo, um misto de clichê bem narrado, descobertas e sensações, com personagens perfeitamente imperfeitos e uma história para inspirar e dizer que, na vida, as segundas chances às vezes são mais importantes do que as primeiras.

Aleatoriedades

  • O Lado Feio do Amor é um romance new adult e tem descrição de algumas cenas de sexo dos personagens, mas nada muito gráfico como em romances hot (eróticos).
  • Preciso confessar que essa edição da Galera deixou um pouco a desejar. O livro é bom bonito em si, a capa remete bem às metáforas da história, mas, as folhas brancas (que não são as melhores para leitura) e a qualidade do livro, inclusive da impressão, poderiam ser bem melhores, é do tipo, amassa só de olhar e o meu não é edição econômica.
  • Eu havia feito fotos no ano passado quando li o livro pela primeira vez, em e-book da Amazon. Só que, quando olhei pra elas, não queria usar agora… rsrsrs Resolvi fazer novas, já que agora eu tenho o exemplar físico.

O Lado Feio do Amor está disponível em versão físicas nas livrarias físicas e online do país e o ebook está disponível pelo Kindle Unlimited da Amazon!

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Ouvindo: City Song -Grace VanderWaal

  • Um Caso Perdido ♥ Colleen Hoover – RetipatiaRetipatia

    Em 05.11.2018

    […] que seguiram mais ou menos a sessão de fotos de O Lado Feio do Amor (dá pra ler a resenha dele aqui), que fui montando alguns flat lay e mostrando lá no ig (@retipatia). No fim das contas percebi […]

  • Novembro, 9 ♥ Colleen Hoover – RetipatiaRetipatia

    Em 05.11.2018

    […] outros dois da autora que li foram: O Lado Feio do Amor e Um Caso Perdido (só clicar nos nomes pra conferir as resenhas) e, inclusive, em Novembro, 9, […]

  • Patricia Monteiro

    Em 05.11.2018

    Ainda não conheço a escrita da Collen Hoover, mas fiquei interessada na autora, esse estilo me agrada. Gosto de romances e quando tem uma pitada de drama melhor ainda! Já pelo título podemos ter noção de que não se trata de uma história de amor convencial, há muitas barreiras (traumas) que o protagonista precisa superar pra que consiga viver o amor em toda sua plenitude.


CAPTCHA Image
Reload Image
%d blogueiros gostam disto: