BEDA #26 ♥ Caça Fantasmas

Em 26.08.2016   Arquivado em Reassistindo por Aí, Resenhas, Revolucione

Bom dia, tarde e noite everybody!

Vigésimo sexto dia de agosto, com menos de uma semana para o fim do BEDA, vou ajustando tudo – ou quase tudo – que estava pendente de postagem aqui no blog.

E, apesar de ser dia de postagem literária, no post de ontem, que falei sobre ‘plus size‘, me lembrei do filme Caça Fantasmas, que queria muito falar sobre ele aqui no blog e ainda não havia feito isso (me lembrei porque falei da Melissa McCarthy e tem ela no filme também!). Já adianto, se preparem para o boom de imagens aqui no post!!! ahaha

529627.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Caça Fantasmas

Direção: Paul Feig

Sony Pictures

Sinopse:  Atualmente uma respeitada professora da Universidade de Columbia, Erin Gilbert (Kristen Wiig) escreveu anos atrás um livro sobre a existência de fantasmas em parceria com a colega Abby Yates (Melissa McCarthy). A obra, que nunca foi levada a sério, é descoberta por seus pares acadêmicos e Erin perde o emprego. Quando Patty Tolan (Leslie Jones), funcionária do metrô de Nova York, presencia estranhos eventos no subterrâneo, Erin, Abby e Jillian Holtzmann (Kate McKinnon) se unem e partem para a ação pela salvação da cidade e do mundo.

Infos e Imagens do Post: Adoro Cinema

294305.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Primeiramente, vamos falar do filme, depois eu problematizo todo o fuzuê que rolou na internet desde antes de sua estréia. Para início de conversa, vou dizer que assisti aos filmes antigos, com Os quatro Caça Fantasmas. Mas, por mais que esse fato possa ter influenciado em minha avaliação do reboot, não foi de modo negativo.

221234.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Para começar falando sobre o elenco do filme, gente, que mulheres! Trabalham em excelente sincronia, possuem carisma e, são lindas, em todos os aspectos. A diversidade e representatividade que elas trazem só por serem as protagonistas é incrível e só faz com que nós, feministas de carteirinha, peça bis! Queremos mais mulheres em papéis de destaque, salvando o mundo e botando para quebrar. Porque nós também somos capazes e merecemos!

224359.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

As quatro atrizes principais, Melissa McCarthy, Kate McKinnon, Leslie Jones e Kristen Wiig, trabalharam bem seus papéis e parece que cada um foi escrito especialmente para cada uma delas. Sem tirar nem pôr. Fora isso, e do talento que elas esbanjam, há muita simpatia. O enredo é engraçado, e apesar do que muito se ouviu dizer por aí – não tem nada de forçado. São piadas boas, momentos bons e engraçados. Algumas cenas você tem o mesmo tipo de graça que se vê nos filmes antigos mas que, para algumas pessoas, não agradou nesse, pelo fato de serem mulheres atuando em tais momentos.

092605.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Em questões de estética, qualidade de animação e efeitos especiais, Caça Fantasmas sempre foi um filme que, assistido hoje, algumas coisas chegam a ser toscas, mas a gente releva porque, na época, era ‘top de linha’. E, no novo filme, tudo que você esperava que fosse bem feito, foi bem feito. Os fantasmas estão super legais e não perderam aquele estilo ‘colorido e vibrante’ que se tinha nos filmes antigos. E – pasmem! – isso também foi criticado, como se o filme, que tem o viés de comédia, precisasse de uma sobriedade para ser levado a sério, porque, convenhamos, são mulheres atuando, né?! É difícil até imaginar o que se passa na cabeça das pessoas com tais pensamentos.

090105.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Teve crítica até da forma como os atores dos filmes antigos foram usados, como se precisassem de maior destaque. Gente, não, eles não precisavam de maior destaque, estavam ali só para dar aquele gostinho de ‘já vi vocês fazendo isso antes’, que a galera adora quando rola um remake, reboot, sequência ou seja lá o que for o caso.

089323.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Mas, além do enredo ser ótimo, as atrizes ótimas e engraçadas, o filme também traz muitas mensagens legais, tanto sobre preconceito e racismo, quanto como gênero. Eu diria que é um filme feminista e, por isso, meus caros, incomodou tanto. Ele reverte a necessidade das mulheres serem salvas, colocando-as como personagens ativas e direcionadoras de suas próprias vidas e destinos (e do mundo todo né, porque salvam o mundo também, assim, de quebra!), e a reversão inteligente de papéis em que a secretária loira e burra fora magicamente transformada pelo secretário loiro e burro, contratado por sua aparência, e que foi interpretado pelo Thor, digo, Chris Hemsworth. Mas daí, um pequeno yey! para um cara querer interpretar esse papel, não porque ele seja salvador da pátria, mas em terra de patriarcado e machismo, é certeza que muitos atores não topariam. E, o papel dele incomodou muita gente e, ressalte-se, é exatamente para isso que estava lá. Para incomodar, para fazer com que as pessoas vejam o quão constantemente as mulheres são objetificadas e, como isso soa tão normal e correto para a maior parte delas. E, não é e nem deve ser.

088386.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

O pior de tudo é que, a grande e esmagadora parte das críticas negativas ao filme, ainda que se referindo ao enredo, o fato de ser um reboot, ou qualquer outro aspecto, configuram-se, na verdade críticas machistas disfarçadas de comentários críticos acerca do longa. E claro, tivemos as ofensas diretas às feministas e às mulheres dos filmes, porque elas são, ao bem dizer, mulheres.

223109.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Além de tudo isso, é impossível deixar de acrescer que, além do machismo nosso de cada dia, em que as quatro personagens centrais foram alvos, Leslie Jones foi a mais atingida, porque, para a maior parte das pessoas, ser mulher e negra, é como ‘crime em dobro’. Porque, além de machistas, as pessoas são racistas. Para quem não sabe ao que me refiro, basta dar uma ‘googlada’ pelo nome da atriz que verá reportagens sobre sua privacidade violada com o hackeamento (essa palavra existe ou acabei de criar???) de seu computador pessoal, os ataques na sua conta do Twitter. É lastimável e deplorável o comportamento dessas pessoas, é desumano. E, essa é mais uma razão pela qual precisamos de muitos mais filmes como Caça Fantasmas, porque precisamos de representatividade e, mais que isso, precisamos que as pessoas aprendam a respeitar as diferenças e aprendam o significado de igualdade.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por essas e outras, é triste ver que o filme não arrecadou tanto quanto o esperado e que, provavelmente, não tenha uma sequência. É engraçado porque parece que ele superou a marca de 300 milhões de arrecadação, em oposição aos pouco mais de 150 que custou. Só que, já vimos sequências serem feitas com expectativas muito menores do que essas, a diferença é que tais não estavam sendo levadas por um elenco feminino. Vamos batalhar para que isso mude e que, em breve, se tenha a oportunidade de ver cada vez mais e mais mulheres empoderadas arrasando, como essas quatro o fizeram, na tela grande.

100171.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Se tivesse que chamar, com certeza as chamaria, e vocês?

xoxo

Ouvindo: Ghostbusters Theme ♥ Fall Out Boy and Missy Elliot

BANNER BEDA cópia

%d blogueiros gostam disto: