Resenhas

O Verão que mudou minha vida ♥ Jenny Han

O Verão que mudou minha vida
Jenny Han
Editora Intrínseca
“Minha vida era contada em verões. Como se eu não vivesse de verdade até junho, até estar naquela praia, naquela casa.”

Sobre a Autora

Jenny Han nasceu na Virgínia, Estados Unidos, e cursou mestrado em escrita criativa pela New School. Sabe fazer um brownie perfeito, é ótima em inventar apelidos e tem paixão por livros de receitas. Sua série de TV preferida é Buffy – a caça-vampiros. Mora no Brooklyn, em Nova York. É mais conhecida no Brasil pela trilogia Para todos os garotos que já amei, que virou filme da Netflix.

Sinopse

Uma garota. A primeira paixão. E um verão inesquecível.

Sempre que chegam as férias de verão, Isabel Conklin deixa para trás sua vida monótona na cidade e vai com a família para Cousins Beach. A casa de praia é seu segundo lar, e é lá que Belly reencontra as pessoas que mais ama: a melhor amiga de sua mãe, Susannah, e os filhos dela, Conrad e Jeremiah.

Ano após ano, ela tenta se aproximar de Conrad, mas nunca dá certo. Parece que o garoto nunca vai corresponder aos sentimentos de Belly. Dessa vez, no entanto, ela percebe algo diferente: Jeremiah passou a enxergá-la com outros olhos, e os dois estão cada vez mais próximos. Belly mudou. E esse verão tem tudo para ser o melhor de sua vida.

O verão que mudou minha vida

Se precisasse definir o sabor do verão, diria que ele tem o gosto de Conrad O Verão que Mudou Minha Vida. Não é segredo que me apaixonei pelo estilo simples, delicado e harmônico da Jenny Han com a leitura de Para todos os garotos que já amei. Quando veio o lançamento da trilogia Verão, sabia que seria uma história que eu precisava ler. Precisava conhecer Belly tanto quanto conheci Lara Jean.

E qual foi a surpresa mais esperada quando cheguei na casa de praia de Cousins Beach e o aroma do mar fluiu das páginas, os pés fincaram na areia e o sol aqueceu a pele com aroma de protetor solar. É claro que isso foi exatamente quando Isabel chegava junto de sua mãe, Laurel e seu irmão Setven e se juntava às companhias que espera por todo verão: a da melhora amiga de sua mãe, Beck e seus filhos Conrad e Jeremiah.

Talvez seja injusto dizer que a expectativa dela era igualitária, Conrad é e sempre foi o primeiro amor de Belly, a razão do disparate que acomete seu coração de vez em sempre. Com Jeremy a história é outra, a amizade flui em um nível que extrapola o que ela tem com seu irmão Steven. Steven é… Steven, é claro. Já Beck é como um anjo da guarda que lhe faz todas as vontades durante o verão e, amainada pela temperatura alta e pela forte amizade de anos a fio, a mãe de Belly sempre consente com o tratamento especial.

É nesse enlace de personagens, intercalando memórias dos verões anteriores e o presente, que Belly se descobre desabrochar. Não apenas se vê diferente, como também é notada. Não exatamente por quem ela desejava (leia-se Conrad), mas por um garoto que detém todas as qualidades que ela poderia desejar: Cam, a perfeita definição de “summerlove” (amor de verão). E, claro, não podemos esquecer o fator Jeremy, sempre no meio de toda a história e com olhos que veem bem além da amizade.

Neste misto de se descobrir, de revelar sentimentos e segredos, Belly começa a perceber as nuances das vidas daqueles que a cercam e todos os acontecimentos da história levam à certeza que o título do livro anuncia: esse é o verão que mudaria sua vida para sempre.

Não apenas no quesito amor, ok, há sim muito amor espalhado pelas páginas cobertas de maresia e espuma do mar. E, nesse ponto, o título original do livro The Summer I Turned Pretty (em tradução livre: o verão em que fiquei bonita) vem bem a calhar na forma como Belly se vê e, em consequência, em como os outros a veem. Há uma relação forte na história com esse aspecto, a crença de que este verão é o decisivo, que este é a porta de entrada para que sua vida finalmente inicie, que saia do modo contínuo de esperar, verão a verão, para submergir das águas salgadas.

De outro lado, a conotação de O Verão que mudou minha vida, fala mais da história. Fala de Belly, mas fala também dos outros personagens, da relação de uns com os outros e da eterna sintonia que algumas semanas recoberta de areia e protetor solar podem trazer. De um jeito ou de outro, essa é das poucas vezes que gosto mais do título adaptado do que do original de uma obra.

A sutileza e beleza da história não está entremeada no título ou nos descobrimentos amorosos de Belly, ou, longe disso. Relacionamentos são o foco, aquele que temos com nós mesmos, com nossos familiares e amigos. Fala sobre o peso e as expectativas que tudo isso envolve. Sobre o peso que costumamos carregar pelas outras estações do ano, assim como aquele que colocamos sobre os ombros já ardidos de sol dos que nos rodeiam.

A vida não espera que você tenha um verão perfeito para acontecer, não espera que seu primeiro amor seja retribuído, não espera as suaves melodias tocarem sob o fundo do barulho do mar cessar para criar um maremoto. Não, são os pequenos detalhes de todos os dias quentes do verão que a compõe, que a fazem girar, banho de mar após banho de mar, nascer do sol a pôr do sol.

Como o ninar das ondas do mar, o gosto salgado, o cheiro de maresia e a pele ardente pelo sol, O verão que mudou minha vida é um romance sobre primeiro amor, sobre família e amizade, sobre o peso das ondas que cada um carrega, sobre as marcas de sol de verões passados que não se desgastam pelo tempo e sobre o nascer do sol que se repete o ano inteiro sem, jamais, se repetir.

Quotes

“Eu adorava aquela estrada, aquele momento. Ver a cidadezinha de novo, o restaurante de frutos do mar, o campo de minigolfe, as lojas de surfe… Era como voltar para casa depois de ter passado muito tempo fora. E o verão estava cheio de promessas e possibilidades.”

“Fiquei me perguntando se era daquele jeito que as paixões antigas morriam – um suspiro de agonia, até que, de repente, nada.”

“Ninguém pode fazer você se sentir mal, Belly. Não sem a sua permissão. Foi Eleanor Roosevelt quem disse isso.”

“Senti aquele velho empuxo, a correnteza me levando de novo. Continuava presa àquela corrente – a do primeiro amor. O primeiro amor continuava me trazendo de volta a isso, a ele. Eu ainda perdia o fôlego só de ficar perto dele. Tinha passado a noite anterior pensando que o superara, pensando que eu estava livre, que o tinha esquecido. Só que não importava o que ele dissesse ou fizesse: eu nunca o esqueceria.”

Aleatoriedades
  • O verão que mudou minha vida faz parte de uma trilogia da autora Jenny Han, lançado pela Editora Intrínseca simultaneamente. Os dois volumes seguintes são: Sem você não é verão e Sempre teremos o verão. Em breve farei a leitura das continuações e, claro, vai rolar resenha delas aqui no blog!
  • O livro foi recebido em parceria com a Editora Intrínseca e agradeço pela confiança e oportunidade!
  • Na hora de fotografar o livro, sem dúvidas houve uma parcela de tristeza em pensar que não vivo numa cidade litorânea, com um mar denso para servir de pano de fundo. Um tanto quanto conformada, tentei trazer elementos que me remetessem ao verão, à praia, ao sol e, claro, ao livro.

O Verão que mudou minha vida e outros títulos da Editora estão disponíveis nas maiores livrarias físicas e virtuais do país, para conferir opções de compra, é só acessar Editora Intrínseca!

Que a Força esteja com vocês!

Ouvindo: Free Fallin – Tom Pretty

19 Comments

  1. Acho que já comentei por aqui, no post sobre o livro “Para todos os garotos que já amei”, que esse não é o tipo de leitura que me chama a atenção. Mas sabe-se lá por qual motivo, eu acabei lendo esse e me encantei pela Lara Jean. O livro é uma gracinha, a história fofa e os personagens bem desenvolvidos. E aí que eu gostei da escrita da Jenny Han, li também o segundo livro e pretendo ler o terceiro. E agora parece que fiquei curiosa para conhecer a Belly. O sentimento é bem o que você escreveu : “Precisava conhecer Belly tanto quanto conheci Lara Jean”. Entrou para lista de leituras. E essa capa é linda! Amei a combinação das cores nas fotos!

    1. Oi Juliana!
      Olha a Lara Jean conquistando até os corações mais incautos! hehehe Também acho a história uma gracinha e esse da trilogia Verão segue a mesma linha! Certeza que, se você foi conquistada pela Lara Jean, será conquistada pela Belly! <3 Essa capa é mesmo um encanto e feliz que tenha gostado das fotos! Obrigada pela visita!
      xoxo

  2. Gente, que livro gostoso, reflexivo e tranquilo. Confesso que relaxei ao ler sua resenha e agora desejo demais ler essa obra por inteira. Foi muito bom!!! Anotada a dica, pois irei ler, com certeza!!! Na próxima visita à livraria, voltarei com ele em mãos.

    1. Oie!
      Ah esse livro é mesmo assim, super tranquilinho, mas cheio de acontecimentos que nos fazem refletir muito! Vale muito a pena a leitura, especialmente se gosta desse gênero literário! Espero que faça uma boa leitura e obrigada pela visita! <3
      xoxo

  3. Olá, Rê! Primeiramente, que parceria bela essa, não é? Um mérito lindo! Parabéns!
    Bom, Jenny Hann atualmente é nossa “famosinha” literária, e não é por menos: uma escritora linda e talentosa! Adoro!
    Sobre sua resenha, preciso reforçar o que sempre digo aqui: um trabalho perfeito, e que me inspiro bastante, a cada linha que leio, a cada foto que admiro, na organização, escolha de quotes, enfim… Tento sempre aprender um cadinho com você! E sou grata!
    Essa série eu não conhecia, mas consigo perceber aqui no blog o quão linda ela seja!
    Beijos!

    1. Oi Ana Cláudia!
      Ah obrigada, eu fiquei muito feliz com essa parceria esse ano, coração nem cabe no peito! <3 Sim, Jenny Han está super em alta e adoro isso porque realmente ela é muito talentosa! Feliz que tenha gostado da resenha e especialmente que ela serve de inspiração para você! <3 Vale a pena conhecer essa série da Jenny Han! <3
      Obrigada pela visita e pelo carinho!
      xoxo

  4. Olá!
    Apesar de odiar o verão com todas as minhas forças (calor aqui do Rio não dá!), quero muito ler essa trilogia da Jenny Han por causa da temática leve e romântica que ela trás às suas histórias (vide a trilogia “Para todos os garotos…”, que li sem muitas expectativas e amei <3)
    Parabéns pela resenha e pelas belíssimas fotos, que ficaram super especiais e condizentes com o que a história parece querer transmitir.

    Beijinhos, boa semana e boas leituras.
    Isabelle
    https://livrosgatoscafe.wordpress.com/
    https://blogalgodotipo.wordpress.com/

    1. Oi Isabelle!
      Ahhh eu te entendo, eu também não sou nem um pouco fã de calor e de verão, mas esse livro me fez ver as melhores partes dessa época do ano! <3 Também amei Para todos os garotos...!!! <3
      Obrigada, feliz que tenha gostado da resenha e das fotos, foi com muito carinho! <3
      Boa semana e boas leituras também!
      xoxo

  5. Daiane Costa says:

    Olá!
    Sou nova aqui no seu blog e no mundo da leitura, mas já estou amando tudo, inclusive fiquei doida pra ler esse livro. Eu amo o verão e histórias de verão, apesar de morar em Salvador – Ba e não aproveitar muito a minha cidade sempre viajei e aproveitei as cidadezinhas litorâneas onde meus familiares moram e pela sua resenha eu me identifiquei muito com a história da Belly. Já estou ansiosa para ler, rs
    Amei o capricho do seu blog, tudo muito lindo! <3
    Beijos, Rê!

    1. Oi Daiane!
      Ah seja bem-vinda! Esse mundo da leitura é maravilhoso e acredito que tem tudo para te conquistar! E a história de Belly é exatamente assim, um gostinho de verão que sempre faz a gente pensar na própria vida e nessa época que costuma ser bem marcante! Espero que goste da leitura, vale muito a pena conhecer a escrita da Jenny Han! <3
      Obrigada pela visita e pelo carinho!
      xoxo

  6. Suas fotos ficaram um chuchuzin, e combinam perfeitamente com a estação que passou. Acho que você deve saber que eu não gosto do verão… não gosto nadinha, na verdade. Estou aliviada pelo outono ter chegado hehe.
    O único contato que tive com a escrita dessa autora foi pelos livros da série Olho por Olho. Se não me engano, ela escreve sobre uma das protagonistas, e a a personagem dela foi minha preferida hehe. E, sim, eu não peguei o hype de Para Todos os Garotos que já Amei; não li e nem assisti, embora tenha curiosidade. Não sei se fiquei tão curiosa quanto a essa “trilogia verão”, pois não costumo ler romances assim, mas quem sabe um dia…? 🙂
    Amei a sua resenha, ficou um amor <3

    1. Oi Luh!
      Ah feliz que tenha gostado das fotos!
      Eu sei que você não curte o verão, eu também detesto, Luh, não dou certo com calor e com o abafamento e com o suor e tudo o mais. Mas, se dá pra tirar algo bom da época, é a vibe gostosa desse livro! eheh <3
      Ainda não li a série Olho por Olho, tô bem curiosa e recentemente completei a trilogia e vou encaixar nas próximas leituras em breve (provavelmente depois que finalizar a Verão e ler os dois últimos de Para todos os garotos que já amei!).
      O dia que quiser experimentar um romance leve e gostosinho, esse é uma boa e Lara Jean, também!
      Obrigada pela visita e pelo carinho!
      xoxo

  7. Obviamente não conheço a autora, mas não é o tipo de leitura que me atraia, você sabe.
    Ao ler a resenha me lembrei de filmes “tipo sessão da tarde” e de momentos curiosos de minha juventude. Nasci em uma cidade litorânea, mas nunca curti a parte praia e sim as pedras pouco depois do bosque. Gostava de ouvir o som das águas batendo nas pedras. Era uma explosão deliciosa, ficava ainda melhor na época fria. Gostava mesmo de observar a cidade, com seus telhados até o mar e ouvir o som das embarcações chegando ao Porto. Certa vez, ao entrar no bosque, me deparei com uma multidão a vasculhar meu “cenário particular” Procuravam pela menina desaparecida e fui obrigada a voltar para casa. Cabisbaixa e chateada por ter sido avisada de que era um lugar perigoso e impróprio para alguém tão pequeno. Soube anos mais tarde que encontraram o corpo da menina nas pedras.
    Acho que todos nós temos histórias estranhas-engraçadas-esquisitas sobre algum verão, mas sabe que nunca pensei em escrever sobre isso? Sei lá, deve ser porque o verão me pareça algo sempre ligado a juventude e não é essa fase que me agrada. Gosto mesmo das questões adultas. rs

    bacio

    1. Oi Lunna!
      Eu sempre viajo nas suas memórias quando elas afloram por aqui… ahaha E sim, se Verão virasse filme, seria a cara da sessão da tarde! Um tipo de sessão da tarde que eu gosto! eheh
      De praia, praia, também não sou a maior fã, gosto do vai e vem das ondas e sempre vou nos espaços com pedras e que se sai do espaço que o se aglomera pra assar sob o sol… rs História triste essa, mas sem dúvidas o mar é uma força por si só e não tem pena de quem não o teme.
      Também faço essa associação com o verão e juventude, muita energia… por isso que já nasci velha, amante do inverno! ehehe
      Obrigada pela visita e pelo papo! <3
      xoxo

  8. Viviane Almeida says:

    Olá, tudo bem? Eu ainda não li nenhum livro da Jenny Han, acho que as histórias que ela escreve são muito juvenis e não chamam a minha atenção. Mesmo assim, fui influenciada por uma amiga a assistir o filme “Para todos os garotos que já amei”, achei a história bem fofa mas, não teria paciência para ler o livro..rs.

    Em fim, quero dizer que concluindo a leitura da sua resenha tive certeza que, não teria paciência para ler os livros da autora mas, achei muito fofa a sua opinião e estou apaixonada nas suas fotos.

  9. Olá, tudo bem? Eu ainda não li nenhum livro da Jenny Han, acho que as histórias que ela escreve são muito juvenis e não chamam a minha atenção. Mesmo assim, fui influenciada por uma amiga a assistir o filme “Para todos os garotos que já amei”, achei a história bem fofa mas, não teria paciência para ler o livro..rs.

    Em fim, quero dizer que concluindo a leitura da sua resenha tive certeza que, não teria paciência para ler os livros da autora mas, achei muito fofa a sua opinião e estou apaixonada nas suas fotos.

    1. Oi Viviane!
      Ah sim, os livros tem uma vibe juvenil, até mesmo porque os personagens centrais são adolescentes e vivem questões comuns à essa fase da vida! 🙂 E sim, o filme é bem fofo, assim como a história. Se realmente não é sua vibe, dificilmente a história iria te prender!
      Feliz que tenha gostado do post e das fotos! <3
      Obrigada pela visita!
      xoxo

  10. Glaucie Mendes de Souza says:

    Rê, amei a resenha, quero muito ler esse livro, sabe aquele amor a primeira vista, desde o primeiro dia que vi esse livro, imaginei o quanto a história deve ser envolvente e o quão lindo ele é, que diagramação, e a certeza que tenho que lê-lo.
    Ps.: Apaixonada pelas suas fotos, que perfeição.

    1. Oi Glaucie!
      Ah esse livro é um amorzinho que só ele! Essa diagramação também não deixa nada a desejar e enche os olhos de fofura e desejo pela leitura! Feliz que tenha gostado das fotos!!! <3
      Obrigada pela visita!
      xoxo

Repense, renove, rediscuta...