Resenhas

Com Amor, Simon ♥ Becky Albertalli

Com Amor, Simon
Becky Albertalli
Intrínseca
“…você não acha que todo mundo devia ter que sair do armário? Por que o comum é ser hétero? Todo mundo devia ter que declarar o que é; devia ser uma coisa bem constrangedora, não importa se você é hétero, gay, bi ou sei lá o quê.”

Sobre a Autora

Becky Albertalli é psicóloga, o que lhe proporcionou o privilégio de trabalhar com muitos adolescentes inteligentes, estranhos e irresistíveis, e por sete anos foi orientadora de um grupo de apoio em Washington para crianças com não conformidade de gênero. Mora em Atlanta com o marido e os dois filhos. Simon vs. a agenda Homo Sapiens é seu primeiro livro.

Sinopse

Encantadora história de amor que questiona os padrões sociais chega aos cinemas em 22 de Março com nova capa e novo título, a apaixonante história de Simon que conquistou milhares de leitores com uma trama que trata com naturalidade e bom humor a afirmação e os dilemas de um adolescente gay.

Agora, a adaptação do romance chega às telas de cinema com Nick Robinson, de Jurassic World, no papel de Simon, e Katherine Langford, protagonista de 13 Reasons Why.

Simon Spier tem dezesseis anos e é gay, mas não conversa sobre isso com ninguém. Ele não vê problemas em sua orientação sexual, mas rejeita a ideia de ter que ficar dando explicação para as pessoas – afinal, por que só os gays têm que se apresentar ao mundo? Enquanto troca e-mails com um garoto misterioso que se identifica como Blue, Simon vai ter que enfrentar, além de suas dúvidas e inseguranças, uma chantagem inesperada.

Simon vs. A Agenda Homo Sapiens

Simon é um adolescente comum do segundo ano e é gay. O único detalhe é que ninguém sabe disso, nem sua família, nem seus amigos. A única pessoa com quem ele conversa sobre ser gay é Blue, o garoto que ele sabe que também está no segundo ano na Creekwood, mas que nunca viu pessoalmente. Isso porque eles se correspondem por e-mails. E ali, Simon pode realmente falar de tudo, sem ter que se preocupar em sair ou não do armário ou ter que pensar na reação das pessoas.

Tudo vai muito bem com sua vida, obrigada, até que num descuido, ele deixa seu e-mail logado em um computador da escola. E é aí que alguém vê seus e-mails. E o ameaça. Se ele não ajudar essa pessoa, todo o conteúdo irá parar no site de fofocas da escola.

“todos somos como casas com aposentos enormes e janelas pequenininhas.”

Movido pelo desespero de ter suas mensagens reveladas e, ainda sob o risco de perder o contato com Blue – por quem, é claro, ele já nutre sentimentos profundos demais pra dizer em voz alta – ele se vê diante de situações complicadas. É exatamente nessa confusão que a história de Simon se desenrola e somos apresentados à sua fiel trupe de amigos: Nick, Leah e Abby, assim como sua família. Todos fazem parte de sua vida de uma maneira que define não apenas quem é Simon, mas que trazem valiosas lições sobre amor, amizade e sobre ser aceito.

Uma das coisas mais adoráveis da história (sim, a história é adorável, e não é uma palavra que uso muito, mas veio a calhar agora), é exatamente o fato da narrativa ser leve. Estar na mente de Simon é como reviver dias da adolescência, não extremamente felizes, nem tristes, mas cheios de verdades e dificuldades que, quando olhamos para trás, trazem nostalgia e até mesmo uma compreensão melhor de quem somos. As lições, que estão longe de ser apenas sobre preconceito, homofobia e respeito à diversidade, falam também sobre perdão, sobre pessoas legais que também cometem erros e que, às vezes, ser sincero com aqueles que nos são mais próximos, pode ser ainda mais difícil do que àqueles que acabamos de conhecer. No fim, somos todos feitos de erros e acertos.

“Sentir-se seguro quanto à masculinidade não é a mesma coisa que ser hétero.”

Entre um amor incessante por Oreos, infindáveis trocas de e-mails, estudos, festas, encontros na Waffle House, a história se desenvolve, mostrando a rotina escolar, o desabrochar do romance adolescente, que é construído muito bem através dos e-mails transcritos no livro e que intercalam perfeitamente com a dinâmica dos dias de Simon, vemos outras tramas adjacentes tomando forma, como relações de amizade que são estreitadas, outros romances que surgem (afinal, adolescentes = hormônios à flor da pele = juventude = amor) e a relação com alguns outros personagens que não fazem exatamente parte do trio Simon-Leah-Abby, mas que também são importantes.

Seja pelo amor incessante de Simon pelo biscoito Oreo, seja na constância em ouvir músicas que definem seu humor ou na hora de não ter certeza alguma sobre coisa nenhuma, uma coisa é certa: a história tem pontos fortes capazes de dialogar com qualquer adolescente ou com qualquer um que goste de ler histórias juvenis.

“Meu pai inventou o conceito de lógica do Simon, e não consigo me livrar disso. Significa uma vontade sustentada por evidências frágeis.”

Simon Spier tem um lugar especial no coração de quem lê, não apenas pela sua simpatia e ser do tipo que de pessoa que queríamos ser amigo, mas também por ter um coração enorme, ser cheio de vida e pela relação que é capaz de estabelecer com aqueles que o rodeiam.

Os Spiers, inclusive, são quase uma família de comercial de margarina, de tão fofos, mas, é claro, isso é fachada. Porque são bem mais reais do que isso, aliás, são reais, cheios de defeitos e disfuncionais, como toda família. O importante, o que faz gostar tanto dela, é que são pessoas que sempre estarão prontas quando alguém precisar.

Quanto à trupe de amigos de Simon, resta dizer que, se todos os adolescentes tivessem um Nick, uma Leah e uma Abby em suas vidas, com certeza a adolescência não seria um tempo tão tempestuoso de suas vidas.

Sem dúvidas, Com Amor, Simon, é uma leitura leve e cativante, que aborda temas importantes e que ainda traz aquele gostinho inesquecível da juventude e de que o amor é capaz de superar qualquer barreira!

Com Amor, Simon

Em 2018 foi lançada uma adaptação do livro intitulada Com Amor, Simon, razão pela qual o livro, originalmente publicado no Brasil como Simon vs. A Agenda Homo Sapiens (no original: Simon vs. The Homo Sapiens Agenda) foi relançado no mesmo ano com nova capa e título, pela Editora Intrínseca.

No filme, Simon é um garoto de dezessete anos que se corresponde com um garoto via internet, até que seus e-mails são revelados e ele segue numa busca para saber quem é Blue, enquanto lida com a vida e a revelação que fizeram por ele. Alguns caminhos da história foram alterados na adaptação para as telonas (o que desapontou alguns fãs), mas palavra de escoteiro, as mensagens mais bonitas do livro estão todas lá. As que falam do relacionamento com a família, com os amigos e, especialmente sobre aceitar quem você é e não ter medo disso.

Dessa vez a ordem dos fatores aqui foi diferente, já havia assistido ao filme em 2018 e apenas agora que tive a chance de ler o livro. E, sem dúvidas, claro que, em se tratando de mídias diferentes, haveriam diferenças e o filme trouxe uma versão super legal para a história e que, sem dúvidas, vale a pena conferir!

Evento Intrínseca Fãs da Becky Albertalli

Nessa semana de julho teremos posts seguidos para falar dos quatro livros da Becky Albertalli, na ordem de lançamento: Com Amor, Simon; Leah Fora de Sintonia; Os 27 Crushes de Molly e E Se Fosse A Gente?, o livro mais recente e escrito com o autor Adam Silveira.

O motivo dessa mini maratona é porque a Intrínseca preparou um fim de semana cheio de eventos para os Fãs da Becky Albertalli, nos dias 27 e 28 de julho! Aqui em Beagá irei mediar o evento junto ao blog Coisas de Mineira e em parceria com a Livraria Leitura Shopping Cidade. Dá pra conferir mais clicando no banner:

Com Amor, Simon e outros títulos da autora podem ser adquiridos pela Amazon! E comprando pelo link do blog, você ajuda o Retipatia, sem gastar mais nada com isso!

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Retipatia
Ouvindo: Waltz – Elliott Smith

15 Comments

  1. Leticia Vieira says:

    Adoro seu ig e seu blog, que você continue assim, fazendo esses resumos apaixonantes

    1. Oi Leticia!
      Ah feliz que goste daqui e do ig! 🙂
      Obrigada pela visita!
      xoxo

    2. Gisele Thais says:

      O filme achei tão fofo, ainda não tive a oportunidade de ler os livros da autora mas só pelas resenhas sei que são muito bons e abordam temas superinteressantes!! Não vejo a hora de poder lê-los.

      1. Oi Gisele!
        Ah sim, o filme é uma fofura que só! E vale a pena o livro também, acho que consegue ser ainda mais fofo! <3 Espero que possa ler logo!
        Obrigada pela visita!
        xoxo

  2. […] é Leah. Ou, por assim dizer, parte da confusão que é essa adolescente que nos foi apresentada em Com Amor, Simon (ou Simon vs. A Agenda Homo Sapiens), o livro de estreia da Becky Albertalli. Leah é uma das […]

  3. Gisele Thais says:

    Ahhhh, eu só vi o filme e amei.. o livro deve ser maravilhoso também!!!

    1. Oi Gisele!
      Ah o filme também é um amor, e vale muito a pena ler o livro também! <3
      Obrigada pela visita!
      xoxo

  4. Um dos livros preferidos da minha filha, acho que todos nós passamos o livro tentando identificar quem seria o Blue, querendo interagir com os amigos e a família do Simon.

    1. Oi Tatiane!
      Ah faz total sentido ser um favorito, porque é muito lindinho mesmo! <3 Sim, quem não fica doida querendo saber quem é o Blue? Passei por isso no filme e, mesmo já sabendo quem seria durante a leitura, foi ótimo acompanhar o raciocínio do Simon!
      Obrigada pela visita!
      xoxo

  5. […] dos livros da Becky (a autora já lançou Com Amor, Simon, Leah Fora de Sintonia e E Se Fosse A Gente?, este último com o autor Adam Silvera), Os 27 Crushes […]

  6. […] escrevendo em parceria com outro autor. Os outros livros dela já lidos e resenhados por aqui são: Com Amor, Simon; Os 27 Crushes de Molly e Leah Fora de […]

  7. Eu amei conhecer Simon, uma história muito fofa e gostosa de se lê. Adorei suas fotos tbm, muito lindas

    1. Oi Amanda!
      Ah sem dúvidas uma história fofa e deliciosa de ler! Feliz que tenha gostado das fotos!
      Obrigada pela visita!
      xoxo

  8. Em um dos meus livros juvenis favoritos de todos,Jennifer Niven disse através de uma personagem: adorável é uma palavra adorável que devia ser usada mais vezes. É verdade e é ideal para descrever a tão gostosa trajetória do Simon!
    Ok, ok, só vi o filme, é verdade. Sei que são mídias diferentes com fatores diferentes.Talvez exista uma memória afetiva aqui, também, por ter sido o primeiro filme que assisti graças ao meu blog. Mas não importa! O que importa é que as mensagens da história são, de fato, essenciais! Desde discussões sobre a heteronomatividade compulsória nossa de cada dia até a vibração de alegria em ver ele e Blue juntos haja emoção e identificação até de quem já “passou da idade” de se sentir como adolescente novamente…

    1. Oi Luly!
      Ahh acho que combinou mesmo! Qual o livro da Jennifer Niven (Juntando os Pedaços, Por Lugares Incríveis!?)? Apesar das partes que o filme poderia ter sido melhor, eu acho que ele representa bem o espírito do livro, a mensagem geral, o quentinho no coração, tá todo lá! E acho que o filme nem é tão teen assim, sabe!? Acho ele tão família, tipo, vamos ver e debater sobre coisas importantes na vida. E gosto muito da forma que a autora trouxe pro debate, com a simples exemplificação do sair do armário. Acho incrível como ela trabalha tudo isso e, pra mim, sem essa de idade! ehehe <3
      Obrigada pela visita!
      xoxo

Repense, renove, rediscuta...