A Bela e o Chefe ♥ Ruby Lace

Em 17.04.2018   Arquivado em Resenhas

Contos de fadas são fontes inesgotáveis de inspiração, são vários e vários romances que se desdobram dessa fonte inesgotável e, alguns deles, conseguem trazer as mensagens mais importantes para histórias contemporâneas e cheias de elementos que remetem aos clássicos mais favoritos. A Bela e o Chefe, da Ruby Lace segue essa ideia e encontra inspiração, como o nome já indica, em A Bela e Fera.

A Bela e o Chefe

Autora Ruby Lace

Publicação Independente

“…se essa menina não era a minha perdição… era minha cura…”

A Autora

Ruby Lace é o pseudônimo de uma autora carioca de 28 anos. Sonhadora e romântica assumida, Ruby tem como seu único vício a leitura e, sua grande paixão, a escrita. Ama ler e escrever histórias que fazem seu coração disparar, romances que mexem com seus sentimentos de diversas maneiras e de finais felizes. Como toda boa carioca, gosta dos dias ensolarados, das belezas praianas e de usar havaianas.

Sinopse

O primeiro trabalho de Nora Maia está longe de ser o dos seus sonhos, e ainda mais longe da área profissional a qual ela almeja seguir e lutou com unhas e dentes para ingressar na faculdade, a de medicina. Em vez disso, Nora sacrificou tudo para trabalhar como governanta de um dos homens mais ricos e cobiçados do país, Átila Douglass. Mas todo sacrifício é válido para ajudar àqueles a quem ama.

Átila Douglass nasceu em berço de ouro, é um grande apreciador de bebidas e mulheres, vantagens de ser herdeiro de uma grande rede de cervejaria. Seu nome é mundialmente conhecido pela marca de qualidade Douglass. No entanto, por trás do sorriso galanteador e do bom status, se encontra um homem grosseiro e com um temperamento difícil de lidar. Nenhuma pessoa foi capaz de suportar sua personalidade tempestuosa por muito tempo, com exceção dela.

Isolados em uma ilha, segredos sombrios vem à tona, assim como o sentimento que desperta entre os dois. Porém, diante de um momento difícil e perturbador, o maior sacrifício ainda será feito, tudo em nome, é claro, do amor.

A Bela e o Chefe

Nora é uma jovem que sempre batalhou por seus planos, estudou muito para conseguir ingressar na faculdade para cursar medicina e, agora, a vida lhe impõe mais um desafio. Sua mãe está com sérios problemas de saúde, o que a impede de trabalhar para manter a si e ao filho mais novo, Nico, então, Nora assume a responsabilidade, trancando a faculdade e indo trabalhar na mansão Douglass, como governanta.

“Mas a amizade é isso, estar presente quando todos dão as costas e compartilhar não só os bons momentos como os ruins também.”

O único detalhe é que ela não esperava encontrar lá um verdadeiro antro de libertinagem, com seu chefe de aparência sedutora sempre a chamar sua atenção com seu corpo escultural e comportamento ríspido. Apesar disso, o coração de Nora vai lhe mostrar que nada acontece por acaso e, assim como Átila, ela se vê cada dia mais e mais apaixonada, cada um revelando mais de si a cada momento que passam juntos, especialmente quando uma tempestade os faz ficarem ilhados por dias na mansão Douglass.

O que poderia ser um romance perfeito, capaz de unir dois corações despreparados, será colocado à prova quando Nora descobrir o segredo de Átila. Um segredo que pode afetar todas as vidas ao seu redor. Será o amor suficiente para lutar pelo homem que costumam chamar de Fera?

“…cada vez ficava mais difícil, a escuridão chamava por mim como um canto de sereia, atraente e perigosa.”

Ruby nos apresenta uma versão contemporânea de A Bela e a Fera, com direito a várias e várias referências ao adorado conto da Bela e a Fera e um roteiro que, apesar de seguir o estilo do conto original, se desdobra em um romance repleto de detalhes e com uma abordagem atual e importante.

A história segue a narrativa dupla dos dois personagens principais, Nora e Átila, intercalando a narrativa e voltando nas cenas, para mostrar o ponto de vista de cada um daquele momento vivido. Preciso confessar que isso me fez ter raiva por um tempo, já que eu lia uma cena e revia boa parte dela, logo em seguida, pelo ponto de vista do outro personagem, mas, a medida que a leitura continua, isso serve para entender melhor a motivação dos personagens e suas reações ao longo da trama, tanto quanto sobre seu passado.

“Daquela vez eu sabia, seria o meu recomeço ou o meu fim definitivo.”

Nora nos é apresentada da melhor forma possível, ela é uma pessoa amorosa, cheia de vida e disposta a batalhar por seus sonhos. E, mesmo que seja difícil ter que largar seu sonho por um tempo e todo o sofrimento que isso lhe causa, ela também está disposta a passar por qualquer dificuldade, quando se trata daqueles que ama, seja por sua mãe e seu irmão Nico ou até mesmo quando se trata do seu relacionamento recente e intenso com Átila. Uma versão digna de uma das princesas de contos de fadas mais amadas.

Já a nossa Fera sofre dos mesmos problemas que a besta a qual estamos acostumados a associar passa: mimado, temperamento ruim, grosseiro e não sabe lidar com seus sentimentos e passado. Mas, como não estamos falando de uma história fantástica, em que o príncipe é enfeitiçado para virar uma fera, temos a versão mais interessante disso, um homem belo (suspiros por esse Átila da capa, né?!), que esconde dentro de si a rudeza e aspereza do monstro. Seu passado lhe moldou assim e ele permitiu que todo o sofrimento fosse seu único sentimento motor.

“Não basta querer mudar por outra pessoa, querida. Mudar por amor é muito bonito e poético, mas o primordial é querer mudar por amor próprio.”

O amor entre os protagonistas surge no sentimento amigável que se desenlaça aos poucos, com a convivência, e dá chama à paixão ardente, mas, na mesma intensidade que surge, é colocado à prova quando nossa bela Nora descobre o que Átila tanto deseja esconder. É o momento de saber que o amor só encontra força quando podemos contar com que está ao nosso lado.

Um dos pontos altos da história é a abordagem de um dos problemas do mundo atual, já que a Fera, em seu tormento, pelas perdas que teve no passado, acabou por levar-se ao vício por cocaína. É um verdadeiro maremoto que os personagens vão enfrentar, desde a aceitação até a decisão em passar pelo tratamento e período de desintoxicação. É uma realidade triste e difícil, e que é relatada de maneira importante e com o lembrete de que a vida de todos sempre será marcada pelos danos da droga, mas que, sem dúvida, seguir em frente com ferimentos cicatrizados é melhor forma de impedir que a vida seja perdida para o vício nas drogas.

“Mas não importa o quanto seja amado por outras pessoas, você nunca sentirá que é merecedor desse sentimento se não amar a si próprio.”

A Bela e o Chefe é um romance que tem muito mais da realidade do mundo que de contos de fadas e, que, ainda assim, ou por isso mesmo, encanta o leitor!

Aleatoriedades

  • A capa do livro foi atualizada, agora com o modelo Tim Damen (gato-lindo-maravilhoso) e foi feita para o lançamento no formato físico, que ocorrerá no dia 10/06/2018, no evento The Gift Day Love;
  • Quando fiz a leitura do livro, foi com a capa antiga, mas fiquei toda feliz quando fui fazer as fotos para a resenha já com essa capa maravilhosa de relançamento e amei demais fazer algo inspirado no conto da bela e a fera!

O ebook de A Bela e o Chefe está disponível para leitura na Amazon e também pelo Unlimited. A versão física será lançada no dia 10/06/18 e a disponibilidade pode ser verificada diretamente com a autora.

Que a Força esteja com vocês!

xoxo


CAPTCHA Image
Reload Image

%d blogueiros gostam disto: