O Lado Obscuro ♥ Tarryn Fisher

O Lado Obscuro
Tarryn Fisher
Faro Editorial
“A espera pela morte é a pior forma de tortura que uma pessoa pode imaginar.”

Sobre a Autora

Tarryn Fisher é autora best-seller do The New York Times. É cofundadora de um blog de moda e coautora de uma série com Colleen Hoover. Tarryn reside na área de Seattle com sua família. Ela adora dias chuvosos, Coca-Cola, café e sarcasmo, e acha que o Instagram é o novo Facebook.

Sinopse

Considerada a obra mais visceral de Tarryn Fisher, você entenderá porque leitores de vários países o elegeram como um dos livros mais especiais de suas vidas.Quando a escritora Senna Richards acorda na manhã de seu aniversário, ela não está em seu quarto. Raptada e trancada numa casa em meio a uma tempestade de neve, ela precisa decifrar as pistas ligadas ao seu passado para conseguir fugir. Forjada pela dor, moldada pelo abandono, Senna se tornou uma mulher que destrói antes de ser destruída…Apenas uma pessoa conseguiu atravessar suas barreiras e conquistar sua confiança, mas isso aconteceu há muitos anos…“Isaac era um estranho, mas foi capaz de enxergar minhas feridas mais do que qualquer outra pessoa.”O cirurgião Isaac encontrou Senna em um momento de caos e vulnerabilidade, depois de um furacão que lançava cinzas sobre suas feridas. Ele a ajudou quando ninguém mais pôde, mas agora, tudo está diferente. Depois de tanto tempo distantes um do outro, os dois estão presos na mesma cabana, e podem ser consumidos por recordações que esperavam esquecer. Além do perigo que os cerca, a escassez de comida e água, e os jogos perigosos do raptor, um sentimento antigo começa a despertar, ameaçando romper novamente as defesas de Senna, o que pode ser fatal.

Veia Ruim

Imagine acordar em um quarto que não é o seu e sua última lembrança ser de estar abastecendo seu carro? Um quarto que poderia ser o seu, mas não é. Roupas que poderiam ser suas, mas não são. Alguns detalhes não batem, as cores, o frio, os lençóis…

É exatamente assim que Senna Richards desperta certo dia, presa em uma casa que não é a sua, completamente selada, impossível de escapar. Isso é claro, e um outro detalhe importante, ela não está sozinha, Isaac, que pertence apenas a seu passado, também fora trancafiado lá com ela. Entre a dúvida de quem fez isso com ela, o envolvimento de Isaac e o estoque limitado de alimentos, ela precisa vencer seus medos para conseguir escapar.

“Quando você permite que uma pessoa entre na sua casa para verificar se há um bicho-papão escondido, você também está inconscientemente deixando essa pessoa entrar na sua vida.”

O tempo passa e, em meio a dias monótonos e angustiantes de dois aprisionados, os detalhes do passado, aquele que acontecera a Senna antes mesmo de conhecer Isaac aparece em foco, assim como os motivos que a levaram Isaac a ser alguém importante em sua vida.

O mistério se mantém forte por quase todo o livro, a história, intercala partes que contam os dias no cativeiro e o passado de Senna, revelando aos poucos, ao leitor, quem ela é e qual a relação dela com Isaac. Apesar do desfecho ter sido um pouco corrido, especialmente na fundamentação dos motivos do captor, a surpresa foi garantida, mas não necessariamente satisfatória, já que a revelação não conseguiu ser, de fato, um clímax intenso na história. Quase como se a resolução não fosse à altura do enredo proposto.

“Eu ouvi tudo que você não disse. E ouvi muito bem, porque o seu silêncio soou alto. Seu silêncio ecoou tão forte que eu não poderia deixar de ouvi-lo.”

A história não poupa detalhes pesados, especialmente em se tratando do passo de Senna, que, sem dúvidas, não foi nada fácil. Ainda assim, a sensação é de que a descrição de alguns pontos que seriam cruciais na formação de Senna, foram deixados abafados, enquanto outros, destacados por serem do tipo chocantes. Infelizmente, a sensação foi de que a autora recorreu ao “choque por chocar”.

A história é sim muito interessante, especialmente quando analisamos a ideia principal, o motor da trama, mas caiu com o desenvolvimento e resolução. A ideia de obra visceral que é vendida na contracapa do livro não vingou, e, no fundamento de tudo, está uma história de um amor (sim, pode não parecer, mas essa é uma história de amor) para salvar o amor próprio da protagonista. Nada contra ser esse o motor de uma história, mas, no fim, pareceu que pegou um romance que não deu certo por alguma razão, mas trouxe coisas boas para a personagem e deu uma pincelada de acontecimentos chocantes para deixá-la com cara de inovadora.

“As vozes são, e sempre serão, temerosas demais para falar tão alto quanto um livro. É por isso que os escritores escrevem, para dizer coisas em voz alta com tinta. Para dar movimento aos pensamentos. Para fazer sentimentos inertes e silenciosos soarem alto e forte.”

A narrativa também sofre ao longo da história, em algumas partes se mostra fluida, em outros, segue pausada em suas descrições de um modo que o texto parece pausado, sem ritmo. O que, por aqui, trouxe decepção, já que tinha altas expectativas para essa leitura, tanto pelo renome que a autora têm ganhado tanto quanto pelos comentários acerca da obra.

O Lado Obscuro, título que dá nome à versão brasileira de Mud Vein, traduzido na história como ‘veia ruim’ quando citado, traz uma ideia interessante sob a personalidade da história, mas confesso que gosto muito mais da ideia de Mud Vein, da veia ruim, que faz uma relação bem mais íntima e interessante com a personagem. Inclusive, Lado Obscuro, me leva a pensar nas coisas que poderiam fazer parte da história e que foram esquecidas pelo caminho, deixando alguns pontos sem ou com explicações rasas. O Lado Obscuro da personagem, na verdade, é muito mais trágico do que obscuro, nada do que lhe acontece é por sua culpa, algo pelo qual ela tenha, de fato, responsabilidade, que a obscureceu, na verdade, suas tragédias a trancafiaram em seu próprio corpo, e, tudo, como coloca a história, pela veia ruim que ela possui.

Mas nem só de veia ruim foi feito o livro. Ele traz boas reflexões, praticamente todas da mente da própria Senna, que conduz a narrativa em primeira pessoa. Mesmo que por vezes sua mente seja tão fechada que falte acesso até o leitor, algumas descobertas que surgem pelo caminho tratam de temas importantes, ainda que chocantes e trágicos (explicitá-los aqui seria spoiler dos grandes…). E trazem também, interessantes pontos de vista, que servem de ótima reflexão. O Lado Obscuro de Senna Richards, no fim das contas, é tão grande como o meu ou o seu, ou o de qualquer desconhecido que esbarramos na rua. A questão é que fazemos questão de esconder muito bem a nossa veia ruim.

“É doloroso olhar para dentro de você mesmo e ver como e por que você faz o que faz. Você constata que é muito mais feio do que pensava, e bem mais egoísta do que seria capaz de admitir. Por isso, você ignora o que existe dentro de si, na esperança de que, se você não tomar conhecimento dessas coisas, elas passarão despercebidas. Até que alguém improvável aparece e rompe a sua blindagem.”

Aleatoriedades
  • O Lado Obscuro foi recebido em parceria com a Faro Editorial, através do Resenhando por Marina, onde a resenha foi postada originalmente.
  • A ideia para as fotos, dessa vez, foi mais em sintonia com o laranjado dos detalhes da capa e a faca, bem, elemento crucial na trama, tem que ler pra descobrir!

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Retipatia
Ouvindo: You’re so vain… (only in my mind…)

Repense, renove, rediscuta...

    • Oi Tatiane!
      Sim, é bem complicado. Esse é um livro que dividiu muitas opiniões, muita gente amou e outras já tiveram algumas impressões próximas às minhas. Realmente é do tipo que tem que ler pra experimentar! ehehe 🙂
      Obrigada pela visita!
      xoxo

  1. Eu daria uma chance pra esse livro só pela sua resenha rsrs.. amei os quotes que você colocou, me fizeram querer lê!!