A Improvável Annelise ♥ Taty Azevedo

Em 28.01.2018   Arquivado em Resenhas

Bom dia, tarde e noite folks!

Hoje levarei vocês à conhecer os alienígenas mais legais que vivem entre nós. Sim, você leu corretamente, os anteranos vivem entre os humanos há mais de quinhentos anos e aposto que você já esbarrou com um na rua, um desconhecido que parece captar os seus pensamentos momentâneos… e nem fazia ideia.

Título: A Improvável Annelise

Autora: Taty Azevedo

Editora Astral Cultural

A Autora

Taty Azevedo é jornalista e apaixonada por histórias. Já morou em cinco estados diferentes e tem como objetivo viajar o mundo. Descobrir uma vida nova em cada lugar a fez perceber que todos possuem uma realidade fantástica que precisa ganhar as páginas dos livros. Mantém o projeto “Meu Querido Astronauta”, em que mostra por meio de crônicas esse pedaço do Universo para um amigo viajante espacial.

Sinopse

Era uma vez pessoas de um planeta distante, poderes especiais, um sequestro, um Guardião e uma pedra. Essa realidade fantástica invade a vida da pacata Annelise no dia em que seus pais desaparecem. Longe de casa e cercada de estranhos desconhecidos, ela se descobre descendente do povo de Antera e deve aprender a confiar em seus instintos para salvar a família. Uma aventura cheia de sentimentos e surpresas.

A Improvável Annelise

Annelise Toderestá fora de casa, bem distante do seu recôndito preferido: o lugarejo que chama de lar, na beira do Parque Nacional da Serra Geral, entre os cânions do sul do Brasil.

Tudo isso porque seus pais insistiram para que ela estudasse fora e conhecesse o lugar de onde vieram: Áustria, com alguns meses de estudos prévios em Viena. Logo o prazer dos estudos vem acompanhado pelos Emma e Jake.

O que ela não espera é receber uma ligação de sua irmã-gêmea Elissa informando que seus pais se acidentaram. Apesar de não ter um bom relacionamento com a gêmea, Anne sabe que ela não brincaria numa situação tão preocupante. Preocupante a ponto de impedir Anne de retornar para casa. Hans Guth, amigo até então desconhecido de seus pais, lhe dará abrigo.

“Era feliz sendo apenas Annelise. Enquanto Elissa sonhava com o mundo, ela preferia fincar raízes nas pedras. Gostava do ar gelado da serra cortando seu rosto, do cheiro da terra molhada e da neblina cegando a manhã. Os cânions eram sua casa, e sua casa era seu lugar no mundo.”

Sabendo que nada a impedirá de ir atrás de seus pais, já que as informações de sua irmã não fizeram muito sentido, Annelise parte para o aeroporto para viajar de volta ao Brasil. É exatamente quando Hans a encontra e, por mais que não deseje retornar, é convencida. Respostas mais claras lhe serão dadas tão logo estejam em segurança. Não que Anne saiba porque precisam de segurança.

As surpresas não cessam e a jovem logo descobre que Oliver, um estranho que lhe causa um incômodo toda vez que está por perto na faculdade – já que também é amigo de Emma e Jake, mas não de Anne – é também filho de Hans.

A verdade lhe é servida à mesa na casa de Hans e de sua esposa Greta: seus pais são anteranos, descendentes do povo de Antera que se refugiou na Terra depois que seu planeta teve fim. E, não apenas eles, mas também ela, sua irmã e todos que a rodeiam no momento.

“Não era a mala que a incomdava, era o mundo que tinha se tornado pesado demais para ela continuar.”

O motivo do desaparecimento de seus pais tem relação com o mistério agora revelado, gêmeos são raridades dentre o povo anterano e costumam deter muito poder. Por isso Anne e sua irmã correm perigo. Famílias anteranas cheias de poder estão em busca de despertar a famosa pedra de antera, que será responsável por indicar quem será o próximo rei ou rainha dos anteranos.

Entre uma jornada para descobrir a verdade sobre seus pais, derrotar os querem lhe fazer mal e descobrir quem será o próximo rei ou rainha, Annelise precisará da ajuda dos anteranos que a cercam e dos poderes que, até então, sequer sabia existir.

“…cabe explicar que Antera era um reino, mas seu governo não era hereditário. Tornava-se Rei ou Rainha quem nascesse com o poder real, ou seja, quem conseguisse canalizar energia suficiente para ativar a pedra de Antera.”

(Im)prováveis Impressões de Annelise

Imagine que está caminhando em um parque, senta-se em um banco qualquer e observa as pessoas ao seu redor, todas tão iguais e, ao mesmo tempo, tão diferentes. Já parou para refletir que uma delas pode não ser deste planeta? É exatamente essa a ideia que A Improvável Annelise trouxe, seres completamente iguais à nós em aparência, mas que escondem toda uma sociedade altamente organizada e sistematizada por detrás de suas similaridades.

Além, é claro, de alguns poderes que qualquer reles humano adoraria ter: levitação, escaneamento e bloqueio (dos seus e dos sentimentos das outras pessoas), cura, força… Tudo devidamente distribuído entre suas inúmeras linhagens: guardiões, curandeiros, mestres, realeza…

“Em um singelo mostruário de vidro repousava um colar simples. Uma tira de couro servia como corrente e uma pedra quebrada pendia dele. Ela, no entanto, era uma das joias mais bonitas que Anne já vira em sua vida. Havia um semicírculo de fundo escuro e um arco-íris de cores faiscando de seu interior, tornando-a simplesmente hipnotizante.”

Um mundo intrincado dentro do nosso próprio. É assim que Taty Azevedo constrói a história de Annelise e nos leva pela história de Antera e de seu povo através das descobertas de sua protagonista. História tão bem construída que lhe faz crer que todos esses ET’s caminham diariamente ao nosso redor, sem que nos demos conta. Ou, no meu caso, faz com que eu apenas deseje descobrir que toda minha família também é Anterana e só não me contaram, porque esperavam um momento adequado (acho que agora estou pronta para receber a notícia, ok família!).

Annelise começa quase uma incógnita, acreditando a si e fazendo a todos pensar que seria bastante improvável que ela fizesse qualquer diferença no destino de todos. Mas, mais que essa improbabilidade, é o fato de que, ao buscar respostas sobre o povo de Antera, seus pais e tentar entender e controlar os poderes que jamais imaginou possuir, ela descobriria muito mais a si mesma.

“Pôs o medalhão sobre o peito e amarrou ela mesma o couro na base da nuca. Fechou os olhos, não tinha sobrado muita força para aquele teste, mas se concentrou em mandar tudo o que tinha para o ponto exato em que a pedra tocava sua pele.”

A leitura de Annelise foi super fluida, rápida, gostosa. A escrita contada em terceira pessoa nos envolve e os mistérios da aventura te deixam curiosa. Os personagens são cativantes e é bastante improvável que você não tome partido dos sentimentos de cada um deles (e, claro, da vida amorosa de Annelise… ahaha).

Existem muitos ensinamentos no livro, mas um dos que mais gosto é sobre irmandade. Por muito tempo Anne e sua gêmea Elissa são incapazes de superar suas diferenças e, durante o crescimento da história e do auto-descobrir de Anne, elas percebem o quanto é importante não apenas os laços familiares, mas de irmandade. Ter um irmão é ter um companheiro para a vida inteira e, por mais que possa parecer difícil, vale a pena lutar para ter nossos corações abertos a ouvir, entender, ceder e também se fazer ouvir, ser entendido e mostrar sua posição. É sobre balanço e a história mostra isso com louvor. A força de dois é sempre maior que de um.

“Certas pessoas são como navios que só passam uma vez pelas nossas vidas. Cabe a nós decidir se arriscamos embarcar mesmo sem saber o destino final ou se ficamos na segurança do porto já conhecido.”

Tenho certeza que, agora, como eu, você irá procurar melhor pelos sinais de magia ao seu redor e desconfiar se o amigo da sua concunhada ou o vizinho que é sempre perceptivo demais, é um anterano. É (im)provável que seja…

Com medidas certas, Taty consegue nos dar romance, aventura, ação, emoção e divertimento em uma história fantástica. Annelise é, das anteranas que conheço, a mais improvável delas.

“Annelise era muito improvável, ela mesma sabia disso.”

Prováveis Aleatoriedades

  • Esse livro lindo, que entrou pra lista das capas que mais amo na estante, foi recebido em parceria com a autora Taty Azevedo, depois que participei da seleção de parceiros dela. Nem acreditei quando vi  o @retipatia lá… Aproveito a resenha para deixar um mega agradecimento para a Taty pelo carinho, afinal, A Improvável Annelise foi o livro mais belamente embalado que já recebi! Obrigada também pela oportunidade, Anne entrou para o meu coração e a história foi tão cativante, que a levarei para toda a vida, sem dúvidas. O improvável me trouxe sim, boas surpresas!
  • Tentei fazer as fotos do livro cheia de elementos combinando com a capa… até perceber que ele não precisava de muita coisa ao seu redor, por si só já é lindo, né?
  • Além da capa linda, que eu já devo ter falado umas mil vezes aqui, a edição do livro é muito boa, gosto da qualidade do papel, a cor amarelada e a configuração das folhas, espaçada e boa de ler. A revisão também é muito boa.
  • Esse comentário tem spoiler, se não quer saber, pula pro próximo: eu virei team Oliver, sem dúvidas, porque tudo na história me levou a vê-lo como ele realmente é e não apenas como aparenta à princípio, para Anne, com todo aquele incômodo. Mas, Sebastian eu quero muito saber mais sobre ele, sinto que todo seu potencial não foi evidenciado na história, se me entendem… ehehe
  • Fiz a leitura desse livro lindo com a Má, do Resenhando por Marina, que também fez resenha desse lindo e que já saiu e você pode conferir clicando no nome do blog dela. Foi uma delícia ter conseguido a parceria junto dela e, assim fazer a leitura em dupla!
  • Sem dúvidas, fantasia é o meu gênero literário favorito e foi uma delícia ler essa que, sem dúvidas, entrou pro roll das preferidas. E, por isso, resolvi voltar com a Reclassificação de Livros: A Improvável Annelise é do tipo que ‘Leio até mesmo de pé esperando o ônibus’! Para conhecer a Reclassificação, é só clicar aqui!

“Não deixe de acreditar – falou a Curandeira, fechando os olhos. – O improvável acontece.”

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Assistindo: Once Enrolado a Time – 6ª Temporada

  • Hanna de Paiva

    Em 28.01.2018

    Oi Re, cara que livro mais lindo esse! Fantasia também é meu gênero favorito e amei Annelise. E o mais bacana é que se passa em terras brazucas! Coisa que até então nunca tinha visto… tudo que era extraterrestre, mágico e afins só podia acontecer na Europa… kkk
    Achei super legal a história e já vou procurar pra ler aquj tb. Espero que ainda dê esse ano, do jeito que anda minja lista literária… kkk
    E sim, apesar de nunca ter lido esse livro, tem algumas pessoas que passam pela gente e não parecem ser desse mundo! Agora depois dessa resenha então, vou olhar com mais atenção pra ver se tem algo de diferente… kkk
    Bjks!

  • Retipatia

    Em 28.01.2018

    Oi Hanna!
    A história começa aqui no Brasil, deslancha lá na Áustria e depois passeia aqui e volta pra lá! Mas a personagem principal, a Annelise, é brasileira! ehehe A leitura é super recomendada, encaixa ele na lista, sei que a gente faz listas enormes, mas Annelise merece! <3
    ahahahah É melhor se ligar, vai que tem anteranos por aí e você nem sabia né?! ehehe
    Obrigada pela visita!!! <3 <3
    xoxo

  • Isabelle felicio

    Em 28.01.2018

    Acho que os filmes que eu assisti me fizeram desgostar um pouco de ETs, mas sou completamente apaixonada por fantasia e depois de ler sua resenha fiquei mais que disposta em fazer mais uma tentativa e ver se finalmente vou me apegar a algum personagem extraterrestre. A resenha me deixou super curiosa por mais <3 QUERO!

  • Retipatia

    Em 28.01.2018

    Oi Isabelle!
    Eu super acho que a leitura vale a pena dar a chance para os extraterrestres, viu?! Annelise é um amorzinho e esses são ET’s tão gente como a gente que é impossível não se apaixonar! <3
    Obrigada pela visita! <3
    xoxo

  • Lunna

    Em 28.01.2018

    Essa história me lembrou um pouco um livro que li durante as férias de algum ano anterior a esse… na companhia de uma prima jovem. Era duas irmãs gemeas também que se descobriam bruxas e precisavam aprender a lidar com seus poderes para resgatar os pais que haviam sido levados para outra realidade por um bruxo que sabia que quando elas alcançassem determinada idade se tornariam poderosas.
    Faz anos, não me lembro como o livro terminou e não é o tipo de leitura que gosto, mas não sei recusar leituras coletivas. Adoro acompanhar reações, vozes e toda a discussão que emerge da leitura.

    Bem, fantasia não é meu gênero favorito, acho que não tenho nada por perto, mas já foi, quando eu era criança amava. Mas me apresentaram os russos, os ingleses e seus romances maquiavélicos, adivinha… me apaixonei perdidamente.

    Mas confesso que fiquei surpresa quando você mencionou que a personagem vem parar no Brasil. Juro que não imagino um ET no Brasil. kkkkkkkkkkkkkkkk é muito coisa de estadunidense. Se bem que as teorias da conspiração já chegaram por aqui, porque não os ETs… rs

  • Retipatia

    Em 28.01.2018

    Gente, que coincidência essas histórias! E me deixou curiosa pra saber que livro é e como é que a história se desenrola!
    Eu também amo leitura coletiva, poder comentar com alguém a história, que está descobrindo junto a você a leitura, ainda mais porque geralmente eu não tenho companhia de leitura! ehehe
    Eu não sei viver sem fantasia, gosto de outros gêneros, mas não adianta, me apresentam de tudo e fantasia me leva pra outro mundo (um bem mais fantástico que o real, essa é a realidade… ahaha).
    A história passa um pouco no Brasil, a maior parte é lá fora, mas a personagem é brasileira e eles dão um pulo aqui no BR. <3
    xoxo

  • Bruna Bueno

    Em 28.01.2018

    si eu nao tivesse lido seu post eu nunca imaginaria que teria a ver extraterrestres eu gosto de livros que tem uma pegada mais diferente mais para ser sincera mais nao imaginaria que esse livro seria assim ainda mais por a capa nao dar nenhum sinal que a historia pode ter coisas tao diferentes adorei conhecer o livro

  • Retipatia

    Em 28.01.2018

    Oi Bruna!
    A capa não indica nada da vida extraterrestre mesmo, mas a sinopse dá aquela ajuda, mesmo assim depois que a gente lê consegue perceber a sintonia que a capa tem com a história e fica ainda mais bonita! <3
    Obrigada pela visita!
    xoxo

  • Aline Callai

    Em 28.01.2018

    Oi Rê ! Aaa que demais, adorei a história e com certeza leria! Eu adoro fantasia e acho que leria super rápido também. Amei a capa e a identidade visual do livro e fiquei bem curiosa para ler.
    Resenha ótimam parabéns!
    Beijos

  • Retipatia

    Em 28.01.2018

    Oi Aline! Essa história vale a pena! Eu li bem rapidinho e é uma fantasia super legal, já é das minhas queridinhas! <3
    A capa é linda né, o visual todo é super legal e acho que combina bem com o estilo da história! <3 Obrigada pela visita, feliz que tenha gostado da resenha! <3 <3
    xoxo

  • Luana de Souza

    Em 28.01.2018

    Antes de mais nada, parabéns pela parceria, Rê! Deve ser tão legal ter parceria direta com o autor, e pode ter esse contato. A capa é realmente linda, e eu adorei a premissa da história. Realmente gosto desses livros que misturam a nossa (chata) realidade com coisas fantásticas <3

    Acho que muitos dos livros que você resenha por aqui entram para a minha lista de desejados, e com esse não foi diferente. Sua resenha ficou incrível, e suas fotos estão um amor *-* tudo combinando hehe!

    Beijos.

  • Retipatia

    Em 28.01.2018

    Oi Luh!
    Own obrigada, eu acho incrível as parcerias com os autores, é sempre bom esse contato mais próximo e deixa a leitura até mais legal, se sentir muita raiva, dá até pra ir lá reclamar com o autor! ahahah
    Eu acho que você gostaria desse livro, a história é super fofa e é uma fantasia adorável, tira a mesmice da nossa realidade, sem dúvidas! <3
    Que bom que eu ajudo sua listinha de desejados a aumentar! ehehe Obrigada pelo carinho! <3
    xoxo


CAPTCHA Image
Reload Image

%d blogueiros gostam disto: