Coraline ♥ Neil Gaiman: livro & filme

Retipatia
Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!

Um par de botas amarelas, uma capa de chuva e um gato junto a uma garota chamada Coraline. É, com a letra ‘o’ mesmo, você não leu errado e eu tampouco digitei errado. Mas sabia que o nome dela surgiu exatamente daí, um erro de digitação? Vem comigo conhecer mais sobre essa garotinha empolgante e essa história inesquecível!

Coraline
Neil Gaiman & Chris Riddell
Tradução Bruna Beber
Intínseca
2020 | 224 páginas
Disponível em Amazon
“ser corajoso não significa não ter medo. Ser corajoso significa estar com medo, muito medo, mas mesmo assim fazer o que é certo.”
Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!
Sobre Neil Gaiman

Neil Gaiman, assim como Coraline Jones, é movido à curiosidade. Sem medo de desbravar novos mundos e com um talento único para construir tramas e universos extraordinários, ele navega por inúmeros gêneros e formatos. Descobriu seu amor pelos livros na infância e devorava as histórias de C. S. Lewis, J. R. R. Tolkien, James Branch Cabell e Edgar Allan Poe, e hoje é considerado um dos maiores escritores vivos. Tem mais de vinte livros publicados e já foi agraciado com diversos prêmios, incluindo o Hugo, o Bram Stocker e a Newbery Medal. Começou a carreira como jornalista, mas logo ingressou no mundo dos quadrinhos, com a aclamada série Sandman, e, depois, conquistou a ficção adulta e a literatura infantojuvenil, publicando obras memoráveis como Deuses Americanos. Alguns de seus livros foram adaptados para o cinema e para a tevê. Nasceu em Hampshire, Inglaterra, e hoje mora nos Estados Unidos.

Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!
Sobre Chris Riddell

Chris Riddell é um ilustrador e cartunista aclamado. Seu traço único lhe rendeu inúmeros prêmios, como o Nestlé Gold Award e por duas vezes a Kate Greenway Medal. Gaiman e Riddell são parceiros delonga data, tendo trabalhado juntos em muitas outras obras, como O Livro do Cemitério e A Bela e a Adormecida. Ao folhear as páginas de Coraline, é impressionante notar como o artista consegue captar com perfeição a mistura entre beleza e horror tão característica da obra de Gaiman. Riddell mora com a família em Brighton, na Inglaterra.

Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!
Sinopse de Coraline

Certas portas não devem ser abertas. E Coraline descobre isso pouco tempo depois de chegar com os pais à sua nova casa, um apartamento em um casarão antigo ocupado por vizinhos excêntricos e envolto por uma névoa insistente, um mundo de estranhezas e magia, o tipo de universo que apenas Neil Gaiman pode criar.

Ao abrir uma porta misteriosa na sala de casa, a menina se depara com um lugar macabro e fascinante. Ali, naquele outro mundo, seus outros pais são criaturas muito pálidas, com botões negros no lugar dos olhos, sempre dispostos a lhe dar atenção, fazer suas comidas preferidas e mostrar os brinquedos mais divertidos. Coraline enfim se sente… em casa. Mas essa sensação logo desaparece, quando ela descobre que o lugar guarda mistérios e perigos, e a menina se dá conta de que voltar para sua verdadeira casa vai ser muito mais difícil ― e assustador ― do que imaginava.

Coraline

Talvez você já tenha ouvido falar dela. É Coooraline e não Caroline, é melhor já avisar. Talvez até tenha assistido a animação ou mesmo lido o livro. Pode ser que nunca tenha ouvido falar também. Mas, de um jeito ou de outro, é importante que você conheça Coraline Jones.

“O título seria Coraline. Eu tinha digitado Caroline, mas saiu errado. Olhei para a palavra Coraline e sabia que era o nome de alguém. Eu quis saber o que tinha acontecido com ela.” Neil Gaiman
Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!

A casa em que ela agora vive é enorme, grande mesmo, um casarão antigo. Mas não pertence apenas à sua família. Ela vive com o pai e mãe em um dos apartamentos que existem depois da casa ter sido dividida.

“Devido à neblina, o mundo ficava meio fantasmagórico. Perigo?, pensou com seus botões. Parecia emocionante. Não parecia nada ruim. Não mesmo.”
Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!

Logo abaixo de sua casa, vivem as duas senhoritas Spinke e Forcible. As duas foram atrizes, quando jovens, num passado bem bem distante que Coraline acha difícil até de imaginar. E, logo acima, tem o Sr. Bobo, que tem uma trupe de ratos que ele treina para tocarem instrumentos e fazerem malabarismos e que mandam mensagens secretas para Coraline. E são dos poucos que não erram o nome da menina.

“- Gatos não têm nomes – disse ele.
– Não?
– Não. Vocês, pessoas, têm nomes. É porque vocês não sabem quem são. Nós sabemos quem somos, então não precisamos de nomes.”
Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!

Coraline pode até ser pequena para sua idade, mas é uma aventureira! E adora desbravar o terreno que cerca a casa, incluindo a antiga quadra de tênis, já toda destruída e com uma rede podre, assim como o velho poço, muito profundo para se ver o fundo, e que fica coberto com tábuas para que ninguém caia lá dentro.

“Coraline respirou fundo e mergulhou na escuridão, onde vozes estranhas cochichavam e ventos distantes uivavam. Ela tinha certeza de que havia algo no breu atrás dela: alguma coisa muito velha e muito lenta. Seu coração disparou. Batia com tanta força e tão alto que ela temeu que pudesse explodir em seu peito. Ela fechou os olhos em meio à escuridão.”

O detalhe é que nem todos os dias são de sol. Até aqueles em que há neblina é possível fazer algumas explorações do lado de fora, mas numa chuva torrencial? Bem difícil! E é aí que entra o tédio. E uma menina entediada em casa, com dois pais que trabalham em casa, precisa de distração. Uma que não incomode os pais.

“Porque coragem é quando você sente medo de fazer algo, mas faz mesmo assim, é quando você enfrenta o medo”
Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!

E é assim que a exploração se inicia em sua própria casa e a descoberta de uma porta trancada, que, aparentemente, deveria dar no apartamento vizinho, que está vazio. Uma parede de tijolos é o que a porta esconde. Isso até, estranhamente, numa noite, Coraline se deparar com a porta aberta. Uma porta que vai te levar à sua Outra Casa, onde ela tem uma Outra Mãe, um Outro Pai e Outros Vizinhos. E Outro Quarto. Mas apenas uma Coraline.

“Acho que ela quer algo para amar – opinou o gato. – Algo que não seja ela mesma. Talvez também queira algo para comer. Com uma criatura daquelas nunca dá para saber.”

E também uma Outra Vida, bem mais legal, colorida, um tanto quanto tresloucada, é claro. Só que sua Outra Mãe a quer lá para sempre. E, para ficar lá e ser amada pela Outra Mãe, ela só precisa aceitar um pequeno detalhe: costurar botões em seus olhos! Não é de se imaginar que, daí, como diriam, só ladeira abaixo. A Outra Mãe, a Outra Casa, quer bem mais do que diz. E Coraline sabe disso.

“As teias de aranha só precisam ser do tamanho ideal para pegar moscas.”

A beleza de Coralinee não falo dos traços incríveis que a personagem ganhou nas ilustrações de Riddell – está em muitas coisas: da escrita de Neil Gaiman, que é simples, fluida e viciante. Experimente começar a ler, será difícil querer largar! Mas, além disso, está na menina corajosa, longe de não ter medo, mas capaz de agir apesar dele.

“Os nomes são as primeiras coisas a desaparecer depois que a respiração cessa e o coração para de bater. Nossa memória dura mais do que o nosso nome. Ainda consigo me lembrar de minha babá carregando meu bambolê em alguma manhã de maio. Ou do sol nascendo atrás dela, as tulipas balançando ao sabor da brisa. Mas já esqueci o nome da minha babá e o nome das tulipas também.”
Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!

A aventura é do tipo que ganha o coração do leitor não apenas ao torcer para que Coraline consiga superar os desafios que lhe são impostos, mas pela maturidade que ela demonstra ao perceber que, o que ela tem, seus pais de verdade, sua casa de verdade, e até mesmo o que ela não tem, como as luvas verde-limão e as botas amarelas de sapo, são bem mais importantes do que um mundo em que tudo é possível, divertido, colorido. Em que ela tem tudo o que deseja.

“Ela nos prendeu e sugou de nós tudo que podia, até que não sobrou nada, só peles de cobra e cascas de aranha.”

Coraline é uma daquelas mocinhas dos contos de fadas que salvam a si mesmas e ainda resgatam os que precisam de seu auxílio. Ela é bem mais do que o lembrete de que a vida pode ser mágica e cruel, e às vezes até enfadonha, mas que também vale todo o nosso amor, esforço e dedicação, exatamente por aqueles que nos cercam.

“Era verdade: a outra mãe a amava. Mas a amava como um avarento ama o dinheiro, ou um dragão ama seu ouro. Aos olhos da outra mãe, Coraline era uma posse, nada mais. Um bicho de estimação suportável, cujo comportamento já não era tão divertido.”
A edição de Coraline da Intrínseca

O livro de Neil Gaiman foi lançado originalmente em 2002 e, no original, uma edição especial foi lançada em comemoração dos 10 anos do livro, com as ilustrações de Chris Riddell. No Brasil, o livro tinha edição de 2003 pela Editora Rocco, com ilustrações de Dave McKean (foto abaixo com a capa e a próxima, com uma das ilustrações de Dave McKean).

Agora em 2020, o livro foi relançado pela Editora Intrínseca com uma edição especial em capa dura, folha de guarda decorada, fitinha marca página, projeto gráfico diferenciado, corte colorido, páginas em Papel Pólen Soft 80g/m² e com as ilustrações de Riddell na capa e início de cada capítulo. Um primor de arrancar suspiros e capaz de arrebatar fãs e atrair novos leitores! Obrigada à Intrínseca pela parceria!

Coraline e o mundo secreto

Em 2009 o livro de Neil Gaiman ganhou uma animação em stop-motion pelo estúdio Laika (o mesmo das animações A Noiva Cadáver, ParaNorman e The Boxtrolls). O filme, indicado ao Oscar e Golden Globe de 2010 na categoria melhor animação, foi sucesso de crítica e de público.

Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!

Também, não é para menos. A animação levou nada menos que 4 anos de produção! Preciso dizer que assisti à animação há uns bons anos e me apaixonei. E não fazia ideia de que a história havia sido baseada num livro. Foi amor à primeira assistida! ahah Uma história não apenas visualmente marcante e milimetricamente impecável, mas também com personagens interessantes, cativantes e uma protagonista única. Sem falar das mensagens incríveis que são apresentadas sobre amizade, coragem, maturidade e família!

Fazer o caminho inverso, ler o livro tantos anos depois, sendo Coraline uma das minhas animações favoritas, foi nada menos que mágico. A ambientação está lá, a base para tudo que há no longa e, especialmente, a escrita de Neil Gaiman unida às ilustrações singulares e bonitas de Chris Riddell.

Resenha do livro e filme Coraline, de Neil Gaiman, em edição nova de 2020 pela Intrínseca!

Se eu amava a animação, agora amo ainda mais, junto ao livro, é claro! Isso porque o trabalho de adaptação de Coraline para a animação foi um trabalho sem igual, iniciado mesmo no roteiro que captou a essência da história, de Coraline e dos personagens e os transformou em massa e em tudo que era necessário para contar essa história sombria e fascinante!

Como diria G. K. Chesterton, “Os contos de fadas são mais do que reais: não porque nos dizem que os dragões existem, mas porque dizem que eles podem ser derrotados.

Dica de leitura de outra obra de Neil Gaiman, para os sonhadores e amantes de contos de fadas: João & Maria!

xoxo

Retipatia

14 thoughts on “Coraline ♥ Neil Gaiman: livro & filme

  1. Eu amo tantooooooo! Um dos meus filmes favoritos, sem dúvida. Comprei essa edição impecável da Intrínseca, tô ansiosa pra chegar e começar essa leitura! Esse post é um presente e tantoooo p quem é fã! Amei!!! ♥️

  2. Eu amei o post demais e essas fotos maravilhosas?! Essa edição está incrível, mesmo não sendoum gênero que eu gosto estou morrendo de vontade de adquirir S2

  3. Essa resenha foi tão imersiva e incrível, que eu assim como a resenha de A casa holandesa eu senti que estava entrando no universo do livro. As fotos impecáveis, eu simplesmente me senti no jardim do Outro Pai. Eu amo o Chris Riddell, tenho dois livros dele e logo que bati o olho na edição reconheci o traço. Ainda tenho um pouco de medo do filme mas quero muito ler o livro nessa edição perfeita da Intrínseca. Já tentei ler um livro do Neil Gaiman mas acabei deixando de lado.

  4. Gostei mt do filme, imagino que o livro deve ser melhor ainda:)
    A edição da intrínseca está mt linda.
    Gostei das fotos, lindas.
    @marilia_marah00

  5. Aquela ansiedade de poder vir ao blog pelo computador só pra ficar olhando as fotos e lendo tudo, tudinho desse livro que tem ganhado os corações! Não, eu ainda não li o livro nessa edição perfeita da Intrínseca,mas em contrapartida, vi o filme algumas vezes, até pq na primeira vez que o vi, não entendi nadinha rs
    Aí a gente vai amadurecendo sim e acaba vendo a animação só pra entender melhor esse conto de fadas ao contrário.
    Agora preciso urgente dessa lindeza em mãos!!!!
    Amo seu cantinho, amo de coração o blog! Não é apenas colocar uma postagem na tela, é ensinar sobre!!!!
    Obrigada!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor(@vazionaflor)

  6. Acho que a Coraline fez parte da infância de quase todo o mundo! Achei a edição da intrínseca linda demais e já deu vontade de ler! ( @nicolemarino13)

  7. Infelizmente só assistir ao filme, mas estou louca para ler esse livro, ainda mais com essa edição da intrínseca que está belíssima, gostei muito de como é o início dos capítulos, desenhado. Adoro Coraline principalmente por ela ser aquelas mocinha que salva a si mesma. Sinceramente, acho que essas historinhas de terror infantil dão mais medo do que filme de terror haha. Nossa, não sabia que o nome Coraline realmente foi um erro da autora ao escrever o título, mas não é que deu super certo. Como demorou para ser lançado o filme, entretanto à espera de 4 anos foi válida. Achei muito interessante que ao a garota entrar pela aquela porta ela vê um mundo realmente novo, cheio de cores, nova mãe, novo pai, novos vizinhos e etc, e ela se apaixona pela que novo mundo só que a ficha cai somente quando a outra mãe pede para colocar olhos de botões. Gostei muito da resenha e das curiosidades citadas. A foto ficou incrível, fiquei me imaginando naquele casarão com Coraline, seus Funkos são lindos

    @evelindanieli357

  8. Eu acho surpreendente a relação que o livro traz com a questão de nomeação, enquanto linguista me seguro na ideia de que para existir as coisas precisam ser nomeadas, se eu não posso enunciar… elas não fazem sentido. Eu tô ficando doida para ler (pq moro tão longe e o frete demora tanto?????).

    Ps.: Essas fotos aumentam mais ainda a minha vontade de ter uma coleção de funkos

  9. Gente preciso muito ler o livro e ver o filme,pq eu estou apaixonada pela Coraline, e só vejo gente falando bem.

    @nova.leitura

  10. Não me canso de ler sobre Coraline, cada dia mais apaixonada por ela, suas fotos ficaram impecáveis,essa sua coleção de Coraline é coisa maos linda!!

  11. Eu adoro o filme e finalmente irei ler o livro, pois ganhei ontem, estou só sorrisos, rs. As fotos estão tão perfeitas que quero morar dentro delas. Eu já te falei que meu filho ficou encantado com as fotos? E ele amou as ilustrações do livro.

Repense, renove, rediscuta...

%d blogueiros gostam disto: