J. Kendall: Aventuras de Uma Criminóloga #120 ♥ Berardi & Michelazzo

Retipatia
Resenha da edição #120 de J. Kendall: As aventuras de uma criminóloga de Giancarlo Berardi e Ernesto Michelazzo.

J. Kendall: aventuras de uma criminóloga #120, que leva roteiro de Giancarlo Berardi e desenhos de Ernesto Michelazzo reúne elementos incríveis em uma personagem destemida, humana e inspirada no ícone dos anos 50, Audrey Hepburn.

J. Kendall: Aventuras de Uma Criminóloga (Julia: Le Avventure di una Criminologa)
#120 Coração de Mãe | Uma Família Tradicional
Giancarlo Berardi & Ernesto Michelazzo
Tradução Julio Schneider
2016 / 260 páginas
Mythos Editora
Disponível em Amazon
“A regra principal de um detetive é que as testemunhas devem ser seguidas de perto, para que não preparem álibis ou despistes.”
Sobre Giancarlo Berardi

Giancarlo Berardi é um quadrinista italiano, naascido em Gênova, em 1949 e é mais conhecido por seus trabalhos nas revistas Ken Parker e Julia. Ganhou o Troféu HQ Mix de melhor roteirista em 2002 pela edição brasileira da revista Ken.

Sobre Ernesto Michelazzo

Ernestino Michelazzo é um cartunista italiano nascido em Ponte San Pietro em 1968. Frequentou a Escola de Quadrinhos de Milçao e fez vários trabalhos a partir de então, e em 2001, passou a trabalhar para a série Julia: Aventuras de uma criminóloga, a partir da edição #46, publicado em 2002.

Sinopse de J. Kendall: Aventuras de uma Criminóloga #120
Coração de Mãe

Uma boa mãe preocupa-se com o filho e quer para ele uma companheira perfeita. Para garantir isso Glenda Simmons sequestra jovens moças e, no cativeiro, submete as coitadas a uma educação severa. Quem não se submete é morta. A descoberta de um cadáver coloca Júlia no rastro daquela que está para se transformar numa impiedosa assassina serial!

Uma Família Tradicional

Uma boa tradição de família não se discute! Por isso, o filho do casal Gargoyle deveria seguir os passos dos genitores e se tornar um habilidoso ladrão profissional. Mas um roubo de joias, com uma morte, põe em risco as lições de boa educação do rapaz quando um valioso diamante é perdido durante a fuga e pode ter acabado no estômago de Toni, a gata de Júlia.

Resenha da edição #120 de J. Kendall: As aventuras de uma criminóloga de Giancarlo Berardi e Ernesto Michelazzo.
J. Kendall: a criminóloga inspirada em Audrey Hepburn que vai te conquistar

Julia Kendall é uma criminóloga forense que tem sua saga na série As Aventuras de uma Criminóloga, uma HQ italiana e que vai contar sua história ao longo das edições, misturando sua vida pessoal ao seu trabalho desvendando crimes.

O viés mais interessante é o tom realista que a HQ consegue imprimir para esses dois lados, a Julia que pensa em sua família, na vida que leva, e na profissional que busca solucionar os casos utilizando-se, claro, de ciência forense.

“Nem preciso de analista para entender o significado do sonho. O despreparo escolar é o da vida, é se sentir julgado, despreparado para os desafios. Mas quais? Amor, família, trabalho… ou tudo isso junto?”

Nesse caso, o roteirista Giancarlo Berardi acerta em cheio. A história consegue misturar suspense, ação e romance através de personagens bem desenvolvidos e complexos. Inclusive, texto, diálogos e desenhos andam em sintonia, com cada personagem sendo expressado de maneira inteligente em uma ótima junção entre palavras e traços.

A edição que li é a #120 (fotos), e tem duas histórias: Coração de Mãe e Uma Família Tradicional. Mesmo não sendo o início da história de Julia, é possível conhecer a personagem, se afeiçoar e torcer para que o criminoso seja logo pego.

Resenha da edição #120 de J. Kendall: As aventuras de uma criminóloga de Giancarlo Berardi e Ernesto Michelazzo.

Um detalhe interessante é que Giancarlo Berardi assistiu a aulas de criminologia, assim como de psicologia, e fez estudos sobre o sistema policial, legal e penal norte-americanos. Também estudou sobre feminismo* e tudo isso reflete e muito na credibilidade e fundamento da história que lemos. A história não tem um feminismo escancarado, mas demonstra através dos personagens e situações, questões importantes.

“- Sempre enfrentar a solidão dos outros, digo…
– Um bom modo pra exorcizar a própria.”
Resenha da edição #120 de J. Kendall: As aventuras de uma criminóloga de Giancarlo Berardi e Ernesto Michelazzo.

E, caso esteja se perguntando, para desenhar Julia Kendall, Michelazzo inspirou-se na icônica Audrey Hepburn, e, tal qual a estrela, a fez de fisionomia delicada, mas de personalidade marcante.

Em entrevista presente na edição, Giancarlo comenta sobre a inspiração da personagem na atriz assim como a vontade de realizar algo dentro do seu trabalho de conclusão de curso sobre a sociologia do romance policial, criando, assim, uma protagonista representante de sua época e, também, uma “investigadora da alma, com abordagens a meio termo entre criminologia e psicanálise“.

Nessa edição, a primeira história, Coração de Mãe, tem um título interessante, que se relaciona tanto com o caso de um serial killer a solta, que Julia está investigando, tanto com com a ideia de Julia de realizar uma adoção. Em Uma Família Tradicional, uma história com um tom um tanto quanto mais divertido que a anterior, temos um assalto que sai dos planos e o desaparecimento de Toni, a gata de Julia.

Sem dúvidas uma HQ muito recomendada e que é capaz de atrair fãs de todos os estilos. A trama inteligente fisga o leitor e é impossível não querer desvendar os crimes e, claro, ler mais edições!

Resenha da edição #120 de J. Kendall: As aventuras de uma criminóloga de Giancarlo Berardi e Ernesto Michelazzo.
Aleatoriedades
  • Informações sobre os estudos de Giancarlo Berardi: Quadrinheiros
  • Apesar de serem personagens quase opostas (pelo menos quanto ao lado da lei em que trabalham), Julia Kendall me fez pensar muito na história de Josie Schuller, a protagonista de Lady Killer de Joëlle Jones!
  • Algumas edições de J. Kendall: aventuras de uma criminóloga estão disponíveis na Amazon!

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Retipatia

Repense, renove, rediscuta...

%d blogueiros gostam disto: