Resenha ♥ The Heart of Betrayal ♥ Mary E. Pearson

Em 08.01.2017   Arquivado em Resenhas

Bom dia, tarde e noite folks!

A primeira leitura do ano de 2017 foi levada madrugada a dentro, terminando junto com o nascer do sol, tamanha a empolgação da leitora aqui, que se viu presa nas vielas de Venda junto com Lia, Rafe e Kaden no segundo volume das Crônicas de Amor e Ódio: The Heart of Betrayal.

“Uma tempestade está a caminho”, falei. “A primeira de muitas”, respondeu ele. “Uma nova estação está vindo.” p. 28

O livro dá continuidade à história iniciada em The Kiss of Deception, em que conhecemos a princesa Lia, ou Princesa Arabella Celestine Idris Jezelia, Primeira Filha da Casa Real de Morrighan, que é prometida ao príncipe de Dalbreck para selar um acordo entre os reinos. Ela foge no dia de seu casamento, mas não contava que um assassino enviado pelo Komizar do Reino de Venda e o próprio príncipe abandonado fossem atrás dela. Parte do brilhantismo do primeiro volume está na forma em que os pontos de vista dos personagens são contados, dando um pequeno nó cabeça do leitor, que deseja descobrir quem é o assassino e quem é o príncipe.

“…O emissário tem uma chance melhor de estar vivo no fim do mês do que você. Então não orquestre jogos que haverá de perder.” p. 51

A leitura de The Kiss of Deception sem dúvidas marcou meu 2016 e claro que teve resenha do primeiro volume e você pode conferir clicando aqui! Posso dizer que foi meu livro favorito, o que me fez admirar cada vez mais e mais a escritora Mary E. Pearson, que eu ainda não havia tido o prazer de conhecer as obras.

“…Pavia, paviamas, paviamad, paviamande. Amizade, gratidão, cuidado, misericórdia, perdão, amor.” p. 73

No segundo volume, também lindamente diagramado numa edição capa dura de fazer suspirar, a Dark Side Books mostra novamente que não brinca em serviço. Toda a edição é ricamente trabalhada, com direito a fitinha para marcar (alguém mais ama?), marca página e um mapa lindamente desenhado nas folhas de guarda, que traz suspiros! A revisão também é impecável, sem erros e anedotas. O livro também faz parte da coleção Dark Love da Editora, que nos fazem morrer de amor por eles!

“Que estranho. Muito estranho. Como acreditar que algumas coisas duram para sempre. Uma lágrima. Como se isso pudesse fazer alguma diferença.” p. 74

 

Sinopse: “Em The Heart of Betrayal, o poder feminino continua sendo a força motriz capaz de mudar e fazer a diferença no mundo. Agora, acompanhamos a Primeira Filha da Casa Real de Morrighan aprisionada nas mãos do terrível Komizar, líder do reino bárbaro de Venda, contando apenas com Kaden e Rafe para mantê-la em segurança nessa terra estranha. Enquanto isso, as linhas de amor e ódio vão se definindo. Todos mentiram. Rafe, Kaden e Lia esconderam segredos, mas a bondade ainda habita o coração até dos personagens mais sombrios. E os vendanos, que ela sempre pensou serem selvagens, desconstroem os preconceitos da princesa. Lutando com sua alta educação, seu dom e a percepção sobre si mesma, Lia precisa fazer escolhas poderosas que vão afetar profundamente a sua família… e também o seu próprio destino.” (contracapa).

“…O dom não pode ser convocado, ele é apenas isso, um dom, um jeito delicado de saber, tão antigo quanto o próprio universo.” p. 98

Lembrando que, se você não leu este livro ou, especialmente o primeiro, podem conter spoilers, já que, nesta parte não há mais confusão sobre qual personagem é o assassino e qual é o príncipe.

Em The Heart of Betrayal revemos Lia exatamente onde a deixamos no fim de The Kiss of Deception, às bordas da entrada do reino de Venda, como prisioneira, junto à Rafe, o príncipe de Dalbreck. Eles são separados e seguem caminhos distintos para dentro de reino que, conforme Lia percebe, é um mundo inteiro ao qual só se é possível adentrar por uma gigantesca ponte que exige centenas de homens para ser erguida.

“O vento, o tempo, ele circula, repete, alguns golpes de ceifera cortando mais a fundo do que outros.” p. 123

A curiosidade é o que está estampado nos rostos dos vendanos, que parecem um povo faminto e bárbaro à Lia, já que vendanos não fazem prisioneiros. A justiça é sempre rápida em Venda, mesmo entre os seus próprios conterrâneos.

“Algo está se agigantando.” p. 143

O desenrolar da história conta com muitas reviravoltas, com a posição de Lia e Rafe sempre arriscada demais, qualquer movimento em falso podendo ceifar-lhes a vida. Mas, a ideia de ambos e o objetivo é em comum: escaparem juntos de Venda. Um não seria capaz de deixar o outro para trás.

“Rhatan. Nunca falhar.” p. 173

São mostradas ainda mais nuances de todos os personagens, tanto dos que já conhecemos, como Lia, Rafe e Kaden, tanto quanto de dos que são inseridos na trama: o Komizar, Calantha e Aster. Todos com seus próprios pecados, passados e decisões a serem tomadas.

“…Quando você achar que esta no fim de sua corda, dê a si mais três dias. E então mais três. Às vezes, você vai descobrir que a corda é mais longa do que você pensava.” p. 181

Apesar da ideia comum de definição entre bem e mal, entre o certo e o errado, todos são questionados acerca de suas decisões, sejam passadas ou futuras. Todos estão sob o tênue limiar da verdade e da mentira, rodeados de segredos, entre jogos de poder mortais, muio bem elaborados pela autora.

“Às vezes, você vai descobrir que a corda é mais curta do que pensava.” p. 181

A personagem central, Lia, é mais uma vez destaque para as surpresas, reagindo nem sempre como esperamos, mas de um modo sempre genuíno a quem é e ao que ela preza, ainda que tenha que se valer de métodos distorcidos. Parafraseando eu mesma (rsrsrs), Lia é exatamente o tipo de princesa que devemos conhecer, aquela a qual nossas meninas podem retirar força e inspiração.

“Que os deuses lhe concedam uma coração quieto, olhos pesados e que os anjos guardem sua porta.” p. 219

Conhecemos muito mais sobre o passado de Kaden, um Rathan, um assassino do Komizar, os fardos que carrega e sobre toda a devoção que dá ao seu líder. Suas motivações são expostas, mas também refutadas por nossa querida Lia, que sempre faz a todos saírem de seu lugar comum. Rafe também tem mais de sua cultura e motivações demonstradas.

“…É muito mais eficiente impedir que problemas aconteçam do que ter que limpá-los.” p. 248

E, convenhamos, o Komizar é o tipo de personagem que se poderia escrever um livro inteiro apenas sobre ele. É intrigante e força as barreiras de bondade e maldade a extremos. Em contrapartida, as já citadas Calantha e Aster são mais duas personagens femininas fortes que surgem na trama, exercendo papéis importantes e marcantes, para ambos os lados da história.

“Convença-os. Convença a mim.” p. 248

O livro tem uma dinâmica própria que não me permitiu largar o livro até que tivesse finalizado, resultado em uma leitura que se estendeu – literalmente – até o raiar do sol. Isso porque a além da escrita inteligente e envolvente que Pearson nos traz, dos personagens bem construídos, a trama é desenvolvida com perspicácia, repleta de pequenas reviravoltas e descobertas acerca vários pontos que haviam ficado obscuros no primeiro volume.

“As regras da razão constroem torres que vão além das copas das árvores. As regras da confiança constroem torres que alcançam além das estrelas.” p. 291

Mas não se engane quando eu falo em dinâmica própria. Aquela máxima – que eu criei em minha cabeça – de que ‘segundos’ livros são sempre parados e os menos interessantes de uma trilogia, ou mesmo que servem só para enrolação, não se aplica, de modo algum, a The Heart of Betrayal. Sua trama é bem intrincada e eloquente. Um mundo inteiro foi criado para a história e esse mundo se revela aos poucos e demonstra ser muito maior do que os acontecimentos presentes da história, o que dá uma sensação de veracidade e fidedignidade, como se o leitor fizesse parte desse mundo e vivesse a cada linha lida.

“Eu não faço joguinhos, Kaden. Eu travo guerras. Não me faça travar uma com você.” p. 302

O final da segunda parte fora arquitetado tão bem – ou ainda melhor – que o do primeiro volume, deixando a sensação de que o terceiro exemplar precisava estar à mão para que, ao ler as últimas palavras de The Heart of Betrayal, as primeiras de The Beauty of Darkness pudessem ser percorridas. A história não saiu da minha cabeça desde que terminei o livro e me pego pensando nele em vários momentos do dia… Agora só resta aguardar ansiosamente para o lançamento da Dark Side Books.

“Todos os modos pertencem ao mundo. O que é a magia senão o que ainda não entendemos?” p. 341

Na Reclassificação de Livros, é claro que esse leva o título máximo: Amores da Vida!

Que a Força esteja com vocês!

xoxo

Ouvindo: embalada ao som de Loreena MacKennit, é claro, porque suas músicas são a cara da saga de Lia! Com destaque para Night Ride Across the Causasus.

  • Luciana Salles

    Em 08.01.2017

    Eu não conhecida essa série de livros, então fiquei um pouco aérea na resenha, mas achei muito boa e instigante a ler! E nossa, amei as fotos que você fez! Ficaram muito fofas ♥

  • Luly

    Em 08.01.2017

    Tenho que terminar os livros/séries que tô agarrada logo pra ler meu belíssimo The Kiss of Deception ganhado nesse mesmo belíssimo blog usando como marcador meu belíssimo postal! Hahahaha!
    Calma que vai rolar, esse ano as leituras tão fluindo!

    Não li o post todo por motivos de medo de spoiler, maaaas tenho que concordar no comentário sobre a Dark Side Books, que editora, QUE EDITORA! Eu morro de medo quando leio a maioria das resenhas sobre os livros deles (não nesse caso mas ok), mas dá vontade de ler porque são . todos . LINDOS!

  • Tatiane

    Em 08.01.2017


    Sempre ouvi falar muito bem desse livro e do primeiro volume, e nunca tinha lido nenhuma resenha(já vou lá ler a sua resenha do primeiro). Eu simplesmente amei, mesmo já sabendo de algumas coisas eu já preciso ler os dois ♥
    Suas fotos são lindas e eu fiquei muito curiosa pra saber tudo o que acontece 🙂
    A DarkSide arrasa nas edições ♥ e eu amei seus marcadores da Juliana Fiorese ♥ sou fã do trabalho dela.
    ótima sexta
    bjo

  • jadeafranco

    Em 08.01.2017

    Eu vejo tanta gente falando desse livro, mas ainda não quis efetivamente comprá-lo. Não sei, ainda não fico muito instigada a lê-lo.Romance não é muito minha trama, apesar de esse romance parecer tão pouco clichê.
    Está na minha lista de futuras leituras unica e exclusivamente porque sou fangirl da Darkside e intendo, em algum momento, ter praticamente todos os livros da editora. Talvez eu compre quando o terceiro livro da trilogia sair. XD
    obs: estou apaixonada pelas fotos que você postou.

    Beijos
    http://www.jadeamorim.com.br

  • Ane Carol

    Em 08.01.2017

    Li sua resenha até a parte que avisava que podia conter spoilers. Já queria ler seu livro e agora depois do pouco que li vi que preciso logo conhecer esta história!

  • bhlauren

    Em 08.01.2017

    My god! *O*… Eu amor os livros da DarkSide, e esse então desde que vi a primeira capa morri de amores por ele, e pelo que vejo na segunda resenha temos uma trilogia que não irá desapontar em nenhum ponto.

    Até mais!
    Karolini Barbara

  • Gislaine

    Em 08.01.2017

    Eu quero muito ler essa trilogia, mas ainda não tive chance! Acabei lendo só a primeira parte da sua resenha pra não pegar spoilers, mas amei demais as suas fotos, ficou uma mais linda do que a outra!

%d blogueiros gostam disto: