encontrei afago nas páginas quentes braços envolvendo o lado de dentro

Duna: graphic novel

Resenha de Duna: graphic novel, volume 1, publicado pela Intrínseca em 2021, adaptação da obra de Frank Herbert.

Duna: Graphic Novel é tudo que um fã do universo criado por Frank Herbert poderia querer: visualmente bonita e, especialmente, fiel às palavras originárias da obra. Como dizem, é para fã algum botar defeito. Vem conhecer o primeiro volume da HQ definitiva de Duna!

Duna – Graphic Novel – Volume 1 (Dune – The Graphic Novel, Book I)
Frank Herbert
Adaptação Brian Herbert e Kevin J. Anderson
Ilustrações Raúl Allén e Patricia Martín
Tradução Ulisses Teixeira
Intrínseca | 2021 | 176p.
Disponível em Amazon
“Começos são o momento para cuidar, da forma mais delicada possível, para que tudo esteja corretamente equilibrado.”
Resenha de Duna: graphic novel, volume 1, publicado pela Intrínseca em 2021, adaptação da obra de Frank Herbert.

Sobre Frank Herbet, Brian Herbert, Kevin J. Anderson, Raúl Allén e Patricia Martín

Frank Herbert (1920-1986) foi um escritor de ficção científica conhecido por seu livro Duna e suas cinco sequências. Apesar de nunca ter obtido um diploma universitário, Herbert se tornou famoso por suas obras de ficção científica. Até hoje, Duna é uma das mais admiradas obras do gênero. E, para muitos, sua série é considerada o arquétipo de toda ficção científica que a sucedeu.

Brian Herbert, filho de Frank Herbert, escreveu a biografia do pai, Dreamer of Dune [O sonhador de Duna]. Brian também colaborou com o autor Kevin J. Anderson para escrever diversas sequências e prequels para a obra-prima de seu pai, sendo que todas entraram na lista de mais vendidos do The New York Times.

Kevin J. Anderson é um autor de ficção científica americano com mais de cinquenta best-sellers. Escreveu spin-offs de Star WarsStarCraft e Arquivo X. Com Brian Herbert, é coautor da série de prequels de Duna. Mora no Colorado com a esposa.

Raúl Allén é um artista e diretor que mora em Valladolíd, na Espanha. Allén já trabalhou para a Marvel Comics, para a Valiant e para a DC Comics junto a escritores como Matt Fraction, Jeff Lemire, Matt Kindt e Peter Milligan. Como ilustrador, trabalhou com Quentin Tarantino, e seu trabalho já apareceu em publicações como PlayboyRolling StoneThe New York Times e The Wall Street Journal.

Patricia Martín é letrista, desenhista de quadrinhos e ilustradora. Foi indicada a diversos prêmios Harvey. Nos últimos quatro anos, trabalhou em Mulher-Maravilha com Steve Orlando, Bloodshot Reborn com Jeff Lemire, Ninjak com Matt Kindt, e Secret Weapons com o artista Raúl Allén e o escritor Eric Heisserer. Ela mora na Espanha.

Sinopse de Duna: graphic novel – volume 1

Em 1965, um livro revolucionaria por completo a ficção científica e se tornaria um marco da literatura e da cultura pop. Com sua narrativa inovadora, unindo aventura, fantasia, religião, política, tecnologia e ecologia, Duna é uma das sagas mais bem-sucedidas da história e inspirou outros clássicos, como Star WarsBlade Runner e Alien. Agora, essa obra-prima ganha uma versão em graphic novel fiel à exuberância e à complexidade do universo criado por Frank Herbert.

Num futuro distante, a casa Atreides, liderada pelo duque Leto, se prepara para uma jornada até o planeta desértico de Arrakis. Também conhecido como “Duna”, esse lugar cercado de mistérios e perigos é a única fonte da substância mais valiosa do cosmos. O duque precisará se aliar aos nativos, os fremen, se quiser impedir que a casa Harkonnen assuma o controle do planeta. E é lá que seu filho, Paul, conhecerá seu destino. O jovem pode ser a chave de um plano traçado há séculos e uma peça importante no jogo de poderes do império.

Adaptado com maestria por Brian Herbert, filho do autor, e por Kevin J. Anderson, este primeiro volume da série de graphic novels conta com as cores vibrantes das artes de Raúl Allén e Patricia Martín. Em 2021, a aguardada adaptação dirigida por Denis Villeneuve chega aos cinemas, com Timothée Chalamet e Zendaya no elenco.

Resenha de Duna: graphic novel, volume 1, publicado pela Intrínseca em 2021, adaptação da obra de Frank Herbert.

A Adaptação de Duna: graphic novel – volume I

Quando o assunto é adaptar obras muito aclamadas, os fãs tendem a ficar receosos. Afinal, sempre vai ter uma ou outra cena que a gente considera importante e que não estava lá ou então algum evento ou personagem vai desaparecer, outro será criado e até, quem sabe, o que chamamos de essência da história resta modificado. É fazer querer que existisse uma opção de desver para não passar raiva.

Quando o assunto é Duna: Graphic Novel, a história não poderia ser diferente. Quer dizer, os fãs esperavam que não fosse diferente e que, de fato, honrasse a obra de Frank Herbert. E, para a alegria dos leitores e adoradores desse universo incrível, a ideia de Brian Herbert e Kevin J. Anderson era de que essa fosse uma graphic novel definitiva de Duna. E, a partir disso, como o próprio livro possui, dentro de si, uma separação em três livros, era justo que a HQ abordasse toda a amplitude do universo de Arrakis e também se dividisse. Assim, nasceu o primeiro volume da HQ que aborda precisamente a história do primeiro livro de Duna.

“Nas profundezas do inconsciente humano, há uma necessidade universal por um mundo lógico, que faça sentido. Porém, a realidade está sempre um passo além da lógica.”

E falo precisamente porque, nesse quesito, os fãs podem erguer as mãos e dizer: eu tenho algo genuíno em mãos. Isso porque o trabalho realizado pelos roteiristas Herbert e Anderson prezou pela importância de retratar o mundo de Duna tal qual ele fora criado por Frank Herbert. Não se trata de uma releitura ou adaptação no sentido de que foram tomadas extremas liberdades criativas. O que Duna: Graphic Novel lhe dá é uma versão em quadrinhos do livro.

O que é, além de uma baita alegria para quem gosta de ver a obra sendo transformada de formato, mas não alterada, também a possibilidade de quem quer adentrar nesse mundo por um caminho, digamos assim, mais conciso. Já que a HQ conta com suas 126 páginas ilustradas versus as 263 páginas da primeira parte do calhamaço de Frank Herbert (Editora Aleph | 2017).

Resenha de Duna: graphic novel, volume 1, publicado pela Intrínseca em 2021, adaptação da obra de Frank Herbert.

Lendo Duna: Graphic Novel

Já quando o assunto é a experiência de leitura eu posso continuar a repetir a palavra incrível nesse texto que não seria suficiente. Terminei a leitura de Duna no mês de outubro numa leitura coletiva que promovi no meu Clube do Livro (aproveita e vem conhecer o Coletivo da Retipatia) e esse mês de novembro foi o momento perfeito para ler a Duna: Graphic Novel. Não apenas porque a história está fresca na memória, mas porque foi uma bela forma de revisitar esse universo que eu já estava sentindo falta. E ainda casou com o timing para assistir à nova adaptação do livro em filme, que está disponível na HBO Max e que também se atém à primeira parte de Duna, tal qual a Graphic Novel.

Para quem ainda não se aventurou nem no filme adaptado de 1984 de Duna, talvez até saiba que a história se passa em um mundo repleto de areia. Um globo feito de areia. Mas a questão é que Duna é dos universos mais ricos já criados na literatura. Para alguns, é o mais rico. Além de um trabalho incrível narrativo, com personagens complexos, uma trama super bem costurada, Duna é a fonte de inspiração de muitas obras contemporâneas. É a fonte, ainda que com água exígua (oh brincadeira sem graça ahaha), de autores e universos que surgiram depois dele, que foi lançado pela primeira vez em 1965.

Resenha de Duna: graphic novel, volume 1, publicado pela Intrínseca em 2021, adaptação da obra de Frank Herbert.
“Não devo ter medo. O medo mata a mente. O medo é a pequena morte que traz a obliteração total. Devo encarar meu medo. Devo permitir que ele passe por mim e me atravesse. E, quando tiver passado, usarei meu olho interior para ver seu caminho. Onde havia medo, nada restará. Apenas eu permanecerei.”

Além de tudo isso, Duna: Graphic Novel, com sua perspicácia em traduzir a história de Frnak Herbert em quadrinhos, honra todos os temas presentes na obra-prima, desde a textura dos personagens, suas variações culturais, representadas também nas ambientações e costumes, como também nas questões políticas, sociais, econômicas, religiosas e ecológicas que são marcas profundas do universo de Duna.

Seja você um fã da saga Duna, é certo que deve ler essa HQ. Seja você alguém que quer adentrar o mundo da ficção científica, ou descobrir o que é que, afinal de contas, Duna tem de tão incrível, você também precisa ler. Eu não dispenso a leitura do livro, mas ler a HQ a pode ser a gota que vai levar você a querer saborear todo o universo criando por Frank Herbert. Uma HQ com Selo Retipatia de Qualidade!

Resenha de Duna: graphic novel, volume 1, publicado pela Intrínseca em 2021, adaptação da obra de Frank Herbert.

Aleatoriedades

A graphic novel Duna foi recebida em parceria com a Editora Intrínseca.

Para quem quiser conhecer outras HQ’s de ficção científica, as dicas são Oblivion Song e Descender. E, claro, leia Duna!

Que a Força esteja com você!

xoxo

Retipatia

Comente este post!

  • Angela Cunha Gabriel

    Eu consegui a proeza, não me pergunte como, de comprar dois livros na Bf e um deles foi essa Graphic rs e O Menino Que Desenhava Monstros(que você colocou o link no grupo e fui lá sem nem pensar e peguei rs) ainda não paguei, mas Deus toma conta rs
    E eu vi o filme já duas vezes e sei que essa Gn será um presente e tanto para mim mesma!!!
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

  • Treep

    Eu amo o livro Duna, mas não sabia que existia essa Graphic Novel. Agora só tem de comprá-la