Contos & Crônicas

dentre tantos, favoritos e prediletos…

dentre tantos, favoritos e prediletos…

Não sou de ter um ou dois. Até mesmo mesmo três ou quatro… é pouco em demasia.  Enumerar em ordem de preferência é, provavelmente, algo ao qual não fui letrada.

Variam de estado. De estado de espírito. Da meu e do deles.

Não é ser feito de células, carne, osso e líquido rubro. É de ideias, de rabiscar da ponta do lápis-caneta-lapiseira ao papel, ou até ao dedilhar das teclas da máquina de escrita ou teclado.

É ser feito de tempestade, fúria, inconformismo e indigna-inação, como diria o Skank. É quem transpira pelas palavras, pelos gestos e pelas consoantes. Que ama e desama as vogais. Que faz o queixo de leitor cair, traz perplexidade pela alma destroçada, esmiuçada e analisada sob o crivo do bom legista que é.

Sangra em cada palavra. Traça cada uma em mente para então buscar a sonância, a cadência que mais lhe atrai como primeiro leitor que é de si mesmo.

É esse meu favorito. Ou seriam estes?

Capaz de criar Mr. Darcy e falar bem mais do que de amor quando os olhos daqueles ao seu redor não esperavam mais que novelas-românticas.

Capaz de iludir e esconder a verdadeira identidade dos personagens, para intrincar os caminhos criados na mente tanto quanto os que existem na história.

Capaz de usar tantos adjetivos que subverte a ideia do não me diga que está chovendo, me molhe. E molha, exatamente por dizer que está a chover. Faz chover.

Capaz de criar magia em folhas de papel e fazer enxergar bem mais do que os olhos estão dispostos a ver.

Capaz de reinventar um bom clichê.

Capaz de trazer calafrios à noite silenciosa. Ou suspiros junto à brisa do verão. Quem sabe risos incontroláveis durante a tarde de primavera. Talvez capaz de se esquecer do outono, vez por outra.

Capaz de trazer neve às terras quentes, chuva ao sertão mais árido, amor ao coração quebrado. Ou sangue às feras mais sedentas.

Não tem forma específica, o que importa mesmo são os contornos que revela a cada palavra que escreve.

Ideias aleatórias escritas para a blogagem coletiva do Interative-se. O tema, ‘meu autor favorito’

Que a Força esteja com vocês!

17 Comments

  1. Boa noite! Você não citou nomes e citou muitos. Faliu até de si, na primeira pessoa ou segunda-terceira. Até porque pensar em escolher um autor, é nos escolher, afinal, a gente se apaixona por estilos-ritmos que já existem em nós.
    Aqui vai um clichê. Adorei o post.
    Bacio

    1. Oi Lunna!
      Ahaha isso deve ser culpa da indecisão intrínseca à minha pessoa… rsrsrs E acredita que, enquanto escrevia, não pensava em mim? Mas acho que é impossível falar desse assunto e não se considerar, nem que seja de maneira inconsciente.
      Feliz que tenha gostado! Obrigada pela visita! <3
      xoxo

  2. […] Participaram Ana Claudia | Claudia | Fernanda  |Renata […]

  3. E qual o seu autor preferido!!! Realmente acho que esse foi um grande desafio…Eu diria uma crueldade…
    Abraços!

    1. Ficou a charada né?! Mas o texto revela, um pouco sem revelar… rsrsrs
      Obrigada pela visita!
      xoxo

  4. Eu escrevendo sobre meu autor favorito provavelmente faria um post parecido. Não com a mesma habilidade, pois sou melhor escrevendo textos técnicos e explicativos do que textos poéticos e expressivos. Mas de qualquer forma me reconheço totalmente na sua indecisão e na dificuldade de eleger um único favorito ou mesmo de dizer de qual eu gosto mais ou gosto menos. Gostei muitíssimo desse post! E gostei muito da máquina de escrever que aparece na foto, um dia quero ter uma.

    1. Oi Juliana!
      Ahhh você também me entende! eheheh Eu tentei pensar mil e um autores, e, no fim das contas, vi que seria muito difícil eleger fulana ou beltrano pra ser favorito. É sempre uma tarefa hercúlea que eu defina algo assim… Feliz que tenha se identificado e curtido o post!
      A máquina de escrever também era um sonho, essa era usada e agora é meu xodó! <3
      Obrigada pela visita!
      xoxo

  5. Gente!!! Que post fantástico!!
    Eu viajei nas palavras e confesso que pensei em tantos autores!! E esses que não coloquei em meu post para escolher um só.
    Achei tão perfeito!! Amei demais!!

    bjs

    1. Oi Fernanda!
      Ah que amor! Feliz que tenha gostado da proposta de apresentação dos meus favoritos! ehehe É difícil eleger apenas um, sem dúvidas!
      Obrigada pela visita!
      xoxo

  6. Você, hein!!! Ter-rí-vel! Rsrsr! Amei! Perfeito! Belíssimas palavras! Um encanto em forma de post! Me sinto grata! Beijos!

    1. Oi Ana Cláudia!
      Ah feliz que tenha gostado do post, foi um pouco diferente e respondeu sem responder a proposta, mas obrigada pela leitura! <3
      xoxo

  7. Hahahaha…que terrível você.
    Sabe, tem autores que fazem tudo isso que você disse ai no seu texto comigo…trás calafrio, neve às terras quentes, mas ele faz isso em um livro e de repete no próximo que leio não me trás o mesmo deleite.
    Então tenho vários que adoro, mas a minha preferido eu escolho fácil, fácil rs.
    Beijos

    1. ahahaha é, eu contei sem contar!
      É mesmo difícil pra mim definir um só, é difícil definir favoritos, de modo geral…
      E agora me deixou curiosa sobre quem é seu favorito… ehehe
      Obrigada pela visita!
      xoxo

  8. Oi Rê
    Foi o post mais original e diferente!
    Muito bacana. Eu ao contrário de você, preciso nomear e escolher, entre os meus preferidos…
    Adorei o texto e a foto
    Beijão

    1. Oi Cláudia!
      Ah obrigada! Eu realmente não sei citar apenas um ou dois… rsrsrs Feliz que tenha gostado!
      Obrigada pela visita!
      xoxo

  9. Analia Menezes says:

    Rê. Eu pensei no meu do texto que seri a Jane, mas depois fiquei confusa. E agora? Que charada!

    1. Oi Analia!
      Eehehhe são sempre várias as opções… 😉
      xoxo

Repense, renove, rediscuta...