Onde Cantam os Pássaros ♥ Evie Wyld

Retipatia
Resenha de Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld, publicado pela DarkSide Books.

Onde Cantam os Pássaros traz a seguinte pergunta: é possível ver uma história de uma forma diferente, dependendo da ordem que ela narrada? Aquela velha história de a ordem dos fatores altera o produto? Bem, para quem lê o livro de Evie Wyld, quem sabe?

Onde Cantam os Pássaros (All the Birds, Singing)
Evie Wyld
Tradução Leandro Durazzo
DarkSide Books
2015 | 256 páginas
Disponível em Amazon
“Outra ovelha, mutilada e coberta de sangue, as vísceras ainda frescas e o vapor subindo dela como um pudim recém-cozido. Corvos esvoaçam e crocitam, com os bicos reluzentes, e quando agito meu cajado eles voam para as árvores, observando, abrindo suas asas. Cantando, se é que se pode dizer isso.”
Resenha de Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld, publicado pela DarkSide Books.
Sobre Evie Wyld

Evie Wyld é escritora. Seu romance de estreia, After the Fire, a Still Small Voice, foi selecionado para o Impact Prize, o Orange Awards for New Writers e para o Commonwelth Writer’s Prize, tendo conquistado o prêmio John Llewellyn Rhys. Em 2011, a autora foi indicada pela BBC como um dos doze nomes entre os melhores romancistas britânicos, e em 2013 integrou a Granta’s Best of Young British Novelists.

Onde cantam os pássaros ganhou o Miles Franklin Award, o mais importante prêmio literário australiano, o britânico Jerwood Fiction Uncovered Prize, e o Barnes & Noble Discover Award, oferecido pela livraria norte-americana aos novos autores de destaque. Vive em Londres e é uma livreira convicta; mantém uma pequena e simpática livraria independente no bairro de Peckham, a Review Bookshop.

Sinopse de Onde cantam os pássaros

Jake Whyte vive sozinha em uma velha fazenda, em alguma ilha britânica anônima, um lugar de chuvas incessantes e ventos violentos. Apenas ela, seu companheiro indomado, Cão, e um rebanho de ovelhas. Mas algo tem vindo atrás dos animais – de tempos em tempos algo surge à noite, arrebata uma ovelha e a faz em pedaços.

Poderia ser qualquer coisa. Há raposas na mata, um rapaz estranho e um homem esquisito, rumores sobre uma fera obscura e formidável. E há o passado desconhecido de Jake, talvez invadindo seu presente, uma história invadindo seu presente, uma história escondida há anos e há milhares de quilômetros, em uma paisagem de cores e sons diferentes. Uma história contada nas cicatrizes que cobrem suas costas.

Resenha de Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld, publicado pela DarkSide Books.
Onde cantam os pássaros

Jake é daquelas pessoas de poucos amigos, além do Cão, seu cachorro e única companhia na sua fazenda de ovelhas, é difícil que alguém realmente permaneça em sua vida.

A rotina na fazenda antiga, feita de madeiras que rangem sob qualquer sinal de vento, é a que se espera. Tosquiar as ovelhas, se recolher no tempo frio e não atolar na lama. Isso especialmente se você, como Jake, for alguém que prefere morrer no atoleiro à pedir ajuda de alguém.

Resenha de Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld, publicado pela DarkSide Books.
“Tenha um bom choro; era o tipo de coisa que mamãe diria aos trigêmeos, torcendo para que não fosse preciso levá-los ao hospital. Como na vez em que Cleve caiu de uma árvore e chorou de se esgoelar, até que mais tarde descobrimos que ele quebrara o braço. Mas não havia nada de bom no meu choro – ele me impedia de respirar, me machucava.”
“Tudo há de se aprender, de um jeito ou de outro.”

O detalhe é que além dos sons da madeira rangendo sob o mau tempo, nós temos também ovelhas que aparecem mortas. Difícil definir se mãos humanas ou que animal teria feito algo daquela forma, mas a questão é que os suspeitos, são vários, desde um um rapaz que certamente não vai com a cara de Jake (quase ninguém vai, é verdade), um homem que sabemos que também não é muito amigável e, já falei das lendas? Um ser misterioso que ninguém sabe exatamente como é, mas que, sozinha na fazenda, com ovelhas assustadas e um vento uivante, pode parecer muito real.

Resenha de Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld, publicado pela DarkSide Books.

Essa é a ambientação a que seremos apresentados na primeira linha temporal da história de Jake. Evie Wyld irá nos contar a história a partir de seu dia a dia, nos dando fragmentos de quem a personagem é, de onde ela veio. Em dado momento, nos perguntamos, o que Jake esconde e, então, é quando Wyld nos apresenta a segunda linha narrativa de Onde cantam os pássaros.

“‘Um vison pode fazer uma ovelha em pedaços, depois de morta. Ou uma raposa.’ Ele ergueu a cabeça da ovelha, para observar seus olhos. ‘Os olhos já eram’, disse. ‘Alguma coisa pode tê-la matado e depois todos os outros vieram tirar seus pedaços.’ Levantou ainda mais a ovelha. Franziu as sobrancelhas. ‘Mas nunca vi nada por aqui que conseguisse arrancar a pele de um bicho desse jeito.'”
“A terra aqui parecia me observar, sentir minha estranheza, prender a respiração até que eu passasse por ela.”
Resenha de Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld, publicado pela DarkSide Books.

Na segunda linha narrativa, vamos conhecer o passado de Jake, mas seguindo as ordens dos acontecimentos “de trás para frente”: serão os passos de Jake antes do início do livro, e então, os passos antes desses, e depois, os anteriores e assim por diante. Dizer qualquer coisa além disso seria dar um spoiler e tanto.

Essa segunda narrativa, que vai contando o passado de Jake, se mostra uma construção brilhante da história, não apenas a narrativa trás elementos reveladores e instigantes, mas nos reapresenta a personagem que julgávamos já estar sendo apresentadas na primeira narrativa. Duas visões da mesma pessoa.

“O olho humano percebe movimentos antes que qualquer outra coisa.”
“Mas quando vou trabalhar, uma noite, percebo o som de passos atrás de mim. Quando corro, eles aceleram.”

O que a narrativa inteligente e fluida de Wyld traz à Onde cantam os pássaros é mais do que apenas uma história bem contada, é a surpresa bem cosida à uma rede de elementos que compõem uma pessoa. Que compõem Jake. Ela nos leva da Austrália à Inglaterra através dos sons, cores, cheiros e texturas. O que ela descreve, nós vemos, sentimos e ouvimos enquanto lemos. E, como se tudo isso não bastasse, a trama ainda se carrega de um terror psicológico inteligente e sutil, que vai brincar com a sanidade do leitor através dos piores lados do ser humano até às coisas mais inimagináveis que podem destroçar ovelhas.

Assim, a história vai nos falar, especialmente, sobre o que é ser humano. Ser falho, errar. Perdão. Solidão. Sobreviver antes de viver. O peso do passado, o peso dos nossos atos. A ideia velha e desbotada da lei do retorno, quem sabe. Afinal, merecemos todo mal que causamos? O que nossos erros são capazes de dizer sobre quem somos?

“‘Você arruma um tempo para fazer as coisas, coisas simples, você faz do ato de tomar chá uma coisa bela. Aqui’, ela sorri e pega um pacote de biscoitos da mesa, que guardávamos para o jantar, ‘aqui a gente fica com essa merda de água e sal.'”
“Existe um silêncio no olhar de tantas pessoas. Ninguém faz perguntas. Ninguém diz nada, ficam apenas olhando, todos me vendo. E todos eles olhando com aquele olhar quieto.”

Onde cantam os pássaros é intenso, visceral. Traz uma realidade nua-crua, mas sem deixar de lado o encanto de uma boa prosa misteriosa, invocando até certa fantasia. É uma história sobre como o peso de nossas ações podem não apenas definir quem somos, mas controlar nossos passos e pensamentos. Nosso futuro.

Uma história que vai desafiar as leis matemáticas e lhe dizer: a ordem dos fatores pode alterar o resultado. A linha narrativa regressiva, não traz apenas uma inteligência inovadora para a história, mas sim a possibilidade de vermos a história de um novo ângulo, um o qual, talvez, nos desperte mais humanidade. Um que nos faz questionar a ideia de perdão, de carma, de solidão, de falhar, de errar, de justiça. Afinal, o que significam todas essas palavras, não é mesmo?

Aleatoriedades
Dicas de leitura

Ainda que com suas diferenças, a história de Jake me fez pensar em duas outras: Um Lugar Bem Longe Daqui, da Delia Owens (tem resenha aqui). Acho que, especialmente pela natureza que reverbera na história, pela personagem que vive em companhia da solidão.

Fun Fact: o título original de Um Lugar Bem Longe Daqui é Where the crawdads sing, que poderia facilmente ser traduzido para Onde cantam os lagostins, o que me faz pensar muito em Onde cantam os pássaros, que tem o título original de All the Birds, Singing. Em tradução literal seria algo como Todos os Pássaros, Cantando.

Seguindo a mesma trilha, tem também A Filha do Rei do Pântano, da Karen Dionne (tem resenha aqui), que traz outro suspense e uma vibe um tanto quanto mais crua, mas que também envolve a natureza, e uma personagem que experimenta um tipo diferente de solidão e temos uma narrativa bem crua de atos viscerais também. Uma leitura que também recomendo!

Edição DarkLove

Como sempre, a edição da DarkSide Books está impecável: capa dura, com ilustração maravilhosa, que une um lado macabro à natureza, com o impacto do rosa ao fundo. Fitinha preta, combinando com o corte do livro da mesma cor. Páginas amareladas, do jeito que adoramos ler, folhas de guarda decoradas. Qualidade da Caveirinha que amamos, é claro! Esse faz parte do meu selo favorito, inclusive: DarkLove, que é dedicado às vozes femininas da literatura.

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Retipatia

2 thoughts on “Onde Cantam os Pássaros ♥ Evie Wyld

  1. Que surpresa ontem no seu Ig ver e ler sobre um livro que eu nunca tinha visto e ainda da Dark que eu amo de paixão!
    Sabia que aqui no blog eu encontraria mais informações, tanto que já abri o Skoob e coloquei o livro na lista de desejados.
    A solidão é um treco tão denso e inexplicável. E essa quase comparação com Um Lugar Bem Longe Daqui que eu amo, foi algo que senti na alma.
    Com toda certeza do mundo, já quero muito esse livro em mãos!!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor(@vazionaflor)

Repense, renove, rediscuta...

%d blogueiros gostam disto: