HQ & Graphic Novel Mundo Literário Resenhas Literárias

Batman: Ano Um ♥ Miller & Mazzucchelli & Lewis

Resenha de Batman: Ano Um de Frank Miller & David Mazzucchelli

Batman: Ano Um é um clássico da história de um dos super-heróis mais amados, que tem roteiro de Frank Miller, desenhos de David Mazzucchelli e cores de Richmond Lewis. Uma graphic novel que não apenas marcou época, mas que figura por décadas como um dos principais marcos na contagem da história do homem morcego.

Batman: Ano Um (Batman: Year One)
Frank Miller & David Mazzucchelli & Richmond Lewis
Tradução de Jotapê Martins | Helcio de Carvalho
2011 | 148 páginas
Panini Books
Disponível em Amazon
“Eu não estou pronto. Tenho os meios, as habilidades… mas não o método… Não, não é verdade. Eu tenho centenas de métodos. Mas alguma coisa não está certo. Tenho que esperar.”
Sobre Frank Miller

Frank Miller (nascido em 27 de janeiro de 1957 em Olney, Maryland), é um autor e desenhista de histórias em quadrinhos norte-americano. Ele é mais conhecido pela linguagem sombria que utiliza em seus quadrinhos, marcados pela presença de alto-contraste e um estilo que lembra o film noir.

Filho de uma enfermeira e um carpinteiro/eletricista, é o quinto de sete irmãos. Criado em Montpelier, Vermont Miller tornou-se desenhista profissional e trabalhou para diversas editoras, incluindo a Gold Key, a DC Comics e a Marvel Comics. Nos anos recentes tem desenvolvido atividades junto a cineastas de renome tais como Robert Rodriguez e Quentin Tarantino, do qual resultou o filme Sin City; e 300, ambos cópias fiéis de obras em quadrinhos.

Sobre David Mazzucchelli

David Mazzuchelli iniciou a sua carreira no final dos anos 80, trabalhando no gênero “super-heróis” para a Marvel e a DC. Comics, as duas maiores editoras de quadrinhos dos Estados Unidos. Tornou-se desenhador regular de Demolidor, começando a afirmar o seu estilo e a fazer-se notar. Frank Miller viria a mostrar interesse em colaborar com Mazzucchelli, tendo ambos assinado “Born Again” e “Batman, Ano Um”.

Abandonou as séries marcadamente comerciais em que trabalhara. E, depois de ter publicado três números da sua revista “Rubber Blanket”, e de ter colaborado em diversas antologias e revistas como “Drawn & Quaterly”, “Snake Eyes”, “Zero Zero” e “Little Lit”, Mazzucchelli, em colaboração com Paul Karasik, transformou “Cidade de Vidro”, de Paul Auster, numa novela gráfica, uma obra que confirmou a sua grande notoriedade.

Resenha de Batman: Ano Um de Frank Miller & David Mazzucchelli
Sinopse de Batman: Ano Um

Em 1986, Frank Miller e David Mazzucchelli produziram esta revolucionária reinterpretação da origem do Batman. Sobre quem ele é e como se tornou o que é.

Escrito pouco após Batman: O Cavaleiro das Trevas, a distópica fábula de Miller sobre os últimos dias do Homem-Morcego, abriu caminho para uma nova visão de um lendário personagem.

Esta edição inclui a história na íntegra, uma introdução pelo escritor e um posfácio ilustrado pelo artista. Inclui também mais de 40 páginas de estudos de personagem, roteiro original, esboços e fornece mais do que um vislumbre na criação desse clássico contemporâneo.

Resenha de Batman: Ano Um de Frank Miller & David Mazzucchelli
Batman: Ano Um

Gotham, como qualquer cidade do mundo real é cheia de extremos. De um lado a pobreza latente, de outro, a riqueza de poucos. Esse paralelo nos apresenta à história de Ano Um de Frank Miller com Gordon (ainda não Comissário), iniciando a vida na polícia de Gotham, que tem corrupção saindo pelos poros. De outro, temos Bruce Wayne retornando à cidade após uma ausência de doze anos e prestes a se tornar o vigilante noturno que já conhecemos.

É interessante como a vida dos personagens se mescla e vai sendo desenvolvida ao longo da HQ. Gordon, com a esposa grávida, as preocupações com a família sempre em mente, mas mantendo sua índole. A do policial incorruptível, ainda que saiba que o sistema irá tentar derrubá-lo incessantemente.

Resenha de Batman: Ano Um de Frank Miller & David Mazzucchelli

Com Bruce Wayne, temos a formação de Batman, não apenas em termos de passado e o que o leva a agir atrás de uma máscara como um justiceiro, envolvendo seu passado trágico com a morte precoce de seus pais. Mas aquele lado prático também, que precisa aprender a lutar, se defender, estabelecer regras e limites, modos de agir. O morcego surge como a resposta, Bruce sabe que o medo é um fator ótimo para oprimir e controle. É o do medo que ele precisa, então, por que não utilizar o próprio medo?

Resenha de Batman: Ano Um de Frank Miller & David Mazzucchelli
Batman Ano Um: personagens consagrados e aura sombria da HQ

Vamos ver ainda nesta história alguns personagens muito conhecidos da saga do Batman: Harvey Dent, o promotor público que virá a se tornar o Duas Caras e Selina Kyle, a Mulher Gato. Harvey é bem próximo do que as histórias costumam contar, mas Selina Kyle ganha um viés “novo” (considerando a data da HQ, não é novo, apenas não muito difundido em se tratando das mídias do cinema) ao ser apresentado não apenas como a ladra que conhecemos, mas também sendo uma garota de programa.

A atmosfera obscura e carregada que conhecemos hoje como sendo característica do mundo de Batman está presente na HQ, nos traços bem marcados de David Mazzucchelli e que dão um quê de noir e me remete ao estilo das primeiras HQ’s do homem morcego. Particularmente, o estilo de Mazzucchelli, não é dos meus favoritos, mas nada que estrague a história, é claro.

Resenha de Batman: Ano Um de Frank Miller & David Mazzucchelli
Batman Ano Um: é mesmo tão inovadora?

Um ponto interessante é que, aos olhos de quem conheceu o Batman através dos filmes e das animações de tevê, a obra pode não parecer muito inovadora (aos meus ao menos, não pareceu). Mas é necessário lembrar que estamos falando de uma HQ de 1986 (mais velha do que esta que vos escreve). Então, é claro que a visão da época era outra, completamente inovadora e que não apenas marcou época como é, até os dias de hoje, inspiração e referência. E isso se reconhece pelos temas abordados, pelo estilo da história e a construção inteligente que se desenlaça nos dois pólos Batman-Gordon, dando início ao que já sabemos estar por vir.

Resenha de Batman: Ano Um de Frank Miller & David Mazzucchelli

Dado interessante é que, na época em que a HQ foi lançada, a DC Comics estava colocando a vida em ordem. Os arcos dos personagens estavam confusos e foi necessários um reset para que fosse possível que os fãs acompanhassem as histórias de seus heróis. Daí, a história de Miller vem suprir a necessidade de se mostrar o início do Batman, com sua motivação e surgimento, alinhavando sua história ao mundo de Gotham.

Resenha de Batman: Ano Um de Frank Miller & David Mazzucchelli

Uma HQ super recomendada para fãs do Batman, fãs de heróis e, claro, se você deseja conhecer mais sobre o herói mais amado do mundo (ahaha sim, ele é meu favorito sempre!)!

Aleatoriedades
  • A leitura de Batman: Ano Um foi dando sequência à proposta de conhecer mais sobre o personagem através das HQ’s, já que o que eu conhecia estava restrito aos filmes. Meu namorado deu a ideia e está me emprestando as HQ’s para leitura. A primeira a ser lida foi A Piada Mortal de Alan Moore, que eu amei muito e dá para conferir a resenha clicando aqui!
  • Ah dica de leitura: a versão em e-book da HQ Batman: Ano Um em inglês está disponível na Amazon pelo Kindle Unlimited, quem for ler e tiver e-reader, sabe que a tela é apenas em p&b, então talvez seja legal você ler pelo Amazon Cloud Reader (pc) ou em um tablet (ou similar). Vai manter as cores e ter uma legibilidade bem legal também!

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Retipatia

8 comentários

  1. Vazio Na Flor says:

    Talvez até não soe como inovadora para quem já é fã demais do gênero ou que venha lendo Hq’ mais “modernas”, digamos assim. Para a donzela aqui que conhece bem pouco, ver um quadrinho assim de 1986 nessas cores e trazendo o tom sombrio de Gotham é maravilhoso.
    Batman sempre foi um dos poucos heróis que eu curti e curto. Tanto que vi a série Gotham recentemente e adorei!!!
    Por isso..dá um pão de queijo????
    Sacanagem viu?rsrsrs a mineira aqui sentiu a barriga roncar.

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa;O Vazio na Flor

  2. @milenenas says:

    Acho que acompanhar seu blog/instagram está começando a fazer meu preconceito contra HQ’s se dissolver, rs.
    Sou viciada em Batman o cavaleiro das trevas (os filmes) e achei essa edição que você mostrou tão bonita que fiquei com vontade de ler. Não sei se me acostumaria com o formato da história, meu preconceito ainda vive em mim, mas agora tem o interesse tbm, então a briga tá feia rsrsrs

    Obrigada pela resenha e fotos tão bem feitas!!

    Meu ig: @milenenas

  3. ma.riah6256 says:

    Depois do seu post acho que vou me incentivar a ler mais HQ’S! Sempre é bom ler livros novos ou em um formato diferente. Achei essa HQ um capricho! Ilustrações muito bonitas !

  4. @milenaolis says:

    Estou simplesmente APAIXONADAAAA por essa HQ. Essas ilustrações estão impecáveis. Em uma certa fase da vida eu simplesmente viciei nas HQs do Coringa, não sei explicar essa paixão ahahahaha acho que chegou a hora de dar lugar ao Batman. Amo muito esse diferencial de nós tornar mais próximos do personagem, conhecê-lo melhor! Tô apaixonada, apenasss.

  5. Livrosdeumafisica says:

    Esse HQ é mto lindo. Mesmo sendo fiel a Marvel, é impossível não se apaixonar por ele. O morcego sempre vai ter um lugarzinho especial no meu coração.

  6. Adaiane pereira says:

    Estou lendo HQ, mas comecei pelo universo da turma da Mônica, meu filho ler bastante e me conta muita coisa do universo da DC e da Marvel.
    E posso dizer pra quem tá com ressaca literária ler uma HQ ajuda bastante a voltar a ler.
    E sobre o Batman, eu gosto dele, mas vou sempre preferir o super man .

    @adaianepsl

  7. Evelin Danieli says:

    Adoro esse cavaleiro das Trevas, aliás é meu herói preferido. Essa HQ é realmente muito antiga, mas não conhecia. Os desenhos delas são incríveis, inclusive sua edição é maravilhosa. Que pena que não tem tanta inovação para quem já conhece um pouco da história do Batman. Adorei a resenha!

    @evelindanieli357

  8. Ultimamente eu não posso ver uma HQ que já quero e está está lindíssima, as cores estão perfeitas. Acho que a criança que habita em mim e que amava o Batman está querendo fazer eu gastar dindin num futuro próximo com uma dessa kk.

Repense, renove, rediscuta...