A Jogada Perfeita ♥ Evilane Oliveira

Em 12.12.2017   Arquivado em Resenhas

Bom dia, tarde e noite folks!

Participei do Book Tour do livro A Jogada Perfeita, da Evilane Oliveira e agora é hora de trazer mais sobre esse romance nacional aqui para o blog.

A Jogada Perfeita

Autora: Evilane Oliveira

Publicação Independente

Sobre a Autora

Evilane Oliveira é uma cearense de 20 anos que conheceu o mundo da literatura aos 15 anos quando estudava o ensino médio. Começou a escrever aos 17 anos pelo Wattpad e conquistou alguns leitores que a acompanham desde o seu primeiro romance New Adult. Casada e com uma filha, a nordestina lança seu primeiro livro físico, A Jogada Perfeita, sucesso de vendas na amazon.com.

Sinopse

Kayla Lawson sempre sonhou em ser enfermeira. Com uma mãe depressiva e sem saber onde anda o pai homossexual que a abandonou ao lado da mulher que sequer sabe que ela existe, o trabalho é uma fuga da triste realidade em que vive.

Em uma das vezes que Emma, sua melhor amiga, insistiu que saíssem, Kay vai parar em um estádio de futebol imenso e é nesse dia que ele conhece o tão falado quarterback, lindo e quente como o inferno, Dominick Reilow.

Numa noite fria e sem movimento no hospital onde trabalha, ela o reencontra. Nada a preparou para ver o cara gigante tanto no campo quanto de corpo, paraplégico. Kayla se doa para Dom. Ela cuida e protege, mas isso que era para ser apenas seu trabalho aos poucos se torna algo maior.

Lentamente eles se entenderam e uma verdadeira amizade crescerá entre eles. Dominick confia em Kayla como nunca confiou em alguém, mas ela quer mais que apenas confiança.

Ela quer seu coração.

A Obra

Kayla fica extasiada ao encontrar o famoso quarterback, Dominick Reilow, após uma partida de futebol americano. Não apenas por estar totalmente constrangida ao entrar no vestiário masculino do estádio, mas pelas sensações que apenas uma troca de olhares e um novo apelido lhe causaram.

Mas, já que um segundo depois ele está nos braços de uma loira com aparência de modelo, ela faz de tudo para tirar Dom de seus pensamentos. O que Kay não espera é que, não muito depois disso, enquanto ela cobria uma enfermeira na emergência do hospital em que trabalha, ninguém menos que Dominick chegaria em estado crítico.

“E eu a aceito, com poucas ou muitas migalhas… Eu aceito tudo que for para ter seu sorriso ao meu lado.”

A vida do quarterback é poupada, mas as sequelas deixam suas marcas, Dom ficou paraplégico. O choque é grande para a família e o jogador, que, no seu momento de desespero, abdica da sua fala. O que Kay não espera é o tanto que a situação a afetaria.

Com o passar do tempo, Kayla é a responsável por manter um pequeno sinal de alegria na vida de Dom, sempre conversando com ele e lhe dispensando uma atenção especial. Mas isso porque ela não é a única que sente uma ligação. Dom passa seus dias esperando o momento em que a bela ruiva, a sua Ruiva, irá aparecer.

Kayla tem na companhia de Dom um afago para os problemas que a rodeiam em sua casa, com a rejeição de sua mãe, o abandono do pai e os problemas que seu irmão adotivo enfrentam. Com o tempo, ela consegue que Dom se comunique com ela através de bilhetes, mas nada que seja suficiente para aplacar o momento inadiável que se aproxima: a alta do hospital.

Entre a proximidade do retorno de Dom para casa, como se problemas não fossem suficientes, um mal-entendido faz com que ela seja demitida. Ainda que com o caso dado como resolvido, Kay só poderá ser readmitida no hospital depois de três meses. E esse é um tempo que o senhor destino aproveita de ótima maneira, já que a levará a cuidar de Dom no retorno para seu apartamento.

“Ele me deixa ir. Eu sou seu passado. A pessoa que ele não quer. Somente.”

Durante esse tempo, enquanto Dom busca sua recuperação, Kay terá que lutar para convencê-lo de que ele é digno de seu amor, mesmo com a possibilidade de não voltar a andar e a vida não ser a mesma que ele estava acostumado. Será que sua determinação será suficiente para conquistar o coração de Dom e convencê-lo a viver seu amor?

Impressões Sobre a Obra

A Jogada Perfeita é contada, em principal, pelo ponto de vista de Kayla, uma enfermeira super dedicada que foca quase todo seu tempo no trabalho, numa tentativa vã de aliviar as faltas que existem em sua vida. A ausência pela partida de seu pai, ainda quando ela era criança. A depressão da mãe que se abateu desde então e os reflexos que surgiram no relacionamento maternal.

“Eu sei que eles me amam. Sou eu quem não me amo mais.”

Além disso, há Chris, o jovem que ela e sua mãe acolheram e que Kay tem como irmão, que está enfrentando problemas por causa de um relacionamento abusivo com seu namorado. E, mais um detalhe, a senhora Reilow, mãe de Dom, literalmente, a odeia.

Mas Kayla é uma garota forte, mais do que ela mesma sabe. E, principalmente, aceita e entende os próprios sentimentos, e, o mais legal é que não apenas ela quer ajudar Dom, mas mostrar a ele que, não importa como a vida poderia colocá-lo à prova, mas tudo se trata de aproveitar e viver a vida. Como o presente que ela é.

“Ler é uma forma tão simples de vivermos outras vidas, de aprendermos que somos diferentes e que nem toda verdade é a certa. Eu sinto pena de quem não vive no mundo literário.”

E nossa mocinha, a Ruiva, como Dom adora chamá-la, mostra isso sendo quem ela é, sem subterfúgios ou enrolação. Claro que ela tem alguns aspectos clássicos e clichês que por vezes são retratados em muitas mocinhas, mas nada disso a deixa menos crível. Kay é uma mistura de personalidade e clichês, assim como a maior parte das pessoas que conhecemos.

De outro lado, a história também nos dá um pouquinho de Dom, que começa a surgir em alguns capítulos, mostrando mais de si e de seus sentimentos, tanto em relação à sua nova condição tanto quanto à Kayla. E, apesar de ele ser um clássico jogador de futebol dos filmes adolescentes norte americanos, aos poucos, a vida começa a mostrar para ele que nem tudo na vida se resume ao imediatismo, futebol, sexo e sucesso.

“Você é meu infinito.”

Uma das poucas coisas que Dom realmente ama é exatamente aquela à qual foi privado depois do acidente: o futebol. E, no meio do silêncio conturbado que sua vida se torna, até o momento em que ele decide lutar por sua recuperação, Kay surge como alguém a quem amar. Não se trata de uma “garota-muleta” na história, de que está ali para tirá-lo da sua situação caótica e lançá-lo ao mundo. São pessoas com histórias e passado, ambas, ainda que sem saber, precisando de alguém que os ajude a ver as coisas sob novas perspectivas. Kay é esse alguém para Dom, é razão para lutar e, mesmo sem perceber, ele também exerce o mesmo papel ela.

A relação dos dois é bem interessante durante o livro, apesar de inicialmente parecer um romance baseado em amor à primeira vista, eles convivem e começam a se conhecer mais e mais. E é nessa parte que o sentimento agarra a bola, corre enquanto o time derruba os adversários e faz o touchdown! (Olha eu, brincando que sei explicar um passe de futebol americano! ahá! Risos eternos aqui!).

“Nunca direi para partir, Kay. Você vai dizer, eventualmente, mas eu? Não, bebê. Você é a única coisa que me mantém feliz nessa merda que minha vida se tornou. Você é minha luz.”

Preciso confessar que teve um momento em que a história me deu um nó na garganta, o que não é muito comum para essa pessoa que vos escreve. Quando Dom acorda depois do acidente e descobre sua paraplegia, eu li e parei uns segundos a imaginar. O que deve ser a sensação, o que deve ser a realidade de quem sofre uma sequela dessa magnitude. É claro que apenas imaginei, ninguém sabe ao certo a dor do outro, mas o momento, no livro, me angustiou, sem dúvidas.

A leitura da história também foi super rápida, o livro não é grande e tem capítulos curtos, que acabam por incentivar a ideia de que dá tempo de ler ‘só mais um capítulo‘. Além da história principal, de Dom e Kay, a vida dos personagens secundários não estaca nem segue à mercê dos principais, exatamente como deveria. Há muitos acontecimentos e vivências em andamento que se cruzam e circundam a vida do casal protagonista, dando maior dinâmica à história, como manda as regras do futebol americano.

Touchdown: no futebol americano, ocorre quando o jogador cruza a linha do gol sem ser obstruído.

A história de A Jogada Perfeita é o touchdown de Kayla e Dom, dando a ambos a oportunidade de conseguir um ponto extra na vida de cada um deles.

Aleatoriedades

  • Eu adorei a capa do livro, a cor é linda e achei que a combinação com o capacete ficou super legal. Por dentro, as páginas também contam com decorações, seja de um capacete ou a imagem do casal principal (acho que deve dar para ver em alguma foto das que coloquei no post). Apenas a revisão do texto que pecou em alguns pontos, como erros de concordância, que vão além dos tradicionais errinhos de digitação e achei que isso poderia ser um pouco melhor.
  • Particularmente, por amar um mistério, eu terminaria a história no Capítulo 36, página 269, em específico, mas super entendo o fato da autora contar um pouco mais sobre o desenrolar da história após essa parte, já que a maior parte das pessoas ama isso (olha eu sendo a #diferentona! ahaha).
  • Um único detalhe que me incomodou um pouco no livro foi a linguagem que amigos e amigas utilizam para se chamarem, tantos xingamentos em tom de normalidade, da mesma forma que falam com aqueles aos quais desgostam. Não que não existam pessoas assim, mas, de modo geral, são quase todos os personagens que seguem esse estilo de fala (num estilo à lá A Garota do Calendário), mesmo não sendo todos do mesmo círculo social, por assim dizer. O próprio Dom usa um certo palavrão o tempo todo e, em alguns momentos, não consegui achar naturalidade na utilização. Só pra destacar que não é que eu não use palavrões, quem me conhece bem sabe que uso até demais… ahahah é mais pelo modo como o modo de tratamento se tornou uma constante em quase todos os personagens que o fato se destacou durante a leitura.
  • Esse foi o primeiro book tour que participei e achei super legal! É muito interessante a expectativa em receber o livro, após a resenha de alguma outra pessoa e, ficar imaginando quais vão ser, não apenas as minhas, mas as impressões das próximas leitoras do livro. Deixei todas as quotes marcadinhas para, quem ler depois, ver que alguém achou algo interessante no pedacinho.

A Jogada Perfeita é o primeiro livro da série Touchdown, que conta também com os títulos A Nossa Jogada e A Jogada Incerta, que traz a história de personagens secundários que surgem na primeira história. Todos os ebooks estão disponíveis na Amazon (clique aqui) e, para versões físicas, a disponibilidade deve ser consultada diretamente com a autora, por sua Fanpage.

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Ouvindo: The Promise – Tracy Chapman

  • evilaneoliveira

    Em 12.12.2017

    Que resenha mais linda, completa e maravilhosa
    Muito obrigada por essa preciosidade e por essas fotos lindas que vou roubar com certeza hahahaha
    Beijos meu amor! Te espero no próximo Book Tour ❤

  • Retipatia

    Em 12.12.2017

    Own obrigada linda! Feliz demais por ter participado! E vou adorar ver você usar essas fotos! <3 <3
    xoxo

%d blogueiros gostam disto: