As Pequenas Coisas ♥ Lola Salgado

As Pequenas Coisas é um conto especial do livro A Linguagem do Amor, da autora Lola Salgado e fala sobre como a vida é feita de pequenos momentos, que são capazes de dar nome ao mais desejado prêmio da humanidade, também conhecido como felicidade.

Para quem ainda não leu o livro, esta resenha contém spoilers!

As Pequenas Coisas: um Conto de A Linguagem do Amor

Autora Lola Salgado

Publicação Independente

Sobre a Autora

Lola Salgado é o pseudônimo de uma escritora paranaense que acredita fervorosamente que o sushi foi talvez a melhor invenção da humanidade. Gosta dos dias mais frescos, de café amargo e de histórias que mexem com os seus sentimentos. Está em relacionamento sério com os livros desde que se considera por gente, e escreve porque alguém certa vez lhe disse que era assim que se fazia magia. Desde então, levou isso como lema de vida.

Lola é escorpiana, nascida em novembro de 93. Seu livro de estreia, O Advogado, conquistou 1,2 milhões de leituras no Wattpad e ocupou o 8º lugar na Lista de E-books Independentes Mais Vendidos da Amazon no ano de 2016. A continuação, O Acusado, ganhou o prêmio internacional, Wattys, no Wattpad, concorrendo com outras 100 mil obras participantes. A Linguagem do Amor figura desde o lançamento na lista de mais vendidos, contando com mais de 700 avaliações na Amazon e mais de 6 milhões de leituras. No ano de 2017 a autora firmou contrato com a Harlequin Books, para publicação de um livro inédito em 2018.

Sinopse

O problema é que a felicidade não é sólida e inatingível como uma parede de concreto. Pelo contrário. A vida é inconstante e, mesmo nos momentos mais felizes, existem espaços de vazio e incerteza.

Depois de 6 anos de casados, Rebecca tinha tudo para estar vivendo o seu ‘felizes para sempre’, mas quando a rotina se instala e as dificuldades do dia-a-dia aparecem, é impossível ignorar a enorme sensação de se encontrar em uma rua sem saída, incapaz de seguir adiante. Tudo o que Adônis mais anseia é ajudá-la, porém em meio as suas frequentes viagens a trabalho, eles parecem se desencontrar cada vez mais. Aos poucos, eles vão perceber que só há um jeito de recuperar a relação e encontrar o equilíbrio — descobrindo o valor das pequenas coisas.

As Pequenas Coisas

Já se passaram seis anos desde o final feliz de A Linguagem do Amor e, apesar de tudo, nosso casal adorado #chewbecca é tão gente como a gente, que também passa por altos e baixos na vida.

Apesar de nos primeiros anos Becca ter seguido Adônis para os quatro cantos do mundo em suas turnês, chegou um momento em que ela não aguentava mais a rotina extenuante. Precisava focar também no seu trabalho e, por isso, já não viaja com tanta frequência, junto do marido.

O detalhe é que Becca, mesmo sabendo de todas as coisas boas que a vida lhe proporcionou, se sente incompleta, vazia de alguma maneira. Nada não tem mais a mesma graça que antes e, assim, é impossível não se sentir sozinha e deprimida.

“O problema é que a felicidade não é sólida e inatingível como uma parede de concreto. Pelo contrário. A vida é inconstante e, mesmo nos momentos mais felizes, existem espaços de vazio e incerteza. Eu tentava fixar na mente o mantra de tudo bem não estar sempre bem.”

Ao longo dos dias que acompanhamos Becca e, da inesperada perda que o casal sofre logo no começo da história, vemos todos os dilemas que a acometem. Ela não se vê mais refletida do espelho, é um invólucro de quem já foi, nada do que faz parece ter o mesmo sabor.

Mesmo diante da tristeza, ela começa a refletir no que pode tê-la levado à este estado, o que, no fim das contas, ela deixou para trás, junto a Becca que sentia prazer, alegria e gratidão? É então que as pequenas coisas surgem, aquelas perdidas ao longo da jornada e que só poderiam ser recuperadas por ela mesma, não apenas em busca de alegria, mas em busca de se reencontrar.

“Tudo passa. Os momentos ruins e os bons também. Um problema que parece irreparável, e também aquele instante em que você fecha os olhos e deseja que o tempo pare só um pouquinho. A vida é feita de ciclos. Cada um deles com o seu começo, meio e fim. Quando um capítulo acaba, logo vem outro. E outro. E mais outro. Alguns prometem lágrimas, outros, suspiros de felicidade. Mas sempre tem uma nova cena, uma nova fase e novas surpresas.”

Lendo As Pequenas Coisas

Parece que um mundo de coisas ocorreram desde que fiz a leitura desse conto. Muita maré baixa para pouca maré alta, a balança, sem dúvidas, descompensada. Talvez, mais ou menos como a personagem se sente no começo da história. E, recentemente, tive uma perda igual à dela, de uma forma que deixa marca e um vazio na vida.

E, por incrível que pareça, me peguei pensando nessa história em vários momentos. Em como, apesar de tudo, a saída para nossos problemas, para nossas angústias está sempre em nós mesmos. Não que sejamos obrigados a levar nossas batalhas de maneira solitária, de modo algum, precisamos de companhia, do outro, do ombro amigo, das companhias e de todo tipo de amor. Mas, em especial, precisamos reconhecer para nós mesmos o que está quebrado dentro da gente, porque a dor é nossa, e somente cada indivíduo é quem sabe o peso que carrega.

“A vida não nos espera. Ela continua em seu ritmo constante e cabe a nós nos esforçar para alcançá-la e não ficar para trás. Não dá para pedir que o tempo pare, da mesma maneira que é impossível fazer com que as ondas do mar deixem de se quebrar. Afinal de contas, os capítulos continuam sendo escritos. Palavra por palavra. Frase por frase. Parágrafo por parágrafo. Às vezes eles acabam bem. Mas, às vezes, nos deparamos com os tombos que a vida dá.”

Descoberto esse peso, temos a escolha de estagnar e lamentar ou pedir ajuda, dizer, eu preciso de ajuda, e começar a seguir em frente. E falando de ajuda, conta também a que damos à nós mesmos. Permitindo-nos chorar quando é preciso, reclamar, abandonar, sentir e sofrer. Mas também permitindo secar as lágrimas, agradecer, agregar, sentir um pouco mais e amar. Amar a si, em especial.

Tudo isso lembrando que não se trata de uma receita de bolo, faça isso, siga aquilo, e voilà, está pronto pra próxima. Longe disso. Cada pessoa tem suas batalhas externas e internas, o peso do seu passado e a possibilidade de alterar o seu presente. As Pequenas Coisas fala exatamente sobre isso, descobrir o que te faz bem, o que faz de você ser quem é e o que te dá alegria e felicidade. Porque estas, não são estados constantes da vida, são compostas de etapas e momentos, as quais deixam os momentos tristes, exatamente assim, passageiros. E é isso que Becca nos mostra, que é possível perseverar mesmo nos momentos mais obscuros e que, o caminho para nos reencontrar está em cada um de nós!

“Nas pequenas atitudes. Aquelas que fazemos sem pensar. Que revelam o que habita no fundo da alma.”

Como seria impossível deixar de falar, no conto, Lola mantém sua escrita cativante e, traz para gente, além dessa mensagem linda sobre perseverança, um pouco mais da história de Chewie e Becca, casal que nós aprendemos a amar lá em A Linguagem do Amor!

Além disso, mesmo sendo uma história curta, Lola conseguiu mostrar bem o amadurecimento da personagem principal, Becca. Não apenas em relação ao seu relacionamento com Adônis, mas também em outras áreas da sua vida. É muito legal ter essa visão tanto de evolução quanto de continuidade dos personagens, já que, ao terminar um livro, quem nunca parou para pensar: e o que eles fizeram depois do felizes para sempre?

“A felicidade, afinal, não se trata de nada além dos microssegundos em que somos pegos de surpresa. Quando estamos despreparados, desprovidos de nossas máscaras, de nossas armaduras.”

Fique claro, não se trata de um conto de fadas ilusório em que tudo está predestinado a dar certo após a troca de alianças. A história do conto, como a do livro, têm a delicadeza de relatar a realidade através do romance. São pedaços da vida de personagens que juramos ser nossos amigos ou, quem sabe, um vizinho.

As Pequenas Coisas é uma leitura mais que necessária para os leitores de A Linguagem do Amor e, para quem não conhece, fica o convite. Um dos melhores romances que li em 2017 (rolou resenha bem amorzinho, que você pode conferir clicando aqui) e, sem dúvidas, um dos que ganharam lugar especial no meu coração.

E você, quais as pequenas coisas que te motivam?

“A verdade é que é muito difícil sair da zona de conforto, mesmo quando ela não é tão confortável assim.”

Aleatoriedades

  • Estranhamente ou não, esse livro me fez pensar em O Fabuloso Destino de Amélie Poulain. Calma, já explico….  No filme, que a personagem principal, Amélie, com seu jeito único, é uma autêntica apreciadora dos pequenos prazeres da vida e, de certa forma, ainda que em tom totalmente distinto, tem uma relação com essa ideia de aproveitar momentos e pequenas coisas . Para quem não assistiu, eu super recomendo!
  • 5 páginas de quotes, foi difícil selecionar as que viriam aqui pro post… ahahah
  • As velas das fotos é da minha lojinha, a Coisas de Sis, para quem não conhece, fica o convite para passar lá e conhecer as fofuras disponíveis!

O ebook de As Pequenas Coisas e de A Linguagem do Amor estão disponíveis na Amazon e também pelo Kindle Unlimited!

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Ouvindo: Stubborn Love – The Lumineers

Repense, renove, rediscuta...

  1. Eu adoro romances da vida real.
    Não conhecia o livro mas já coloquei na imensa lista rs, mas como você disse que foi um dos melhores que lei em 2017 já passei ele na frente dos outros.
    Quando li o comecinho da sua resenha me senti um pouco ali, no meu primeiro casamento que era tudo um conto de fadas e cagou tudo no final hahahaha. Justamente por ter ficado esse vazio que não soubemos evoluir e preencher. Por isso senti que apesar de ser um romance tem um toque de realidade, da vida como ela é. E já me tornando repetitiva, adorei sua resenha e suas fotos 🙂

    • Oi Cilene!
      Se adora romances da vida real, acho que você vai adorar A Linguagem do Amor e esse conto, As Pequenas Coisas! Vale muito, me surpreendi, muito positivamente com a leitura e acho que gosto exatamente por isso, porque é uma história que a gente consegue se identificar e ver a vida real ali refletida nos personagens e no livro. Fico feliz que tenha gostado da resenha e das fotos!!! <3
      Obrigada pela visita! <3
      xoxo