Gentileza Literária <3

Em 17.07.2017   Arquivado em Achados & Perdidos, Projetos, Revolucione

Bom dia, tarde e noite folks!

Para quem acompanha a Fanpage do blog talvez tenha visto que comecei uma série denominada ‘Gentileza Literária‘. São pequenos posts que completam a frase título: ‘Gentileza literária é…‘, como esse da imagem acima. No ritmo, a primeira frase postada foi ‘Gentileza literária é levantar a capa do livro que está lendo no busão, no trem, no café ou em qualquer lugar, para que os outros possam ver que livro é!‘. Deu para sentir a vibe das postagens, né?!

O penúltimo post da série foi de algo que eu já pensei em fazer, mas que nunca havia acontecido: deixar um livro em algum lugar público para que alguém o encontrasse. Então, resolvi colocar a ideia em prática.

O primeiro ponto que pensei acerca do esquecer o livro: qual livro seria? Eu não queria que fosse um livro aleatório que eu não tivesse lido, afinal, na minha cabeça, a ideia não é apenas deixar um livro, mas algo que tenha uma mensagem que você gostaria de passar à um desconhecido. Então, depois de muito pensar e de um exercício enorme de desapego, tive meu escolhido: Extraordinário, da autora R. J. Palacio, que já teve resenha aqui no blog (confira aqui) e é um livro que o título não poderia ser mais ao pé da letra: não só a história contada é extraordinária como também todas as mensagens que ela passa. E, são exatamente as ideias que eu gostaria de passar à um desconhecido: amor ao próximo, respeito, amizade, diversidade, gentileza e tantas e tantas outras!

O segundo ponto seria, onde? O local também seria muito importante, porque, afinal de contas, teria que ser um lugar em que houvesse a certeza de que o livro seria, de fato, encontrado. Pensei em um ponto de ônibus, mas o que eu utilizo diariamente para ir trabalhar está sempre cheio e eu correria o risco de alguém ver que eu estava “esquecendo” o livro e me entregar, e eu queria poupar o trabalho de ter que dizer: “não, estou deixando aí de propósito” e ter toda uma conversa louca antes de entrar no busão… rs Pensei em um lugar que eu adoro passar alguns minutos lendo durante o meu horário de almoço, que tem banquinhos de madeira e é super legal. Mas, novamente, lá está sempre movimentado e eu correria o mesmo risco do ponto de ônibus. O lugar certo apareceu por si só, por assim dizer. Eu estava no shopping próximo ao meu trabalho e vi um dos bancos que andam sempre ocupados, vazio. Me sentei, olhei ao redor. O segurança estava não muito distante, mas não repararia se eu deixasse um livro para trás. As pessoas do banco logo atrás ao que eu estava estavam sentadas de costas e não veriam…

Era chegada a hora de dizer adeus ao meu exemplar de Extraordinário. Coloquei ele no banco, dei um clique com meu celular, me levantei e fui em direção às escadas rolantes. Não olhei para trás. Quer dizer, olhei sim, estava ansiosa para ver se alguém logo o pegaria. Quando estava descendo nas escadas vi uma garota olhando para o banco enquanto passava pelo corredor e, então, ela parou. Daí, eu já estava distante e não vi mais nada. Apenas espero que ela tenha pego o livro, já que, aparentemente, foi a primeira a vê-lo.

Como tenho uma pequena mania de controle e fiquei pensando que talvez a pessoa visse o livro e entregasse para o segurança do shopping, ou mesmo ficasse receoso de pegá-lo, eu escrevi um bilhete num post-it e colei na capa, com a seguinte mensagem: “Esse livro não foi esquecido aqui! Está aqui para você ler! Sim, você! Boa leitura!“. Então, se a garota que eu vi de relance realmente parou e leu meu bilhete, acho que ela pode ter realmente pego o livro. Só sei que alguns minutos depois, quando eu estava retornando – propositadamente – pelo mesmo caminho, de volta ao trabalho, o livro não estava lá.

Mais dois pontos que eu queria ressaltar: primeiro, antes que alguém pense qual o sentido de deixar um livro em um shopping, assim quem realmente precisa de um livro, não terá chances em recebê-lo! Bem, deixa eu esclarecer que o livro foi deixado em um shopping na área central da minha cidade e que, antes de mais nada, é um verdadeiro corta caminho e local onde um público enorme passa (passa mesmo, pra cortar caminho apenas,), então, não necessariamente o livro foi deixado em um local em que as pessoas estão lá apenas para gastar grana. Eu mesma já fui lá zilhões de vezes só para passar o tempo e/ou para cortar caminho no centro.

O outro detalhe é sobre a sensação de ‘esquecer o livro‘. Primeiro, foi um desapego enorme. Eu não costumo sequer emprestar meus livros, quem dirá abandoná-los em algum lugar… tsc tsc… rsrsrs Mas, depois que pensei que eu queria passar alguma mensagem com o meu ‘esquecer‘, não teve como não saber que teria que ser algo meu. A sensação de abandono logo foi apaziguada e eu pensei, é um empréstimo, sem devolução. E, tirando a sensação estranha de me levantar e deixá-lo no banco, temendo que alguém me chamasse para pegá-lo (ehehe), foi incrivelmente inspirador. Não por causa do que esse livro possa ter representado para quem o recebeu. Mas o ato representou muito para mim: além do exercício de desapego (que, acreditem, é maior do que se possa imaginar e que eu possa descrever aqui), uma grande sensação de que eu fiz algo certo, algo que eu gostaria que mais pessoas fizessem, algo que, apesar de pequeno, eu espero que tenha feito alguém alegre, o tanto quanto me fez. Eu sorri o dia todo por causa disso.

Também deixei todos os post-its que coloquei no livro quando li, marcando minhas passagens preferidas e cenas marcantes. Quem sabe a pessoa também vai curtir alguns dos mesmos trechos que eu destaquei?

Se eu vou fazer novamente? Com certeza! Quando? Não tenho data definida, nem nada. Acho que, quando o momento chegar, vou saber. E, naturalmente, ocorrerá. E também é claro que vou compartilhar aqui com vocês!

Para fechar, mais um detalhe do meu senso de controle interminável: nas últimas páginas do livro coloquei outro post-it: “Agora que terminou de ler, passe o livro adiante!“. Se a pessoa quiser demorar ou não, passar adiante ou não, é com ela. Cada um sabe de si. Eu só sei que gostaria que ele seguisse viajando por aí.

E vocês, já fizeram algum tipo de gentileza literária? Me contem e deixem sugestões para que eu possa praticar também, vou adorar fazer mais coisas legais e compartilhar aqui com vocês!

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Ouvindo: minha playlist favorita do momento e a faixa de agora é Stubborn Love, dos The Lumineers.

  • Talita Carbone

    Em 17.07.2017

    Oi!
    Senti sua dor daqui viu? haha Também sou super apegada aos meus livros e imagino o quanto deve ter sido difícil, de início, desapegar de um queridinho.
    Mas consigo entender também o sentimento bom de missão cumprida que deve ter dado no final das contas.
    Muito inspirador seu post! Tomara mais pessoas fiquem com vontade de passar livros adiante, como eu fiquei, por sua causa.
    E que as frases fofinhas continuem!
    Um beijo e ah, muito obrigada por ter curtido minha página, fico honrada de ter você por lá! <3

  • Retipatia

    Em 17.07.2017

    Oi Talita! Ahhh é mesmo como você disse, super difícil desapegar, mas ao mesmo tempo, veio aquela sensação boa, sabe?! Fico muito, mas muito feliz em saber que você se inspirou com o post e que também se animou em passar livros adiante! <3 Ahh e por um mundo com mais frases fofinhas, não é mesmo?! eheheh
    Muito obrigada! Sua página é um amor e merece ser acompanhada! <3
    xoxo

  • Kimberly Kelly

    Em 17.07.2017

    Oi Rê!
    Amei a ideia “Gentileza Literária”.
    Eu sempre prático gentilezas literárias, mas nunca deixei um livro “esquecido” de propósito em algum lugar público. De duas a três vezes no ano eu faço doação para a biblioteca do CEU dos livros que já li nos últimos meses e quero repassar e só fico com livros que tenham algum significado maior pra mim.
    Vou tentar “esquecer” um dos meus livros especiais em um lugar público para que alguém possa lê-lo e também enxergar o mundo de uma forma melhor.
    Beijos,
    Kim.

  • Retipatia

    Em 17.07.2017

    Oi Kim! Ahh que legal, eu adorei saber da doação para uma biblioteca! Vou procurar saber aqui na minha cidade locais que recebem doações e que precisem de livros. Tem muitos locais que às vezes possuem demanda de leitores, mas que não conseguem atender por falta de material! Dica anotada para mais uma gentileza literária a ser colocada em prática! <3 Se 'esquecer' um dos seus livros, não esquece de me contar hein?! <3 <3
    xoxo

  • Adeiliane Pessoa

    Em 17.07.2017

    Muito inspirador seu post, sei como é ter que se desapegar de um livro que amamos, o quanto é dificil, mas é por uma boa causa então meu coração fica menos apertado, que pessoas sigam o seu exemplo. Sucesso. Beijos

  • Retipatia

    Em 17.07.2017

    Oi Adeliane! Ah que bom que você achou a ideia inspiradora! É realmente difícil desapegar, mas um exercício necessário e que só traz coisas boas! <3
    xoxo

  • Fernanda Yano

    Em 17.07.2017

    Oie!!

    Que graça esse post e muito inspirador!
    Eu amei essa série Gentileza literária é….. Parabéns!!!
    Eu todo mês separo alguns livros da estante e levo para uma biblioteca comunitária de um bairro próximo ao meu.
    Deixar assim como você deixou eu nunca experimentei, mas fiquei tão assim com seu post que vou colocar experimentar e Já imagino o tanto de sensações que deve dar!!!
    Depois te conto.

    bjs

  • Retipatia

    Em 17.07.2017

    Oi Fernanda! Obrigada! Fico feliz que tenha achado o post inspirador e que tenha gostado da série Gentileza Literária! Acho super legal quem consegue desapegar de um bocado de livros e fazer doações, eu espero ainda conseguir ser mais desapegada e fazer doações assim também! ehehe Ahhh vou ficar esperando me contar como foi ‘esquecer’ o livro!!! <3 <3
    xoxo

  • Bianca da Silva Souza

    Em 17.07.2017

    Ain Rê! Tô apaixonada por esse post, sério!
    Pra começar, amei a série “gentileza literária” e me identifiquei com várias frases, especialmente a de levantar a capa pra que os outros vejam que livro está lendo. Sempre me pego torta pra ver o nome dos livros das pessoas, isso quando não ME pegam “curiando” … Mas não posso evitar! Hahahaha
    E essa última, de deixar um livro “esquecido”, simplesmente, que amor! ♥
    Adoraria encontrar um livro assim, pra poder ver as partes que as outras pessoas gostaram. Espero que essa menina tenha pego mesmo! E que “esqueça” de novo. 🙂
    Vc disse que essa atitude te fez sorrir o dia inteiro, e tenho certeza de me fará sorrir no dia de hoje também.
    Obrigada por compartilhar! ♥

  • Retipatia

    Em 17.07.2017

    Oi Bia!!! Ah sua linda, que bom que tu também gostou do projeto! ahaha Eu também morro de curiosidade pelos livros que as pessoas leem por aí e várias vezes tento ver, sem sucesso muitos delas! ahahah Também fico imaginando como deve ser encontrar um livro nessas circunstâncias, quem sabe um dia eu dou a sorte?! Mega obrigada!!! <3 <3
    xoxo

  • Bruno Freitas

    Em 17.07.2017

    Oi, Re!
    Achei a sua atitude o máximo! Fiquei imaginando, aqui na minha cabeça, você “esquecendo” o livro. Também preciso praticar esse desapego literário e incentivar a leitura.

    E ‘Extraordinário’ é um livro bom demais! Espero que essa menina tenha pego o exemplar, lido e, em seguida, o “esquecido” novamente.

    Uma vez eu encontrei um livro na rua, que era de alguém com essa mesma proposta! Não lembro ao certo qual livro era, mas me recordo que me senti a pessoa mais feliz do universo! 🙂

  • Retipatia

    Em 17.07.2017

    Oi Bruno! Ah que alegria ler seu comentário! ehehe Pode ter certeza que a cena em que eu ‘esqueço’ o livro, se vista de longe, deve ser até engraçada! rsrsrs Foi um ótimo exercício de desapego literário e a escolha do livro foi de coração! Que legal que você também já encontrou um livro com a mesma proposta! <3 <3
    xoxo

  • Luciana Souza

    Em 17.07.2017

    Sabe acho um alindeza esse seu projeto, maaaaaaaaaaax eu não teria coragem de esquecer nenhum livro haha da muita dó de verdade, mas gosto dessa inicativa. Um beijo!

  • Retipatia

    Em 17.07.2017

    Oi Luciana! Eu também achava que não teria coragem, até que resolvi e foi! ehehehe Tem outras formas de gentileza literária, é só a gente fazer aquelas que também nos trazem alegria! <3
    xoxo

  • Amanda

    Em 17.07.2017

    Ahh que atitude linda! Espero que a pessoa que tenha pego o livro tenha a mesma consciência e carinho que você teve em repassar. Livros são mais do que um objeto, são uma história, são um mundo inteiro dentro daquelas páginas, e a atitude de compartilhar essa experiência com outras pessoas é louvável.

    Nunca “esqueci” um livro, mas me sinto inspirada a fazê-lo agora que li seu post. O que já fiz foi dar livros que li e não queria mais, já dei e doei vários. Se não quero ler de novo penso que seria egoísmo da minha parte privar outra pessoa de ter a companhia deles. =)

    Beijos! Lindo post! <3

  • Retipatia

    Em 17.07.2017

    Oi Amanda! Também estou torcendo para que a pessoa tenha pego o livro e o siga passando ele para novos leitores, desconhecidos ou conhecidos! <3 Se conseguir esquecer um livro também, não esquece de me contar como foi!!! <3 Acho lindo esse repassar adiante dos livros, também acho que eles podem enriquecer outras pessoas, mas tenho muita dificuldade em desapegar das coisas e amo ver os livros na estante e pensar em todas as sensações que cada um deles me deu! ehehe Obrigada! <3
    xoxo

  • Kimberly Camfield

    Em 17.07.2017

    Que ação mais linda! O máximo de desapego de livros que já consegui fazer foi vender em sebos (para comprar livros novos também no sebo kkk) ou participar de um evento de troca na minha universidade, o qual se chama ler livre. Nós vamos lá, deixamos nosso livrinho em boas condições e em troca pegamos um vale para pegar outro livrinho deixado por outra pessoa. E confesso que ainda assim doeu no meu coração ter que me desfazer, porque tenho um apego muito especial a tudo (não, não é apenas com livros haha). Até um tempo atrás guardava todos os diários que já tive, dos 11 aos 18 anos. Em alguns tinha até os bilhetes da primeira vez que fui ao cinema com meu namorado ou qualquer coisinha que me remetesse algo especial, mesmo que fosse um papel de bala. Enfim, acho que já deu para perceber que sou uma pessoa apegada, com grande dificuldade em me desfazer e … acabei fugindo do assunto do post. Mas enfim, sua ação foi muito linda e até me deixou com vontade de fazer o mesmo (e também colocaria bilhetinhos, só para perceberem que não perdi mesmo). Afinal, se consegui me desfazer de todos aqueles diários (o que foi difícil viu ?) também posso conseguir me desfazer de um livro.
    Beijão

  • Retipatia

    Em 17.07.2017

    Oi Kim! ahaha Acredita que nunca vendi nem troquei livros em sebos?? É uma cultura que ainda não aprendi, até porque eu também sou muito apegada. O que você disse sobre apego é algo que me identifico 100%! ehehe Eu ainda tenho minhas agendas antigas que eu fazia mil e uma colagens e recebia bilhetes das amigas de escola. Eu passava horas recortando revistas tipo Capricho e Atrevida só para montar páginas de recortes nas minhas agendas! ahaha Pura doidera e eu ainda tenho todas, não consegui desfazer até hoje! Também tenho super apego às coisas, chega a ser um pouco exagerado e por isso foi bem difícil eu me desfazer desse livro, cheio das minhas marcações e tudo o mais. Meus livros são meus babys! ehehe A ideia do bilhetinho faz jus ao nosso enorme apego às coisas, eu acho, queremos que o outro também valorize e cuide bem das coisas! <3 Se esquecer algum livro por aí não esquece de me contar! <3
    xoxo

  • Sueli

    Em 17.07.2017

    Nossa sei que é difícil desapegar mas algum tempo atrás desapego de muitis livros doando para brechó que usa o dinheiro para um lar de idosos e foi muito bom ajudar de alguma maneira.Essa sua iniciativa é linda eu vi uma reportagem com essa idéia e eles foram atrás de quem pegava os livros e foram histórias lindas.bjsss

  • Retipatia

    Em 17.07.2017

    Oi Sueli! Acho super legal fazer doações para lugares que vão aproveitar os livros, seja com a venda ou o consumo deles. É uma boa chance pra desapegar e ajudar outras pessoas! <3 Eu não lembro onde, se foi na internet ou na TV, que falava sobre essa ideia de esquecer livros, mas não lembro de ter acompanhado os casos ehehe Acho que não deve ter sido a mesma que você viu! 🙂
    xoxo

%d blogueiros gostam disto: