Resenhas

Vergonha ♥ Brittainy C. Cherry

Vergonha
Brittainy C. Cherry
Editora Record
2019 / 420 páginas

Sobre a Autora

Brittainy C. Cherry é formada em artes cênicas, com especialização em escrita criativa pela Carroll University, em Wisconsin. Quando não está escrevendo, adora brincar com seus bichinhos de estimação. Ela mora com a família em Milwaukee, Wisconsin.

Sinopse

Um amor inesperado que surge de forma inusitada e arrebata a vida de Grace Harris. Grace Harris está perdida e sozinha em sua casa em Atlanta depois que o homem que ela pensou que ficaria a seu lado pelo resto da vida traiu sua confiança, partiu seu coração e saiu de casa, deixando seu casamento em suspenso. Grace resolve, então, passar o verão com a família em Chester, sua cidade natal, para respirar, dar um tempo de tudo. Sua vida está uma bagunça e o que ela precisa no momento é de um pouco de gentileza e compaixão.

Por incrível que pareça, Grace encontra isso na pessoa mais improvável de todas: Jackson Emery, a ovelha negra da cidade. Conhecido como a erva daninha de Chester, ele é sinônimo de encrenca, e não faz nada para mudar essa imagem. Tendo perdido na infncia o que havia de mais valioso na vida, Jackson se tornou um homem amargurado e não dá a mínima para o que pensam dele. Os caminhos de Grace e Jackson acabam se cruzando de um jeito inusitado e a tristeza profunda que carregam atrai os dois como ímã. Ambos sabem que não foram feitos um para o outro, mas, como tudo vai acabar mesmo com o fim do verão, resolvem deixar rolar e se entregar a uma diversão passageira.

Porém, o que Grace não imaginava é que seu coração, já destroçado, seria obrigado a aprender que certos relacionamentos são capazes de causar dores muito profundas, e que é sempre preciso fazer uma escolha.

Vergonha

Vergonha: das lições que aprendi com Brittainy

Vergonha, de Brittainy C. Cherry, é a prova de que não devemos, mesmo, julgar um livro pela capa.

Afinal, na versão que eu li, a capa traz a palavra “vergonha” em letras garrafais e o torso de um homem musculoso. É uma dessas leituras sensuais, pensei, como a obra de E. L. James.

Aliás, aqui vale um parêntese:

nossas avós já liam inúmeros romances eróticos cujo título é o nome de uma mulher, tipo Bianca, Roberta, etc., que compravam semanalmente nas bancas. Contudo, foi só depois do hype de Cinquenta Tons de Cinza que não só o erotismo na literatura feminina teve palco como, também, um monte de livros do gênero ganhou fama, mesmo sendo mal escritos.

Fecha parêntese.

Voltando à Vergonha, a capa me fez esperar por algo erótico, meio superficial, uma história que talvez seria interessante, se as cenas fossem bem escritas… mas, no geral, minhas expectativas estavam baixas. Eu diria que esse foi um fator para que eu me surpreendesse tanto, mas não estaria sendo justa com Brittainy Cherry. Ela realmente escreveu algo que mexe com nossas emoções e nos faz refletir muito sobre o modo como levamos a vida.

Tudo começa quando Grace e Finn, prestes a se divorciar, vendem a casa que tinham juntos em Atlanta, capital da Georgia. Ela ainda tem esperanças de que o marido volte a amá-la, mas Finn não dá sinais de que o romance será revisto. Além de uma relação fria, ele está voltando para a cidade natal deles, no interior do estado, para ser o médico do hospital local.

Chateada, Grace também volta para casa, com o intuito de passar o verão entre amigos e familiares. Vinda de um núcleo influente na cidade, graças à história de seus antepassados com a igreja, ela espera ser recebida de braços abertos. Mas, claro, não é isso que acontece. Além de sua mãe ser contra o divórcio, ela enfrenta o machismo, as fofocas e todos os plot twists que são comuns às pequenas cidades.

Nesse turbilhão, ela acaba esbarrando em Jackson, considerado o “monstro” municipal. Ele tem a fama de transar com todas as mulheres para “resolver seus problemas conjugais”, não se apegar a ninguém e ter vida social nula. Ao contrário de Grace, sua família passou por tragédias pessoais e reclusões danosas que, no fim, Jackson não tem tempo, ou energia, para tentar convencer as pessoas de que ele não merece o rótulo diabólico que o dão.

Assim, Vergonha é uma história de duas pessoas que têm seus sonhos destruídos pelos acontecimentos, estão perdidas e pretendem servir de muleta uma à outra, até que a cura para seus males seja encontrada.

Essa é uma leitura tocante, com apenas uma descrição de cena de sexo, que aborda temas como o papel da religião na vida de quem crê, a infidelidade, o machismo, o preconceito, o aborto, a morte e o alcoolismo, dentre tantos outros. E, mesmo assim, não é um livro pesado. Ao contrário: a cada virar de página nos sentimos mais e mais acolhidas pela narrativa, que é nada menos que encantadora.

Vou ficar por aqui antes de dar spoilers, mas já adianto que quero ler todos os livros de Brittainy e, quem sabe, papear com ela algum dia. As capas não são as que mais me impressionam, mas o conteúdo… aí a conversa é outra.

Lais Menini

Aleatoriedades
  • O livro Vergonha foi recebido em parceria com o Grupo Editorial Record / Editora Record.
  • Vergonha e outros títulos da Brittainy C. Cherry estão disponíveis na Amazon.

2 comentários

  1. Sua resenha me deu vontade de ler, esta na estante e desse ano não passa. Acho que quem olha essa capa imagina tórridas cenas de sexo e não é nada disso pelo que tenho visto. espero me emocionar com essa história.

    1. Oi Tati!
      Ah é mesmo como você disse, a gente já pensa num livro hot picante super cheio de cenas ehehe Surpreendeu muito a Lais, acho que você também vai! Coloca ele na fila e não deixa mesmo passar desse ano! <3
      Obrigada pela visita!
      xoxo

Repense, renove, rediscuta...