Conto ♥ Can’t Blame a Girl For Trying

Em 11.03.2017   Arquivado em Contos

Sugestão de Música para Acompanhar a Leitura do Conto: Can’t Blame a Girl For Trying – Sabrina Carpenter

Não, a felicidade não está escondida nas pequenas coisas, como costumam dizer. É algo um tanto quanto mais sublime que isso. Não está no virar de uma esquina e esbarrar no amor da sua vida. Não está em assistir a um filme com a trilha sonora perfeita. Não está, definitivamente, em encontrar o emprego dos sonhos ou ter a carreira que deseja.

Tampouco pense que está em ter milhões na conta, em não se preocupar com dinheiro, em ter tudo o que sempre sonhou, o que precisa e o que não precisa também. Não está, ainda, em privar-se. Não está em desistir de tudo que é excessivo, em trocar os sonhos altos por alguns mais alcançáveis. Não está sequer, no fato de se sonhar.

– O que ele disse?

– Que não tinha porque continuarmos.

– E o que você disse?

– Mandei ele se ferrar. – Jordan ri, em resposta à minha fala.

– Com essas exatas palavras? – Ele pergunta.

– Não, foi algo mais como, abre aspas, vai se ferrar, seu maldito, fecha aspas. – Ele assente, ainda sorrindo.

Pego mais uma bala que está perdida entre os lençóis e coloco na boca. É doce demais, mas talvez o açúcar faça alguma mágica em mim hoje. Olho para Jordan deitado ao meu lado, seu jeans escuro combinando com o moletom preto e com seus cabelos, também pretos. Seus olhos acinzentados encaram o teto desbotado do meu apartamento.

– Jordan, você está de tênis. – Ele desvia o olhar do teto e me encara.

– O que?

– Está de tênis, na minha cama, nos meus lençóis.

– Ah droga, desculpa. – Ele diz e rapidamente se senta na cama, retirando os tênis e jogando-os no chão.

– Não, acho que terá que pagar a lavanderia.

– Desde quando você não lava suas próprias roupas de cama, Kim? – Ele pergunta.

– Desde que você começou a sujá-las. – Não consigo não rir para ele, ainda que meus olhos estejam irremediavelmente ardentes pelo choro compulsivo de cinco minutos atrás.

Ele não diz nada, apenas me encara com uma expressão engraçada.

– Certo, você… – Ele aponta para mim. – …para o chuveiro, temos um dia de fossa para preparar.

– O que? – Eu pergunto, confusa.

É claro que já passamos vários e vários dias de fossa juntos, exatamente porque somos amigos, bem, desde sempre. Mas, achei que já estivéssemos curtindo, aqui na cama, parados, fazendo absolutamente nada a não ser me deixar chorar e desabafar.

– É, você está cheia de remela, catarro e essas coisas de choro. – Ele faz uma careta e eu jogo o travesseiro em sua cara, mas obedientemente indo para o banheiro e me afogando no chuveiro. Ou tentando, ao menos.

Quando saio do banho, visto um pijama e vou até a sala, procurar por Jordan. E, mesmo com o peso que não sai do meu peito, eu não consigo não sorrir quando vejo dois potes de sorvete, uma infinidade de balas, doces e todo tipo de porcarias estocadas em cima da mesa de centro. E, para completar, a televisão me mostra Holly Golightly parando em frente a Tiffany.

– O que eu faço com você? – Falo, já me acomodando no sofá, quando Jordan surge com duas colheres na mão.

– Sabe o quanto eu tenho que malhar essa semana para compensar tudo isso, não é? – Ele fala, rindo e me puxa para seu colo, me entregando a colher cheia de sorvete de morango.

Dou um beijo em sua bochecha, melado e gelado pelo sorvete e ele ri. Deve ser a sexta vez que o faço assistir Breakfast at Tiffany’s comigo.

Quando já está acontecendo a festa na casa de Holly e eu já estou cheia de tanto doce e Jordan está correndo os dedos por meus cabelos, num cafuné mais que bem-vindo, ouço um latido. Eu quase pulo do sofá e Jordan começa a rir.

– Nossa, eu estava me esquecendo! – Ele fala.

– Esquecendo de que, que barulho foi esse? Nenhum dos vizinhos tem animais.

– Seu presente.

– Presente, que presente?

– De aniversário, oras. Achou que eu não me lembraria?

Fico vermelha e não sei exatamente a razão. Eu nunca fui fã de aniversários e este estava sendo especialmente torturante, com o término de um relacionamento que eu jurava, há menos de um dia atrás, que duraria para a vida toda.

Jordan se levanta e me puxa em direção a minha pequena varanda, onde eu cultivo as flores roxas mais lindas que já vi na vida e que não faço ideia de qual espécie elas são. Mas, quando ele abre a porta de correr vejo que tem algo errado, muito, errado.

Há terra espalhada no chão, várias flores destroçadas e caídas em todos os cantos. E, em um canto, a criatura mais fofa e rechonchuda que já vi na vida, que, percebendo nossa presença, nos encara e começa a dar latidos roucos, pulando de excitação a cada vez.

– Eu não posso acreditar! – Falo, já chorando, mas não é pelo aperto no peito, esse já não me sufoca.

Me abaixo e pego o cachorro branco e preto no meu colo e ele se aconchega como se estivesse sempre aqui.

– Você gostou? – Jordan pergunta, uma de suas sobrancelhas arqueadas, em dúvida. – Havia uma feira de adoção no caminho e… você sempre quis um cachorro.

Eu sorrio entre as lágrimas que insistem em aparecer.

– É perfeito. – Eu falo, voltando para o sofá e me acomodando com o cachorro mais fofo que já vi na minha vida, acariciando a barriga macia dele.

Jordan logo se senta ao meu lado, passando o braço por meus ombros e me puxando para seu colo, como sempre.

– Qual será o nome? – Ele pergunta.

– Acho que Cachorro.

– Não pode chamar um cachorro de Cachorro, Kim.

– Se Holly pode chamar o gato dela de Gato, é claro que posso chama-lo de Cachorro, ou Cão, quem sabe.

Ele começa a rir e me inclino em sua direção, meus lábios tocando os seus com rapidez. Mas é muito diferente do que eu esperava. É bem melhor, parece natural. Seus olhos acinzentados se prendem aos meus. E, é exatamente nesse instante que sei que tudo vai ficar bem. Eu, Jordan e o Cachorro. Porque a felicidade mora exatamente no estar feliz.

Este conto foi escrito para o Desafio Relâmpago do Grupo Interative-se, com o uso da imagem da postagem e das palavras ‘simplicidade’ e ‘amizade’. A imagem foi descrita, as palavras, por outro lado, estão um pouco mais subtendidas (quase subliminares… rsrsrs). O conto também foi inspirado em um post super fofo da Vivi, do blog Fotografando Inspirações.

Visite os outros blogs participantes do desafio: ‘Jubirubs‘, ‘Simplesmente Ciana‘ e ‘Era Uma Vez, Uma Menina‘.

  • Jéssica Miguel

    Em 11.03.2017

    AH QUE RAIVA DE VOCÊ!
    Sério, esses seus contos me dão uma vontade absurda de continuar lendo, e lendo, e lendo!

    AMO! Já falei pra tu escrever um livro! <3
    Beijos

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    ahahaha Adoro sua raiva direcionada pro fato de que as histórias acabam… kkkk Vou colocar em prática a ideia do livro!!! rs
    xoxo

  • Thaís Bueno

    Em 11.03.2017

    Amei o conto. Você poderia escrever uma continuação o que acha? Quero mais Kim, Jordan e o “Cão e/ou Cachorro” rsrs. Parabéns você escreve muito bem.

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    Que bom que gostou Thaís!!! Acho bem difícil fazer continuações dos contos, acho que me empolgaria e escreveria um livro inteiro pros personagens!!! eheheh Obrigada!!! <3
    xoxo

  • Barbara

    Em 11.03.2017

    Que delicia ler seus contos!!! Está ganhando uma fã!!! Kkkkkk

    ❤❤

    http://ironicamenteinusitado.blogspot.com.br

    Volto em breve!!!

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    Own!!! Obrigada Barbara!!! <3
    xoxo

  • Luciana de Andrade-Ciana Andrade

    Em 11.03.2017

    Que fofo Re! Fiquei imaginando o cachorro, o cachorro chamado cachorro.rsrs Adorei o desafio, a mesma imagem mas cada uma trouxe o texto com seu jeitinho.E o seu foi encantador.
    Parabéns!
    bjs

    Simplesmente Ciana

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    Obrigada Luciana! Também adoro ver como as mesmas imagens são capazes de gerar postagens tão diferentes e super legais! <3
    xoxo

  • Vivian Diniz

    Em 11.03.2017

    Ahh que lindaa, amei o conto…me lembrou de quando adotamos a Lola, nossa cadelinha mais sapeca e destruidora de todas,rs.
    E ainda tive uma enorme surpresa ao terminar o conto, vi meu nomezinho ai como inspiração, sua lindaa, obrigada!!
    Beijos!!

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    Tem nada pra agradecer, seu post foi puro amor, Vivi!!! Cachorros são sempre muito amor na nossa vida!!! <3
    xoxo

  • Camila Carvalho

    Em 11.03.2017

    Oi, Re.
    Menina não sabia que você também escrevia, estou encantada.
    E concordo com as meninas que talvez desse uma continuação.
    Beijo

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    Oi Camila! Eu comecei o blog para me incentivar a escrever e, tá aí pra vocês lerem meus devaneios e loucuras! Fico feliz que gostou!!! <3 <3 E vou pensar no caso de continuação, apesar de achar isso bem difícil de acontecer... rs
    xoxo

  • Julia

    Em 11.03.2017

    Estou encantada, como sempre! Adorei Re! Concordo que precisa de continuação! Adorei o Cachorro kkkk Bjuus!

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    Ahahah eu acho super difícil dar continuação pros contos, porque, de modo geral, eu gosto até de imaginar o que vem depois (ou antes), mas o pedacinho mais importante foi contado! rsrs Cachorro é amor, né?! ehhe
    xoxo

  • Gilvana Rocha

    Em 11.03.2017

    Depois de ler esse conto eu só posso dizer uma coisa….Eu quero um Jordan para mim….Que fofo! Escreve mais…Voce precisa escrever um livro…Bjs

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    ahaha Jordan ficou amor né?! Obrigada por tudo, quem sabe esse vira uma história completa??? rs <3 xoxo

  • Josy Souza

    Em 11.03.2017

    Que coisa mais linda, menina! Concordo com todo mundo, faz uma continuação e publica um livro!
    Ganhou meu coração! ♥

    Beijos,

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    >_< Obrigada Josy! Ainda tô pensando na ideia de fazer continuações para os contos!!! <3 xoxo

  • Gabriel Lopes

    Em 11.03.2017

    Rê, que conto mais lindo. Estou completamente apaixonado por cada palavra e por essa música incrível da Sabrina Carpenter. Fiquei tão feliz que parece que as coisas irão funcionar para os dois e o Cachorro, aliás, eu adoraria uma continuação. Você escreve super bem e seu blog é maravilhoso, então é certo que estarei aqui acompanhando as futuras publicações. Parabéns e sucesso! Você tem um talento espetacular.

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    Own!!! Muito obrigada Gabriel, fico feliz que tenha gostado do conto, sou apaixonada pela escrita e é muito bom ouvir isso! E que vom que gostou do blog também, espero suas visitas por aqui!!! <3
    xoxo

  • Julia Melo

    Em 11.03.2017

    Aaahhhhhh ~grito~ que coisinha mais fofa esse conto, arrepiei de emoção e ri feito boba enquanto lia.. Puro amorzinho.. <3

  • Retipatia

    Em 11.03.2017

    Oi Julia!!! Muito obrigada!!! <3 <3 <3 xoxo

%d blogueiros gostam disto: