As Sombras do Mal: as fitas de Blackwood ♥ Guillermo del Toro & Chuck Hogan

Retipatia
Resenha do livro As Sombras do Mal: As Fitas de Blackwood - Volume 1 - de Guillermo del Toro e Chuck Hogan.

As Sombras do Mal se estendem por lugares que jamais imaginamos. Elas podem estar em 1582, 1962 ou 2019, ou em qualquer ponto entre esses anos. Mas, a certeza que se pode ter é de que não há escapatória quando seres incorpóreos estão à solta. E a agente do FBI Odessa Hardwick sabe bem disso, pois ela acabou de atirar no próprio parceiro.

As Sombras do Mal: As Fitas de Blackwood – Volume 1
The Hollow Ones: The Blackwood Tapes (Vol. 1)
Guillermo del Toro & Chuck Hogan
Tradução Stephanie Fernandes
Intrínseca | 2021 | 320p.
Disponível em Amazon
“O que você tem que fazer é escrever uma carta, em poucas palavras, descrevendo o que aconteceu e requisitando assistência. Escreva à mão, em papel. Sem rodeios. Exponha o seu caso. De um jeito simples. Sincero. Peça ajuda. Dobre ao meio, apenas uma vez, bem ao meio, e depois sele a carta em um envelope de papel pardo. E como destinatário coloque… Trate de anotar agora… Ilmo. Sr. Hugo Blackwood. Stone Street, número 13 1/2.”
Resenha do livro As Sombras do Mal: As Fitas de Blackwood - Volume 1 - de Guillermo del Toro e Chuck Hogan.
Sobre Guillermo del Toro & Chuck Hogan

Guillermo del Toro é um dos escritores e cineastas de maior destaque na indústria cultural americana. Del Toro é roteirista e diretor de O Labirinto do Fauno, HellboyCírculo de Fogo e A Forma da Água e, além disso, é também coautor da série de livros Trilogia da Escuridão.

Chuck Hogan é autor de best-sellers aclamados e foi apontado por Stephen King como um dos melhores escritores de suspense da atualidade. Além disso, com Guillermo del Toro como coautor, escreveu a Trilogia da Escuridão.

Sinopse de As Sombras do Mal

As sombras do mal: As fitas de Blackwood conta a história do encontro improvável entre a agente do FBI Odessa Hardwicke e o enigmático Hugo Blackwoood. Mas ao testemunhar um crime brutal e inexplicável e se ver forçada a tirar a vida do companheiro de trabalho, Odessa passa a questionar sua sanidade e seu futuro. Ela não consegue entender o que de fato aconteceu, mas tem uma única certeza: viu um vulto saindo do corpo do amigo, uma presença aterrorizante e maligna que jamais se apagará de sua mente.

Obrigada a realizar serviços burocráticos após o episódio, ela encontra fitas antigas ao organizar os pertences de um agente aposentado, e são essas fitas que a levarão até Hugo Blackwood. Fascinante e traiçoeiro, o homem pode ser a chave para desvendar o que aconteceu com o parceiro de Odessa e, ainda mais, trará a chance de defender a humanidade de uma ameaça sem rosto: os incorpóreos.

Espíritos vis que se alimentam de emoções e que se apoderam de suas vítimas, essas criaturas estão sempre prontas para abraçar o êxtase da morte e do caos. Blackwood conseguiu capturar três delas, e agora, ao lado de Odessa, parte em busca da última, mas essa jornada perigosa pode levá-los em direção ao abismo.

Resenha do livro As Sombras do Mal: As Fitas de Blackwood - Volume 1 - de Guillermo del Toro e Chuck Hogan.
As Sombras do Mal

Qual o limite entre magia e ciência? Existe um limite?

A pergunta pode parecer simples, já que, a cada ano que passa, mais a ideia de magia é associada às fantasias e menos à ideia de uma ciência ainda não compreendida. Tudo pode ser explicado à luz da razão. Ou era isso que Odessa, como boa parte de nós, sempre acreditou.

“Porém, naquela noite, algo de fato aconteceu. Na tentativa de usar a cristalomancia para invocar um arcanjo que lhes revelasse seu conhecimento divino, um limite foi transgredido. Uma lei da natureza foi infringida. Uma fronteira obscura, cruzada.”
Resenha do livro As Sombras do Mal: As Fitas de Blackwood - Volume 1 - de Guillermo del Toro e Chuck Hogan.

A agente do FBI Odessa Hardwicke se vê numa encruzilhada após um sequestro de avião se relacionar com o caso em que ela está trabalhando com o seu parceiro e mentor, Walt Leppo. O detalhe é que, quando ela desbrava a cena macabra da casa do suspeito, algo de estranho parece ter acontecido com seu parceiro, que tenta tirar a vida da única sobrevivente do massacre. Odessa não tem opção a não ser tirar a vida do parceiro. Tudo fica ainda mais estranho quando ela vê uma espécie de vulto saindo do corpo de Leppo, após a morte. Mas partir daí, sua vida não será a mesma.

“As pessoas chamam de arrependimento, mas é consciência. É a pura compreensão de que as medidas que você toma ou deixa de tomar impactam os outros diretamente. Você é cúmplice. Eu sou cúmplice. Somos todos cúmplices. Não falo de ter envolvimento em um crime, mas de ter a noção de que você prejudicou alguém, de certa forma. Acontece com todo mundo.”

Enquanto Odessa está sendo investigada pela conduta que levou à morte de Leppo, ela passa a fazer serviços administrativos e, assim, acaba conhecendo um agente aposentado do FBI que sofreu um derrame e precisa se aposentar, Earl Solomon. Quando ele descobre o que ela viu, já sabe a medida a ser tomada: ela precisa escrever uma carta pedindo ajuda a Hugo Blackwood, e deixá-la em uma caixa de correio pouco convencional.

“A respeito desse ínfimo mistério, ao menos um fato é corroborado repetidas vezes com o passar das décadas: toda correspondência que postam na Caixa é de caráter urgente – um pedido desesperado de ajuda – e todo envelope, sem exceção, traz o mesmo nome: ‘Ilmo. Sr. Hugo Blackwood'”.

A aparição de Hugo Blackwood promete desvendar o mistério da morte do agente Leppo, afinal Odessa precisa saber o que realmente aconteceu e ter certeza de que pode confiar em sua sanidade. Mas, ao lado de Blackwood, ela será levada para além dos limites da imaginação, conhecendo criaturas que pensava existir apenas nas mais sombrias histórias.

“Existiam quatro incorpóreos. Sempre existiram quatro incorpóreos. Mas Obediah era o único que ainda estava livre.”

Através da visão de Odessa, seguimos pelo ano de 2019, desvendando pistas, indagando e querendo saber, afinal, quem é Hugo Blackwood? Bem, talvez a resposta seja, em parte, uma incógnita. Mas teremos algumas pistas através de duas viagens no tempo, uma direto para 1582 e outra para 1962. Mesclando personagens e histórias, o fio condutor da trama engrossa, toma corpo e nos revela que os perigos espreitam em qualquer lugar. O detalhe é que às vezes, somos incapazes de vê-los.

“Foi por conta de uma transgressão. Uma transgressão contra a natureza. Uma bobagem, ou assim pensei. Um ritual… uma invocação. Um limite foi violado. O profano foi de encontro ao sagrado.”
Resenha do livro As Sombras do Mal: As Fitas de Blackwood - Volume 1 - de Guillermo del Toro e Chuck Hogan.

Especialmente se estamos nos referindo às criaturas chamadas de incorpóreos. São sinistros, famintos, movidos pela necessidade de uma saciedade que nunca será alcançada. Três deles já foram capturados, mas o mais vil de todos ainda está a solta. Só que é uma tarefa impossível capturar algo ao qual você sequer consegue ver ou agarrar.

“Você está fugindo de algo que não tem como escapar. E perseguindo algo que não tem como pegar.”

A narrativa e a trama criada por Guillermo del Toro e Chuck Hogan em As Sombras do Mal, é criativa e te envolve, leva para 2019 e logo depois, te faz imergir no século XVI, trazendo mistério e suspense no intricado jogo que está sendo colocado. E não apenas isso, faz questionar e ligar os pontos. Afinal,

“Tudo está conectado. Nada é mero detalhe, nada é mera coincidência..

Além disso, a história ainda evoca um crime macabro e relevante: o roubo de túmulos para fins de ocultismo, tema que se entremeia em toda a história, com várias referências à rituais religiosos que fazem parte do mistério do mundo criado em As Sombras do Mal tanto quanto do mundo real.

“Sempre acontecem em grupos de três, essas coisas, Todas as coisas ruins, na verdade.”

Uma aventura que vai desbravar os mistérios do além mundo, revirar túmulos e realizar invocações. Que te fará olhar duas vezes para qualquer vulto, pensar em conexões possíveis, querer conferir as provas. E, inegavelmente, aguardar ansiosamente pela continuação da série As Sombras do Mal. Mas não se esqueça, antes de qualquer coisa, você precisa ouvir As Fitas de Blackwood.

“O mundo perdeu o equilíbrio.”
Resenha do livro As Sombras do Mal: As Fitas de Blackwood - Volume 1 - de Guillermo del Toro e Chuck Hogan.
Aleatoriedades

As Sombras do Mal: As Fitas de Blackwood foi recebido em parceria com a Editora Intrínseca.

Apesar de ter suas diferenças, essa história me fez pensar em outro suspense, que li já há um bom tempo, chamado Iluminadas da autora Lauren Beukes, é só clicar aqui para conhecer.

Que a Força te proteja dos incorpóreos!

xoxo

Retipatia

2 thoughts on “As Sombras do Mal: as fitas de Blackwood ♥ Guillermo del Toro & Chuck Hogan

  1. Ah como eu desejo esse livro! Além de ser de Guillermo que sou fã pela direção de cinema, traz essa briga entre ciência e a vida, ou a morte, sei lá! rs
    Isso dos roubos de túmulos mexe com a imaginação e meu lado sombrio, gostou muito de ler tudo isso!
    Quero muito ler!!!!
    Beijo

    Angela Cunha

Repense, renove, rediscuta...

%d blogueiros gostam disto: